Crítica: 7ª temporada de Chicago Fire inicia novo ciclo para alguns personagens

Imagem: SpoilerTV/Elizabeth Sisson/NBC

Continua após as recomendações

Mudanças destacam estreia da nova temporada de Chicago Fire

Depois de tanto tempo desde o fim da sexta temporada, Chicago Fire se apresenta novamente mas agora sem uma de suas estrelas. “A Closer Eye” nos mostrou que alguns estão passando por mais problemas do que outros, com todas essas mudanças.

Pra começar, Severide e Stella estão na fase de lua de mel, o que é de se estranhar. A bombeira ficou escondida nesse primeiro episódio, o que colaborou para isso. Kelly parece ter voltado comprometido, quem sabe.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Já Boden voltou com um novo inimigo contra o batalhão: Gorsch veio a mando de Grissom para derrubar o comandante. Tenho que dizer, esse plot já foi usado tantas vezes que se tornou pesado. Em todas as temporadas temos esses casos, assim, já nem nos emociona mais. Quando Wallace entregou o relatório, já imaginei que não ia dar certo, dito e feito.

Dawson fará falta para alguns personagens… 

O que foi de cortar o coração nesse episódio, com certeza, foi Brett e Casey. Sylvie se culpando por ter mandado a amiga embora foi triste, deu pra ver que ela já não é a mesma da temporada anterior. Com as noites em claro e a saudade de Gabby, a paramédica vai ter dificuldades com qualquer um que se torne seu parceiro.

Inclusive com Emily, a nova paramédica, que ainda não nos mostrou muito bem quem é. O que sabemos é que ela consegue cortar um olho sem nem tremer e teve um passado no hospital. Mais informações devem aparecer logo.

Com Casey, foi doloroso de assistir. Quase como se ele estivesse preferindo morrer a estar ali sem ela. Tenho que admitir que não esperava ver Dawson nesse episódio, e isso foi um ponto positivo. Ver a Gabby feliz e ajudando os outros como sempre fez, foi revigorante, já que ela não era essa pessoa há tanto tempo. Infelizmente, essa felicidade dela se resume ao término do casamento do nosso casal de ouro.

A cena dos dois no final foi linda, Matt realmente é a melhor pessoa que já vimos e Gabby nasceu para ajudar os outros. Provavelmente não a veremos de novo, mas já sabemos que o casamento dos dois não consegue mais resistir a isso.

O retorno foi mais fraco do que esperávamos de Chicago Fire, mas cumpriu sua função e introduziu bem a ideia da temporada. Porém, a ideia do foco principal da temporada podia ter sido melhor.

Continua após a publicidade

Nota: A homenagem a Connie foi emocionante, tive que respirar fundo. Hermann falando que não teve tempo de se despedir foi de cortar corações.

Nota 2: Não sei vocês, mas eu fiquei me perguntando se a falta de Gabby, pode juntar a Brett e o Casey. Será?

E vocês, o que acharam do retorno? Vão sentir falta da Dawson (assim como eu)? Semana que vem, teremos o crossover da franquia, então pode ser que a vida pessoal dos personagens fique suspensa até o próximo episódio. É esperar pra ver. Até lá!

1 comentário

Adicione o seu
  1. Avatar
    Vanessa Sales 1 outubro, 2018 at 15:10 Responder

    Eu particularmente não senti falta da Dawson(me irritei muito com as atitudes delas).
    Já estou farta de toda temporada ou Casey ou Severide ficarem transtornados com algo e não pensarem na hora dos chamados.

Post a new comment