Crítica: 7×04 de Chicago PD fechou o crossover sobre epidemia com genialidade

Imagem do crossover de Chicago PD Infection

Confira o final do crossoverInfection” em Chicago PD

Chicago PD entregou um episódio com grande acerto, no final do crossover “Infection”. Aliás, é preciso ressaltar que o universo Chicago conseguiu integrar 3 séries com genialidade para apresentar um enredo super atual e possível: uma epidemia. Com a tecnologia existente nos dias atuais, e todos os problemas de financiamento, em todos os setores, o assunto acabou sendo atual até para os brasileiros.

Depois da introdução com Chicago Fire, e a quarentena bem apresentada pelo time de Chicago Med, o time de PD literalmente correu contra o tempo para encontrar o responsável por disseminar a bactéria.

Uma epidemia de bactérias que comem carne humana

Quase em uma vibe Walking Dead, tivemos que ver membros consumidos por uma bactéria, mutação de uma bem conhecida nossa, o Staphylococcus. Só que uma cepa resistente aos antibióticos tradicionais é extremamente perigosa para a saúde. Por isso, a mamãe recomenda não tomar antibióticos para qualquer problema e sem receita, pois isso torna as bactérias resistentes. Momento geek a parte, quem brilhou desde Med foi Hailey. Ela teve uma parte fundamental no desenrolar da trama, e a atriz Tracy Spiridakos foi incrível.

Uma coisa boa dos crossovers Chicago é que eles integram o elenco, não apenas no parentesco, tipo Jay e o irmão, mas também com amizade e romances. Legal ver eles todos juntos no início, na cena do jogo, afinal, eles são amigos e moram na mesma cidade. E todos os personagens foram expostos ao perigo de alguma maneira, então ficamos preocupados durante os 3 episódios, pois sempre parecia que alguém iria ser comido pela bactéria.

Continua após a publicidade

Com a explosão na Universidade, ficou difícil encontrar o culpado, também porque os que poderiam ajudar estavam morrendo com muita rapidez. Com isso, o time de PD teve que trabalhar em diversas frentes, comandados por Voight e Platt, e tendo Hailey infiltrada na quarentena – meio que sem querer. O crossover apresentou episódios onde descobrir o suspeito foi difícil. E demoraram mais ainda para elucidar a motivação. Mas a cena do cerco contra ele foi maravilhosa.

Hailey nossa sniper

Foi genial a cena do time todo de PD correndo atrás do culpado. Além disso, o sacrifício de Jay para manter o maluco ocupado, enquanto a estrelinha Upton se preparava para o tiro mais importante do episódio. Foi um verdadeiro trabalho de equipe. No final, o biólogo queria apenas alertar o mundo de que os humanos podem ser consumidos por doenças, e que é preciso ter atenção para elas, assim como para seus tratamentos.

Tudo bem, havia métodos melhores de chamar atenção, mas ele quis mesmo colocar o circo para pegar fogo. Voight, lindamente, entrou nos últimos instantes em ação para colocar um ponto final na história.

Para finalizar e dar um quentinho no coração, eles nos lembraram do amor entre os personagens. Aquele olhar entre Burgess e Ruzek foi demais! Confesso que estava com saudades e nem sabia. Eles acabaram o crossover indo para casa juntos – será que vai render algo? E Platt e Mouch, fofíssimos? Bem como Severide e Stella. Faltou Hailey e Jay, mas perdoarei eles por agora.

Portanto… O ship está de volta! Burzek, por favor, que não seja tóxico, apenas lindo. Ambos vem de ótimas redenções na série, mudados, vamos ver…

E vocês o que acharam do crossover Infection? Deixem nos comentários. E leia as outras críticas abaixo.

nbc.com

Nota do episódio10
Crítica da última parte do crossover com o episódio de Chicago PD, "Infection, Parte 3". Episódio foi exibido nos EUA pela NBC.
10
Caroline Marques

Caroline Marques

Engenheira de Alimentos, mestre em química de alimentos, um tanto quanto viciada em séries, filmes e livros. Fã de Hannibal, Dexter, Grey's Anatomy, Demolidor, Sherlock e Stranger Things. Reviewer de Chicago PD.

No comments

Add yours