Crítica: A afetividade sendo abordada intensamente no 2×07 de The Good Doctor

Imagem: ABC/Divulgação

Mais uma semana de plots peculiares em The Good Doctor

Shaun ainda está aprendendo a conviver com Lea e as coisas não são tão fáceis como parece. Ao mesmo tempo, ambos têm uma conexão muito importante e que ajuda no desenvolvimento do plot. Contudo, as diferenças também fazem parte do cotidiano e eles estão aprendendo a conviver com tal situação.

Nos casos da semana, tivemos, dois importantes momentos, onde questões afetivas familiares se fazem presente. No primeiro caso temos dois irmãos que gerenciam uma empresa de família. Talvez por conta de egoísmo ou falta de empatia, uma doação é impossibilitada. Com a finalidade de trazer sentimentos opostos, os produtores trabalharam bem a ideia do plot e trouxeram a essência da dualidade de egoísmo e arrependimento. Shaun se envolveu profundamente com o caso e foi interessante ver seu posicionamento racional e um pouco frio para uma resolutividade rápida.

No segundo caso, confesso que me senti um pouco confuso. Por mais absurdo que possa parecer a relação de Claire com Dash, isso ainda pode se tornar um plot em ascensão no futuro, pois a química entre eles é boa. Arrisco a dizer que melhor entre ela e Melendez. Contudo, o fator tensão sexual entre os médicos ainda está nítido através dessa espécie de rivalidade. Acredito que possamos ver um triângulo nas próximas temporadas, uma vez que Kayla ainda tem alguns meses de vida.

Continua após a publicidade

Imagem: ABC/Divulgação

Nosso garoto está crescendo e aprendendo cada dia mais a se relacionar

Dois casos interessantes e peculiares, onde os produtores conseguiram moldar ao seu favor. Isso ainda implica em Shaun, que está começando a desenvolver e montar sua estrutura pessoal. Suas peculiaridades e dificuldades em relacionamentos vem sendo bem evidenciadas e abordadas. Eles tentam dar um passo à frente e é interessante ver o médico buscar fazer sua companheira feliz. Ele moveu mundos para tentar achar um motivo de ter um outro peixe #RIPHubert.

Tenho uma preocupação a respeito de como os produtores vão desenvolver a afetividade dos dois. Digo mais, preocupo-me com a velocidade dos acontecimentos. Embora nada deva parecer forçado, não podemos deixar que ocorra uma vida de desentendimentos entre eles. Até o momento, tivemos um desenvolvimento satisfatório e curioso, mas não sei se poderá ficara assim por muito tempo. Shaun terá, em breve, seus instintos biológicos re-aflorados para a beleza e simpatia de Lea.

Só espero não ter que dizer adeus!

Dr. Glassman está com leves repercussões de seu quadro. Nesta semana ele protagonizou uma cena que me marcou muito, quando ele cria uma conexão com sua infância através do garoto que estava ali para quimioterapia. Foi bacana de ver a interação e isso nos mostra como ele está agarrado na questão de aproveitar a vida nas pequenas coisas. Todavia, não será fácil acompanhar toda a repercussão do tratamento sobre ele, mas devemos ser fortes para tal.

Na próxima semana, a emoção vai as alturas. Inesperadamente, um quadro de gravidez pós vasectomia choca a vida de um casal contra uma parede de desconfiança. Além disso, Glassman está com a memória debilitada e protagonizará cenas fortes com Shaun. Ficou curioso/a? Se liga na promo e não deixe de acompanhar o Mix para saber mais. Um abraço e até a próxima semana!

Lucas Franco

Lucas Franco

Mineiro, Escorpiano, 20 Anos, Estudante de Medicina. Direto do Arkham Asylum para o Mix. Eterno fã de Chuck, E.R. e Friends (RIP). Por entre as madrugadas vive a dualidade dos estudos e das séries. No Mix, escreve as reviews de Quantico, The Good Doctor e Legends of Tomorrow.

No comments

Add yours