Crítica: American Crime Story dá destaque ao assassino no episódio 2×03

Imagem: FX/IMDb/Reprodução

Depois de dois episódios surpreendentes, American Crime Story focou somente em seu vilão no terceiro episódio e decepcionou um pouco, não podemos negar.

Tivemos o prazer (?) de conhecer Lee Miglin, que por algum motivo foi uma das vítimas de Cunanan.

Com muito dinheiro, já de idade e com um casamento que aparentemente não tem problemas, com uma mulher que o admira muito.

Continua após a publicidade

Gente, vamos combinar que o episódio foi um pouco aleatório. Claro que entendemos o objetivo da inserção dele na história, mas podiam ter feito uma coisa mais dinâmica, né? O assassino foi até a cidade de sua vítima com um objetivo certo e cumpriu.

Foi fácil notarmos como Cunanan se dói quando Lee mostra o projeto do Skyneedle. O problema de Andrew é querer para si o sucesso dos outros. É isso que o faz tão ressentido com o mundo e o que acaba sendo um gatilho para ele. A cena da garagem foi forte, isso é indiscutível.

O assassino dominava as vítimas com objetivo sexual e quando ele achava que já não tinham mais proveito, ele matava. A brutalidade da morte de Lee foi difícil de assistir. Darren têm se mostrado um ator e tanto, daqueles de tirar o chapéu, não acham?

A esposa do magnata também arrasou na atuação, mas negou veemente enxergar o que estava na cara. O marido era gay e ela preferiu divulgar aquilo como um ataque aleatório.

Mas que faltou algo, isso é certeza. Versace e todo o elenco foram deixados de lado. A melhor escolha? Não sei. Entendo exatamente que estamos voltando no tempo para entender como o assassino funcionava, mas a história em si parece perdida. Afinal de contas, procuramos uma ligação com Gianni durante tudo isso. A visita à loja pode ser considerada como ligação? Talvez.

Mas American Crime Story tem muito mais a oferecer do que só isso, vimos isso na temporada passada. 

Talvez uma melhor ligação ente fatos fosse a solução, mas particularmente acredito que esse episódio servirá de impulso para os próximos. Com todo o talento que Darren vem nos mostrando, não tem como esperar pouco dessa temporada.

Nota: Esses policiais são muito burros, Deus que me livre.

Nota 2: Não dá para esperar a qualidade da temporada passada sem a Sarah, , gente.

E vocês, também se decepcionaram com A Random Killing, ou fui só eu? Confiram a promo do próximo episódio aqui em baixo e nos encontramos na próxima review, até lá!

Avatar

Gabriela Scampini

Paulista, estudante de Direito e geminiana. Apaixonada por livros e séries, mesmo sem ter tempo pra nenhum dos dois. No Mix, escreve a coluna #MixAudiência, além das reviews de American Crime Story, Black Mirror, Chicago Fire e The 100.

No comments

Add yours