Crítica: Chicago PD fecha 2018 com ótimo episódio

Imagem: Divulgação/NBC

Continua após a publicidade

Realmente eu não imaginei que PD terminaria o ano dessa maneira espetacular!

O melhor episódio de uma sexta temporada, já considerada boa, foi acima da média. E podemos considerar que nosso Antonio está lascado? Claro que podemos!

Um episódio centrado em Antonio e sua desgraça… Os Dawson estão em queda!

Depois da saída de Gabi de Chicago Fire, Antonio ficou cada vez mais avulso em PD também. Além disso, estava mais que na hora de dar um plot de importância para ele. Mas precisava ser um plot que ameaçaria a permanência dele na série? Descent foi um episódio extremamente tenso, que poderia ter acabado mais ou menos. Porém, os roteiristas decidiram enfiar o Antonio na jaca de vez.

O vicio em remédios rapidinho escalou para drogas nesse enredo mostrado de forma fluida em 45 minutos. Antonio estava pegando os remédios que o médico se recusou a receitar, e justamente aquela casa, aqueles traficantes foram denunciados. Entretanto, o time PD e sua eficiência acabou pegando os bandidos e o Antonio também. E, caramba, que desculpinha bem mal feita ele arrumou na hora. Até parece que ele não conhece o chefe Voight que tem. Logicamente ele percebeu que havia algo de errado.

Policiais viciados, não dá de levar essa vida dupla

Antonio fez uma das piores coisas que um policial poderia fazer, prometer proteção aos traficantes, em troca do silêncio deles. Como eles não eram informantes e, sim, fornecedores, tudo ficou mais difícil. Eva, filha de Antonio, foi o preço caro que ele pagou pela vida dupla. Mais um filho sequestrado dele… Lembro que um dia questionei qual seria o próximo plot destaque do Dawson, e sugeri esse. Não precisavam levar a sério. Mas o primo do fornecedor, bem fora da casinha de tanta droga na cabeça, sequestrou Eva. Ele só queria que o primo inteligente fosse liberado para continuar fornecendo e salvando ele.

O pior de tudo é que todo o time PD ficou na lama, não sabendo se salvava Eva, cobria para o Antonio, ou caia fora. Voight deixou claro que eles teriam que agir fora dos registros por um tempo. Me admirei que todos, inclusive Upton, entraram nessa pelo Antonio. Mas será que com as complicações do final do episódio todos ficarão quietos na mesma narrativa?

Antonio acabou errando feio 4 vezes: quando se viu viciado e não falou nada, quando foi pego e não falou nada, quando tentou proteger seu fornecedor e quando clamou por vingança e matou o sequestrador da filha. Voight tentou ao máximo reverter a situação antes disso, mas sua chefe deixou claro que em ano de eleição, não se solta traficante por nada no mundo. Nem pelo Antonio e seus problemas.

E nas constatações finais…

Outros relatos aqui: Bursek morreu mesmo? Adam e Hailey parecem bem íntimos e felizes, vendo apartamento juntos. Jay parece estar em paz com sua vida e seu trabalho. Burgess está meio apagadinha, mas também, depois do último episódio focado nela, acho bom ela rever seus conceitos por um tempo.

Enfim, como será o retorno de PD em 2019? Antonio terá sua cabeça levada a prêmio pela política do departamento de polícia? Aguardemos ansiosamente.

Tags Chicago PD
Caroline Marques

Caroline Marques

Engenheira de Alimentos, mestre em química de alimentos, um tanto quanto viciada em séries, filmes e livros. Fã de Hannibal, Dexter, Grey's Anatomy, Demolidor, Sherlock e Stranger Things. Reviewer de Chicago PD.

No comments

Add yours