Crítica: Com 3ª temporada, After Life é a série necessária da Netflix

Netflix encerra série de Ricky Gervais em alta.

Critica After Life
Continua após publicidade

After Life sabe acolher o coração. Essa é talvez a definição mais sensata que alguém poderia dar para a atração que é produzida, escrita, dirigida e estrelada por Ricky Gervais.

Continua após publicidade

Para quem ainda não conhecia, Gervais é o típico comediante que obteve grande sucesso. Ele é a mente por trás de The Office por exemplo – e, desde então, ficou conhecido por tal. Mas, vez ou outra, Ricky Gervais se dá ao luxo de mostrar todo o seu potencial ao produzir algo que atinge diretamente o público. É o caso de After Life.

Aqui, ele vive um viúvo que acabou de perder a mulher para a batalha do câncer e, dessa forma, ele não vê mais qualquer sentido na vida. A falta de vontade, o cansaço de lidar com as pessoas e o desprazer de estar ainda acordado é algo que move o seu personagem.

Continua após publicidade
Continua após publicidade

Nítidos sinais de uma depressão que tem um motivo justificável, a morte de sua esposa. No entanto, quando ele acha que tirar sua vida seria a solução, ele é salvo por sua cachorra. E, então, ele entende que ainda não é sua hora. A partir daí, ele tenta sobreviver, que é essa palavra que o define. E, mesmo que por horas rabugento, o Tony, seu personagem, encontra sutilezas em cada observação que ele faz ao seu redor.

After Life é uma série para assistir e se sentir bem…, embora você chore!

O humor de Gervais é ácido. Mas, além de ácido, ele faz um humor com inteligência. Então, é de se esperar que After Life tenha notas de humor em cada uma de suas cenas.

Continua após publicidade

Leia também: Stranger Things 4 estreará episódios mensais? Fãs se revoltam!

Desde o fato que Tony é um homem amargurado e sem vontade de viver, até o ponto em que a sua esposa passou por um doloroso processo com o câncer. Mas os resquícios disso acabam virando pontas para ele fazer algum comentário que se torne piada.

Continua após publicidade

No entanto, After Life não se enquadra em uma comédia pastelão. Muito menos em uma sitcom. A série, na verdade, é uma daquelas obras que te fazem refletir sobre a vida, sobre o que vale a pena ou não. Ou sobre até onde reclamamos, por vezes, de forma necessária.

Continua após publicidade
After Life
Imagem: Divulgação.

O personagem de Gervais em After Life, por exemplo, trabalha em um jornal de distribuição gratuita na Inglaterra, no qual ele descreve “que ninguém lê”. Mas, mesmo assim, ele continua indo lá, todos os dias. Talvez pela conexão com o editor chefe, que é seu melhor amigo e cunhado – irmão da falecida esposa -, ou pelo fato de que ele se importa sim com algo. Mesmo afirmando por várias vezes que não.

Continua após publicidade

Nessas sutilezas, Ricky Gervais mostra o quão ele pode ser franco, bruto, mas também generoso. Essa talvez seja a grande definição de seu personagem e trabalho como um todo.

Continua após publicidade

3ª temporada de After Life entrega tudo e finaliza história com carinho

A 3ª temporada de After Life também é a última. Embora você fique com um sentimento de que assistiria aquele universo por várias temporadas, ao mesmo tempo entende que a mensagem que o autor queria passar está ali. E ela foi entregue da forma que deveria.

Nesta última parcela, Tony toma algumas decisões importantes. Ele ainda se mantém apegado aos vídeos que gravou de sua esposa, ao longo dos anos, mas ele também começa a perceber que há uma vida lá fora. Que ela está ali para ser vivida. Tony também percebe que ele ainda não foi porque ele precisa ajudar pessoas. Talvez seja essa sua grande missão.

Com isso, ele vai, aos poucos, se libertando das amarras que ele mesmo colocou em sua vida. Sem, claro, abrir mão do luto – algo que ainda mantém sua esposa Lisa viva dentro de si. O possível caso amoroso que ele desenvolve, por exemplo, ele mesmo abre mão. Porque ele entende que nunca encontrará um amor como o que teve com Lisa. Então, talvez fosse injusto fazer com que alguém se apaixonasse por ele, mesmo que ele não fosse retribuir.

Igualmente, seus colegas de jornal também andam sem qualquer propósito. E é Tony que os mostra o que fazer. É lindo ver que o personagem partiu de um ponto de escuridão, perdido, para chegar a um lugar de aceitação, de ajuda, e de amor ao próximo. Tudo, claro, do jeito rabugento de Tony.

After Life
Imagem: Divulgação.

Final agrada

O último episódio, em particular, é o mais bonito da temporada final. Ele se reconecta com o espaço onde perdeu sua esposa, um hospital de câncer, e lá vê um propósito através de um garotinho, que também luta contra a doença. Então, a ficha dele realmente cai. Ele está reclamando de algo que ele mesmo criou. As tempestades que ele mesmo trouxe, e que existem pessoas com problemas que podem ser ajudadas por ele.

Com isso, Tony encontra o tão esperado motivo de viver que ele buscava. E seu texto é genial. Porque Tony não encontra a razão de viver em um novo amor, por exemplo. Mas, sim, através da bondade de seu coração, que estava ali camuflada e apagada por toda a amargura que ele lhe deixou tomar.

A cena final é emocionante e faz o espectador pensar “que maratona gostosa de se fazer”. A série está ali com um único propósito de fazer o público se inspirar. Então, quem sabe, esta era a inspiração da qual você precisava em sua vida? Se está buscando uma série para se apaixonar na Netflix, After Life é a indicação perfeita para isso!

Nota: 5/5

Criador do Mix de Séries, atua hoje como redator e editor chefe do portal. Especialista em SEO e construção de textos para internet, também atua como webwriter com foco em textos para o Google. Autor na internet desde 2011, passou pelos portais TeleSéries e Box de Séries. Fã de carteirinha de Friends, ER e One Tree Hill, é aficionado pelo mundo dos seriados. Também é fã de procedurais, sabendo tudo sobre o universo das séries Chicago, Grey's Anatomy, e séries de sucesso como La Casa de Papel e Lucifer. Também é fã da DC Comics, e acompanha produções inspiradas em personagens da editora, como Titans e até o mais recente produto da editora, Sweet Tooth.