supergirl

Crítica: Conflitos familiares e usurpação marcam a 4ª temporada de Supergirl

Após a primeira metade de sua temporada abordando temas políticos, Supergirl soube explorar outras camadas da segunda parte de seu quarto ano. Tal abordagem nos primeiros episódios, inclusive, coincidiram também com nosso cenário brasileiro atual. No entanto, questões familiares foi o principal foco na parte remanescente da temporada, até chegarmos à season finale.

Nasce uma heroína

Quem finalmente teve seu devido destaque foi Nia. A entrada da personagem na série foi tratada com muita expectativa, uma vez que ela seria a primeira heroína trans no Arrowverso. Apesar disso, a jovem ainda não tinha mostrado para o que veio, mas felizmente isso mudou no décimo primeiro episódio, totalmente focado nela. Enfim tivemos mais ciência sobre sua história, de como ela adquiriu seus poderes, além da resistência por parte de sua família, abordando também de certa forma a transfobia.

O nascimento da Sonhadora foi uma adição e tanto ao team Supergirl, e o melhor de tudo isso, a relação de Nia e Kara ficou mais próxima. A cena em que ela revela à pupila que é a Supergirl foi espetacular, e gostei dela sendo a mentora da nova heroína do pedaço. Assim como aconteceu com nossa protagonista lá no começo da série, por aqui a personagem também teve que encarar certos “perrengues” em sua nova jornada.

Ben Lockwood ou Manchester Black? Lex Luthor!

Após ter sido preso, Ben Lockwood havia sido colocado pra escanteio, no entanto isso não durou muito tempo. Em contrapartida, Manchester Black finalmente teve o destaque esperado. O personagem foi crescendo, durante um arco de aproximadamente três episódios. Com a saída do Agente da Liberdade da prisão, os dois vilões tiveram um confronto direto.

Manchester ainda teve outro papel importante, que foi dar a relevância devida a J’onn nessa temporada. Até agora o personagem estava bem avulso na história, e eu já imaginava isso acontecendo após sua saída do DEO. Um dos meus momentos mais prediletos do personagem foi, com certeza, quando ele matou finalmente esse cara insuportável. Com isso Ben então volta a ser o grande vilão da temporada? Errado!

Imagem: The CW/Divulgação

Eu sempre apostei que o rapaz era o big bad desse quarto ano, mas o verdadeiro surgiu bem mais adiante. Trata-se de ninguém menos que Lex Luthor. Quando anunciaram que o personagem apareceria nessa temporada, fiquei curioso para saber como seria tal abordagem. Logo apostei que seria apenas uma mera participação especial, mas foi muito mais além. Jon Cryer representou muito bem um dos maiores vilões da DC Comics e, das versões televisivas do personagem, a dele já se tornou uma das minhas favoritas.

A Filha Vermelha

Depois de muita enrolação, finalmente lembraram da outra Supergirl no churrasco onde estavam as filhas da Adriana Bombom. Achei genial a forma como linkaram a história dela, e a relevância que a personagem enfim teve na reta final da temporada. O que mais me deixou intrigado foi que Lex estava por trás disso tudo, sendo algo que jamais passou na minha cabeça. Cheguei a viajar em alguma teoria de Ben se aliando ao governo soviético, e descobrindo a existência dela, mas patriota ao extremo do jeito que o vilão é, esse tipo de parceria teria que vir de alguém mais racional. Bingo!

Outra grande surpresa foi saber que ninguém menos que Eve estava ao lado dele durante todo esse tempo. A personagem sempre me gerou desconfiança, pois a achei sonsa desde sua primeira aparição. As coisas só pioraram quando ela começou a trabalhar com Lena, mas isso veio de forma definitiva de que ela o auxiliou no preparo da Filha Vermelha. Quase caí pra trás quando foi revelado que ela é Tessmacher, a fiel escudeira do vilão.

Uma coisa que me incomodou nesse plot foi o fato da Filha Vermelha ser tratado como uma pobre ingênua, infectada pela maldade do Lex. Como ela surgiu da separação da própria Supergirl por conta do Harun El, ou simplesmente kryptonita preta, deduzi que a mesma já seria má de natureza. Clark em Smallville, Sam e Reign na temporada passada da série – que aliás foi o fio condutor pra esse plot – para no fim vir uma versão mais “bobinha” de Kara? Ah não!

O lance dela a la Usurpadora foi bem previsível, de estudar os passos de Kara e tudo mais. No entanto, ainda acho que essa parte da usurpação poderia ter sido muito melhor explorada.

Conflitos familiares

Imagem: The CW/Divulgação

Podemos mudar o nome da série provisoriamente para Casos de Família? Tudo começou com as consequências de terem apagado a memória de Alex, para ela proteger a identidade de Kara. Me deu uma certa agonia em ver a protagonista mentindo pra própria irmã, e a forma de como a agente ficou fria com a Supergirl. Ok, a relação entre ela e a heroína foi sendo construída de forma bacana aos poucos, mas mesmo assim foi estranho. Apesar de no fim tudo ter acabado bem, achei muito sem noção não terem explorado tanto após Alex ter recuperado totalmente sua memória. Será que isso vai lhe trazer consequências ou ficará por isso mesmo? Sinceramente quero que esse plot seja melhor apurado na quinta temporada, vamos aguardar.

Nesse meio tempo tivemos a entrada de Kelly, irmã de James. Podemos já pedir pela saída dele na série e ela então se tornar fixa no elenco? Os dois também tiveram suas questões familiares abordadas, em um episódio com certa ênfase no jornalista.

Agora nada se compara aos Luthor. Com a chegada de Lex na história, tivemos também o retorno da magnífica Lillian. Vimos o quão o vilão é tóxico na vida de Lena, e como ele mexe na cabeça da personagem. Já a matriarca da família foi constatado o que eu já estava suspeitando. Ela está tomando o mesmo destino de Lionel em Smallville, começando como uma vilã, mas agora sendo uma personagem ambígua. Com a revelação dela se preocupando com a filha, e ajudando-a em salvar James me deixou meio ressabiado. No entanto foi brilhante ela tentando envenenar o próprio filho na Casa Branca.

Harun El: As consequências da kryptonita preta

Finalmente os experimentos de Lena ganhou destaque também, graças à Filha Vermelha. Manipulada pelo irmão, a personagem enfim conseguiu aperfeiçoar seu soro, mas com consequências. Lex com poderes foi algo que me deixou bem preocupado, a ponto de questionar a vida de Kara. Dito feito! O vilão mostrou definitivamente seu lado cruel, agora com poderes.

Imagem: The CW/Divulgação

James, em contrapartida, conseguiu se recuperar de um tiro que quase lhe tirou a vida. Porém o soro lhe trouxe consequências, assim como Ben. Já desacreditado de seus planos e tudo que aconteceu, o vilão acabou adquirindo poderes também, aí a coisa ficou séria. A dependência dos três junto com a cópia de Supergirl mostrou o quão perigosa pode ser a kryptonita preta. Aí quem salvou o dia no final das contas. Lillian Luthor! Então tá…

 

Confronto final

Depois de uma perseguição de gato e rato, Supergirl e Filha Vermelha finalmente tiveram seu embate. Foi nesse momento que a segunda citada descobriu ter sido usada esse tempo todo por Lex. É nesse momento que somos encaminhados ao confronto final da temporada, entre nossa heroína e o vilão. Quando achei que tudo estava perdido, as duas personagens enfim se unificam, sendo esse o fator decisivo do confronto.

Lex pode até ter sido derrotado, mas não saiu totalmente por baixo. Ele é tão maldito, que antes do seu gran finale revelou finalmente a Lena a verdade sobre Kara. Fiquei muito revoltado, mas nada surpreendido. O que sempre disse em minhas reviews vai acontecer. A relação entre as duas se tornará igual ao de Clark e Lex em Smallville, e veremos a partir de agora Lena abraçar seu lado vilã. Esse momento é meu! Será que ela matará a própria mãe, assim como o irmão fez com o pai na saudosa série da nossa CW?

Crise nas Infinitas Terras

Depois de uma finale de tirar o fôlego, os minutos finais foram pra causar um infarto, literalmente. Isso porque rolou uma baita referência e ponta para o próximo crossover do Arrowverso.  Arrow The Flash também abordara a Crise nas Infintas Terras nos seus respectivos desfechos de temporada. No entanto por aqui em Supergirl já deu pra ficar claro que o vilão terá a ajuda de ninguém menos que Lex Luthor para colocar seus planos maquiavélicos em prática.

Não sei vocês, mas já estou me corroendo de ansiedade!

Nota da temporada 4B8.7
Review da segunda parte da quarta temporada de Supergirl, da The CW.
8.7
Tags Supergirl
Eduardo Nogueira

Eduardo Nogueira

Administrador apaixonado por séries e música, sou fã assumido de Friends, e tenho guilty pleasure pelas séries da CW. No Mix sou editor de reality show, cobrindo atrações do gênero como as franquias The X Factor , The Voice, American Idol, entre outros. Faço também reviews das séries Mom, Supergirl, The Good Place, Scream, Fuller House e da brazuca A Garota da Moto. Além disso, deixo vocês sempre atualizados com as nossas Bolhas de Cancelamento, e também escrevo as colunas de Elenco e Teu Passado Te Condena. No tempo que me sobra faço um café para as visitas, rs. Ufa!

No comments

Add yours