Crítica: No 13×16, Criminal Minds está de volta com os bons episódios

Imagem: CBS/Divulgação
Imagem: CBS/Divulgação

[spacer height=”20px”]

Continua após publicidade

Tem sido momentos de tensão para o BAU ultimamente.

Barnes vem causando estragos nos últimos episódios, para grande desgosto tanto da equipe quanto de nós, espectadores.

Continua após a publicidade

Barnes tem um histórico de dividir equipes para seu próprio ganho pessoal, e ela fez exatamente isso com a BAU também. O último episódio terminou com a equipe sendo ativamente dissolvida e enviada para diferentes cargos.  Nesse episódio, nós vemos a equipe em seus novos trabalhos. Há um caso, mas ele não segue a fórmula usual. E há muitos saltos entre diferentes aspectos da história.

Continua após publicidade

Emily foi transferida para uma unidade do FBI e não se adapta a seu novo colega de trabalho. Ela o critica por seu comportamento, mas ele não aceita críticas construtivas.

Tara está usando suas habilidades psicológicas para ajudar outros agentes do FBI com seus problemas. E os clientes que ela está vendo são um pouco incomuns e podem parecer bastante familiares para muitos espectadores. Honestamente, por mais divertido que seja essa cena, Tara é uma psicóloga forense. O trabalho dela é entrevistar criminosos, não ser terapeuta para colegas agentes do FBI. Então, não tenho muita certeza de porque ela está fazendo esse trabalho. Além de ser uma maneira possível de mostrar que Barnes realmente não entende os conjuntos de habilidades específicas dessas pessoas, e é uma porcaria em saber onde designar os agentes.

Continua após publicidade

Reid está no meio de uma aula explicando a diferença entre gatilhos e fatores estressantes para o que parece ser um grupo de alunos, mas logo descobre que a maioria dos alunos nem se dava ao trabalho de se matricular na aula.

Rossi, agora em novo emprego (talvez o melhor de todos).

Ele pode ter sido forçado a se aposentar, mas com certeza não vai ficar sentado, fazendo nada o dia todo. Em vez disso, ele agora é consultor de algum programa de crime, ajudando a garantir que o jargão técnico seja preciso e que o homem que interpreta o agente do FBI seja confiável. Infelizmente, o ator não parece exatamente tão interessado em precisão, muito para a óbvia e crescente frustração de Rossi.

JJ, Luke e Matt: Eles continuam tentando trabalhar com Barnes o melhor que podem, mas não deve ser surpresa para ninguém que isso seja mais fácil de dizer do que fazer. Eles apresentam Barnes com alguns possíveis casos, que logo são dispensados por ela. Barnes lembra-lhes que o trabalho deles é fazer com que o BAU pareça bom, e isso termina essa pequena conversa.

E se as coisas não foram estressantes o suficiente para esses três? Eles também tiveram que lidar com o cara que assumiu o papel de Garcia, e ele não é bom em seu trabalho, como em tudo. Ele está constantemente atrasado e não é muito detalhado na pesquisa que faz.

Garcia está na divisão de crimes cibernéticos. É muito claro que não está muito feliz em estar longe de seus amigos, ou ter que se vestir como profissional. Para piorar as coisas, ela está restrita na quantidade de itens pessoais que ela pode ter em sua mesa! Três coisas é o máximo! O único aspecto positivo do novo emprego é a amizade que faz com sua nova colega de trabalho.

Garcia encontra algumas fotos de mulheres, com perspectivas diferentes. E suspeitando que possa haver um insub, imediatamente leva as fotos para seu chefe. Ele acredita que essas fotos não são nada mais do que um tipo de fetiche, que pode ser encontrado nos cantos mais estranhos da internet. E ressalta que esse é o tipo de caso para o BAU, e não uma função do seu novo emprego. Garcia não está a bordo com esse raciocínio e continua insistindo em investigar isso ainda mais. Garcia envia as fotos para JJ, que as leva para Barnes. Infelizmente, ela parece concordar com todo o ângulo do ” fetiche pervertido”.

Insatisfeitos com suas novas funções, a equipe se reúne por conta própria para investigar o caso. Todos parecem muito bem em assumir esse risco. No entanto, poucos sabem sobre as mulheres, ou qualquer outra informação além das fotos. Eles observam o padrão das fotos da primeira mulher, observando a diferença em sua aparência, levando a crer que o suspeito goste de exibir suas vítimas para as pessoas para as quais ele vende tais fotos.

A investigação acaba levando a um caso semelhante que havia sido investigado por Barnes anos atrás. Sem mais opções e com uma possível nova vítima, JJ decide correr o risco e informar o envolvimento da equipe no caso ao qual não estavam autorizados a investigar. Barnes conta os detalhes, mas toma as devidas providências para que todos sejam punidos.

Com novos detalhes sobre o insub, e com a identidade da vítima, a equipe soluciona o caso sem a aprovação de Barnes.

Pelo fato da vítima ser coincidentemente filha de um senador e a bem sucedida solução do caso, a equipe é novamente reunida.

Por enquanto, porém, parece que as coisas estão de volta ao normal para a equipe, e elas podem ter outra pausa. Vamos esperar que essa ruptura possa durar o quanto for humanamente possível!