Crítica: Criminal Minds estreia temporada final com ação e assuntos pendentes

Critica Estreia Temporada Final Criminal Minds

Hora do adeus está chegando

Criminal Minds é uma das séries mais longas exibidas na TV no ar. Agora, na temporada final, chegou o momento de dar adeus ao BAU, ao longo de 10 episódios.

Nessa temporada, alguns assuntos pendentes durante anos prometem ser finalizados, principalmente entre Reid e JJ que acabaram deixando uma possível relação em pauta no final da 14ª temporada.

O começo do fim

Enquanto o caso da estreia se desenrolou, JJ agiu como se nada tivesse dito e nada tivesse acontecido. Enquanto isso, Reid começou a ficar remoendo suas dúvidas e escolhas, imaginando como seria sua situação atual se tivesse agido de forma diferente. Ao mesmo tempo, tentou lidar com as complicações do tratamento de sua mãe.

O episódio “under the skin” começou como qualquer outro episódio da série, entretanto se trata de Everett Lynch – o insub que quase matou Rossi anteriormente – e que desperta o interesse do agente nesse novo caso.

Continua após a publicidade

Nesse caso, foi apresentado um insub cuja forma de execução das vítimas é um tanto peculiar, uma vez que o troféu é uma parte da pele do tórax da vítima. Pelo fato de Everett Lynch ser conhecido pelo mesmo método, Rossi acredita que ele seja o responsável. Entretanto, o insub tem como alvo homens jovens – diferente da preferência de Lynch, por mulheres de meia idade.

Mesmo com mais diferenças que similaridades, Rossi insiste que Lynch tenha substituído sua compulsão violenta de mulheres que odiava para homens que invejava, por ter dúvidas sobre sua identidade. Logo, em meio às certezas de Rossi quanto à identidade do insub, algumas pistas no decorrer do episódio surgiram, apontando para outros caminhos. No entanto, elas também apontavam para uma conexão entre Lynch e o insub.

Investigação continua

Em “awakenings“, descobrimos o que conecta o insub a Everett Lynch e sua filha Grace Lynch, bem como o momento tenso em que JJ é baleada por Grace e resgatada por Reid. Com JJ no hospital, a equipe se ocupa de encontrar Lynch e a filha agora soltos e sem nada a perder.

A parceria entre pai e filha começa a deixar rastros de sangue por onde passam, provando que o laço que os une não é só de sangue. Porém, apesar do trabalho em equipe, o instinto assassino de Lynch não o impede de transformar a própria filha em mais uma vítima.

O amor está no ar?

Com os ânimos serenados, JJ se recupera após cirurgia e confessa a Reid que mesmo após tantos anos tem sentimentos por ele. Não consigo imaginar o motivo para desenterrarem isso desde a primeira temporada. Logo agora, que JJ está estabelecida, casada e com filhos admitindo para Reid que tem sentimentos por ele mesmo satisfeita com a vida que tem. Portanto, não sei o que esperar quanto a isso, ou ao fato de Reid também admitir ter sentimentos e não saber o que fazer com eles. Será que, de alguma forma, os roteiristas vão amarrar as pontas para eles ficarem juntos no final?

Além disso, se não bastasse esse drama, Reid visitou a mãe que desfruta de um momento de lucidez. Mesmo tentando ver as coisas como são ele ainda acredita e tem esperança em relação a mãe, mesmo que por um curto tempo.

Por fim, podemos esperar dessa temporada final o foco em Everett Lynch – O Camaleão – fazendo referência ao fato do insub possuir muitos disfarces e se adaptar às diferentes situações. Estaria ele ao nível de finalizar Criminal Minds em grande estilo?

E você, também gostou do retorno da série? Deixe nos comentários e confira o vídeo promocional do próximo episódio abaixo.

 

Nota do episódio9.3
Crítica do primeiro e segundo episódios da décima quinta temporada de Criminal Minds, Under the Skin e Awakenings, exibido pela CBS nos EUA.
9.3

4 comments

Add yours
  1. Avatar
    Thais 22 janeiro, 2020 at 14:16 Responder

    Eu particularmente não entendi algumas escolhas dos roteiristas nessa temporada, principalmente no que diz respeito a JJ e ao Reid.
    Aparentemente quiseram, ao desenterrar tal história, entregar o desenvolvimento que alguns fãs queriam ver lá no começo da série, mas que perdeu um pouco de sentido ao ser abordado de maneira abrupta como foi, afinal pelo menos a JJ seguiu com a vida dela! Talvez se isso tivesse sido tratado com mais sutileza como um fato já passado que deixou marcas, mas quando ela afirma que AINDA ama ele, dá a impressão de que tudo até então foi, de certa forma, uma mentira.
    Não bastasse isso, eles resolveram, depois de tudo que foi dito pelos dois entre o episódio final da 14 temporada e os dois primeiros da última, que do nada o Reid iria “superar/ignorar” tudo que foi dito e ter um novo interesse romântico que tem apenas 6 episódios para se desenvolver.
    Eu não sei, parece que os roteiristas de Criminal Minds estão dando seu grito de independência com o fim da série e resolveram fazer na última temporada tudo que não puderam ao longo das 14 anteriores.
    Quanto a trama principal, temos que esperar pra ver. A série sempre foi conhecida por ser pouco realista em diversos aspectos e aparentemente na última temporada eles estão ainda menos preocupados com isso. Se Everett Lynch é digno de ser o centro dos episódios finais? Sim. Se vai dar certo? Aí já é outro assunto, tem tudo para ser um vilão digno de encerrar a história com muita ação, porém depende muito de como vão contar essa história e pelo que vimos entre JJ e Reid, eles estão tendo problemas em contar algumas historias.

Post a new comment