Crítica: Criminal Minds retorna com comemoração do 300º episódio da série

Imagem: CBS/Divulgação

Bem vinda de volta, Criminal Minds

A temporada passada de Criminal Minds terminou com Reid descobrindo quem era a espiã do culto serial killer infiltrada dentro do FBI e a manteve na mira da arma. Infelizmente, ele não pôde prendê-la, porque no último segundo ela revelou que o grupo tinha Garcia mantida como refém. Ela ofereceu a Reid um ultimato para acompanhá-la e libertar seu líder preso no prédio no FBI ou Garcia seria a próxima em sua lista de vítimas.

Para ajudar a homenagear o 300º episódio da série, Criminal Minds encontrou uma maneira especial de agradecer aos fãs que acompanham o drama desde o piloto de 2005.

Como na temporada anterior tivemos alguns antigos personagens, a formula deve se repetir no cenário atual da série. Em 300 temos de volta Luke Perry como o líder do culto, Benjamin Cyrus, que apareceu no episódio Minimal Loss da 4ª temporada.

Mas ele está morto, certo? Talvez sim, talvez não, pelo menos para a estreia da 14ª temporada. E ele não será o único convidado surpresa. O ponto alto do episódio foi a maneira como foi conduzida a ligação com o culto dos Ben’s Believers com um caso exibido há quase 10 anos. Tudo isso para uma homenagem aos 300 episódios de Criminal Minds, fazendo aniversário com a estreia da nova temporada. Um presente para os fãs e também um exercício para a memória.

Continua após a publicidade

Após perceberem o sumiço de Reid, Garcia e da agente Meadows, a equipe do BAU começou a tentar entender os últimos acontecimentos juntando as peças. Ao encontrarem filmagens internas do prédio do FBI e identificarem uma mensagem deixada por Reid sinalizada em Libras as palavras Ben’s Believers.

Porém, só Prentiss percebe já ter visto a Agente Meadows antes, bem antes do restante da equipe perceber que o Ben da história não é Benjamin Merva, mas sim Benjamin Cyrus, personagem interpretado por Luke Perry no episódio quarto episódio da 3ª temporada.

Usando Trackbacks, os produtores mesclarem cenas do episódio Minimal Loss, de 2008, onde relembramos Meadows e Merva dentre os seguidores do líder do culto, morto pela equipe do BAU antes que pudesse sacrificar mais alguém. Logo podemos concluir que a volta de Meadows e Merva se trata de uma vingança como ajuste de contas pelo ocorrido do passado.

Apesar de teoricamente saberem com quem estão lidando, o BAU ainda não sabe a localização dos colegas de equipe, nem dos insubs. Posteriormente, pelos esforços de Reid e de outro refém Theo, Garcia consegue fugir e levar a equipe até o galpão onde estavam sendo mantidos. Theo é encontrado morto, mas não há sinais de Reid nem de Meadows e Merva.

Lembrando de informações passadas por Reid, Garcia e os agentes conseguem identificar o possível local do sacrifício final do culto, chegando a tempo.

Foi um bom episódio, onde pudemos ver os membros da equipe de longa data recordarem suas próprias memórias do caso Cyrus.

E os papéis que desempenharam durante todo o processo, para ajudar a juntar todas as peças do quebra-cabeça. Eu também gostei que Garcia fosse capaz de ajudar de uma maneira que não dependesse tanto de suas habilidades tecnológicas.

Até o momento, todos os integrantes do time do BAU sobreviveram ao primeiro episódio da 14ª temporada de Criminal Minds.

Esse foi o primeiro da 14ª temporada que, embora no momento permaneça com apenas 15 episódios, existe a possibilidade de alguns episódios adicionais.

No comments

Add yours