Crítica: Daryl pode estar próximo de um romance em The Walking Dead

É isso mesmo que você leu: talvez um dos personagens mais queridos de The Walking Dead pode conhecer finalmente o amor

Vamos a ordem dos fatos em The Walking Dead. Alpha (Samantha Morton) continua a dar um show de atuação ao se mostrar a pessoa menos humana da série.

Ela quer sua filha, Lydia (Cassady McClincy), e está disposta a matar Luke (Dan Fogler) e Alden (Callan McAuliffe), se necessário. Daryl (Norman Reedus) se nega num primeiro momento. Mas, ao ver o estado de seus amigos, não pensa duas vezes e aceita o acordo de Alpha.

Os problemas pioram quando Henry (Matt Lintz) foge com a garota. É Enid (Katelyn Nacon) que os encontra, pois está preocupada com Alden. E finalmente tivemos um deslumbre maior da moça depois do salto temporal.

Ela relembra Carl (Chandler Riggs) e diz que mesmo com tudo de ruim que passou, ela segue sobrevivendo sem mudar quem é. Lydia, no fim, acaba se entregando por vontade própria.

Não são todos que estão na pior…

Imagem: AMC/Divulgação

Ao contrário de Hilltop, Ezekiel (Khary Peyton) e Carol (Melissa McBride) tiveram suas cenas mais tranquilas para quebrar a tensão dos Sussurradores.

Aqui a história é outra. Eles estão se preparando para a feira que unirá todas as comunidades.

O grupo se dirige até um cinema com o objetivo de pegar uma lâmpada para projetor. E assim fazer com que os sobreviventes tenham um vislumbre do passado.

Nada tão importante em um primeiro momento. A não ser pelo tratado entre comunidades, dado por Tara (Alanna Masterson) anos atrás e aquele símbolo na placa visto no final. O que será que é aquilo?

Destaques

Voltando para Hilltop, tivemos duas estrelas em atuação e que certamente roubarão a trama da série. Uma é Alpha, completamente cruel – Pode falar, você sabe que a série não matará nenhum bebê, mas também ficou apreensivo com aquela cena.

A outra é Connie (Lauren Ridloff), uma surpresa para mim. Escondida em um milharal, ela sozinha salva o bebê abandonado e se livra de vários Walkers, mesmo com sua condição. Ali ficou claro como ela se tornou a sobrevivente que é hoje.

No final do episódio, Daryl recebe uma carta de Henry, que diz que irá atrás de sua amada. Então, ele decide sair do meio da noite atrás do garoto. Connie o encontra e, usando seu caderninho, diz que irá junto. Pois ela “também não consegue viver com isso”.

O fato é que a moça seria uma ótima adição, visto que a nova showrunner, Angela Kang, veio para dar maior destaque às personagens femininas da série.

Além disso, Daryl pode estar finalmente aberto ao amor. E, com isso, se tornar o líder que precisa ser, de agora em diante. Agora que Carol está comprometida, Connie seria capaz de fazê-lo perceber que estar em grupo é muito mais importante!

A trilha sonora, o desfecho de alguns casais em cena e o final entre Connie e Daryl já deixou claro que, ao menos, um aprofundamento na história dos dois personagens existirá.

E acredite, não foi somente eu que percebi isso. Enfim, o que você achou do episódio, hein? Nos conte nos comentários. E fique de olho, o próximo episódio promete muito com a chegada do Beta (Ryan Hurst)!

Share this post

Rodrigo Sodre

Rodrigo é um rapaz que cresceu, mas manteve todas as alegrias da infância consigo. Com 24 anos, é formado em Jornalismo e joga videogame desde quando usava fraldas. Apaixonado por zumbis, começou a se interessar pelo gênero quando viu a primeira intro de Resident Evil 2. Hoje é fã fiel de The Walking Dead, e continua jogando, lendo, vendo filmes e séries.