Crítica: Eficácia de Conrad é colocada a prova no 2×04 de The Resident

Imagem: Divulgação/FOX

Até onde ir para salvar um paciente?

O quarto episódio da segunda temporada de The Resident, “About Time“, mostrou muitos acontecimentos. Logo após um episódio meio parado, na semana passada, a série mostrou que pode sim agitar as coisas, introduzindo diversas histórias mas sem perder a qualidade.

About Time” começou com um festival de música em que Conrad e Pavesh estavam como voluntários. Mas um incidente acabou colocando a vida de grande parte do público em risco. Algumas das vítimas foram encaminhadas para o Chestain Park, e lá vimos o desenrolar da história – que nos apresentou bem mais do que esperávamos.

O principal caso foi de um guia turístico, que acabou nas mãos de Conrad. E, durante seu tratamento, somos levados a um momento no futuro, onde aos poucos vamos entendendo que aquele mesmo paciente processou o médico por alguma falha. Acontece que, por conta de alguns coágulos, Conrad acabou precisando fazer um procedimento de emergência no cérebro do paciente. Sem poder esperar por um supervisor, o médico abriu seu paciente no meio do corredor do hospital. Mais pro fim do episódio, descobrimos que isso deixou o paciente de cadeira de rodas.

Continua após a publicidade

Foi interessante ver que Conrad fez tudo o que estava a seu alcance para tratá-lo de forma correta. Mas, pegando na onda de que ele havia tratado de muitos outros pacientes no outro dia, a série viu uma oportunidade de trabalhar um outro tema: os processos que médicos recebem por negligência, sendo estes apenas mais uma forma de advogados faturarem em cima da vulnerabilidade dos pacientes.

Combinado não sai caro

A presença do pai de Conrad na reunião de conciliamento foi fundamental. Ele tentou guiar o filho por um caminho onde ele omitisse algumas informações que pudesse isentá-lo de um processo. Acontece que na visão dos médicos, tudo foi feito ao alcance deles para que o paciente recebesse o melhor tratamento. E, se não fosse por Conrad, o guia turístico estaria morto.

Essa visão foi fundamental para, no fim do episódio, o papai Hawkins persuadir o guia com um acordo em confidencial, para que o mesmo não processasse Conrad. Atos como esse mostram que o pai de Conrad está disposto defender não só seu filho, como o hospital, de uma má reputação. Ele matou dois coelhos com uma cajadada só. Isso não o faz melhor que Bell, faz?

Falando no tinhoso…

O Dr. Bell mais uma vez esteve na função administrativa neste episódio, tentando correr atrás de mais verbas para o Chastain. Acontece que o incomodou o fato do hospital ter recebido pouquíssimos pacientes do incidente no festival de música. E, então, o médico precisou contornar a situação para tornar o hospital “ainda mais atraente”.

Achei uma excelente sacada, no final, o Dr. Bell isentar a cobrança de todos os pacientes do acidente, como um gesto de caridade. Acontece que, por ter poucos pacientes, o Chastain teria um prejuízo mínimo, frente a outros hospitais que receberam mais pacientes – e que ficaram intimados a fazerem o mesmo. Esperto…

Além disso, Bell está empenhado em fazer uma nova sala na emergência, para que os socorristas levem mais pacientes para lá. Tudo, afim de mais grana. O médico continua desempenhando um papel fundamental na proposta da série, e isso tem ficado cada vez mais interessante. Estou gostando dos rumos do personagem, mas não acho que ele vá demorar a causar problemas, uma vez que ele ainda parece interessado em desestabilizar Conrad dentro do hospital.

Parece que Bell vem percebendo que, se ele atingir Conrad, poderá atingir o papai Hawkins de forma mais fácil. Será?

Vale menções

Achei o caso do música bacana, apesar de ser batido nas séries de TV. Quem acompanha muitas séries médicas, vire mexe vê um caso de ex-bêbado que produz índice de álcool no sangue por conta de uma síndrome no fígado. Mas foi legal ver o desenrolar desse caso.

Além disso, gostei também da parte de Mina sendo realocada para a orto. Acho que ela tem muito a aprender por lá. E isso fez com que AJ desse valor para ela, ao invés de ficar inflando seu ego todas as vezes que eles entravam em cirurgia.

Tivemos também a inserção da médica ortopedista e do representante que está para fechar um acordo com o Dr. Bell. Ambos poderão ter papéis importantes nos próximos episódios.

Pode ser alguns fãs da série não gostem desse episódio, pela dinâmica de ficar indo e voltando para explicar o caso, e contextualiza-lo no caso do processo. Mas eu gostei muito, e achei um dos melhores episódios da série. Essa segunda temporada está maravilhosa, confirmando que The Resident tem tudo para alcançar o posto de melhor série médica da TV aberta norte-americana.

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=aON7guu7mkA[/youtube]

Anderson Narciso

Anderson Narciso

Criador, editor e redator do site Mix de Séries, é apaixonado por séries desde sempre. Fã incondicional de One Tree Hill, ER, Friends, e não perde um episódio da Franquia Chicago.

No comments

Add yours