Critica: Elseworlds apresenta Smallville em primeira parte do crossover em The Flash

Imagem: The CW/Divulgação

Continua após as recomendações

A melhor época do ano para os fãs do Arrowverso enfim chegou: o grande crossover. Onde os personagens se encontram, novos heróis e vilões são introduzidos, tudo isso envolto de uma trama grandiosa dividida em várias partes. Elseworlds pode não ser o maior crossover dessas séries, mas pode ter sido o mais importante de todos até aqui. Isto porque ela foi responsável por introduzir uns dos personagens e cenários mais importantes da DC.

A trilogia Elseworlds

Esta primeira parte foi responsável por apresentar o grande problema que os heróis terão que enfrentar. De forma descontraída, o episódio mesclou bem o humor, o drama e principalmente a ação. O humor durante a primeira metade do episódio foi absolutamente engraçado. Barry surtando ao imaginar Oliver e Íris na mesma cama, e Oliver agindo como Barry foram os pontos altos. Mais divertido ainda vendo Stephen Amell imitar com perfeição os trejeitos e modo de falar de Grant Gustin. E olha que se tratando se Stephen, criticado por sua pouca versatilidade na atuação, é uma grande surpresa. Também foi muito divertido acompanhar Grant tendo que agir em alguns momentos mais sério e até de forma mais bruta.

Continua após a publicidade

Ademais, a trilogia parece que foi dividida para apresentar um herói/cidade/mundo em cada parte. Nesta primeira em The Flash o foco esteve em Superman, Smallville e a Terra 38. Nada foi mais incrível que vermos o elenco reunido na fazenda Kent de Smallville ao som da incrível “Save Me”. O estúdio fez essa grande homenagem a série que foi precursora do Arrowverso. Uma imensa nostalgia aos fãs de Smallville. Além de apresentar o Superman para o restante dos personagens das séries fora de Supergirl, fomos apresentados enfim a Lois Lane. Tyler Hoechlin e Elizabeth Tulloch mostraram muita química em cena e nos deixaram querendo mais aparições de ambos em Supergirl.

Pré-Crise?

Além disso, Elseworlds também inseriu um personagem muito importante da DC que introduzirá em breve um dos arcos mais importantes dos quadrinhos na televisão. O Monitor e a origem do Doutor Destino são os responsáveis pela trama de Elseworlds acontecer. Ambos tem um papel muito importante na construção do que virá a ser a Crise nas Terras Infinitas no Arrowverso. Por mais que o Dr. John Deegan e Mar Novu pareçam cartunescos, suas aparições foram bem apresentáveis para a adaptação. Já o androide Amazo foi o ápice dessa primeira parte. Sua aparição na série foi quase uma surpresa e trouxe uma sequência de ação envolvendo os super-heróis de nos deixar grudados na tela. Ver o Superman aliado ao Flash, Arqueiro Verde e Supergirl foi empolgante demais.

No entanto, é preciso notar que o episódio teve suas falhas. O roteiro mostra um furo vez ou outra ao longo do episódio. Seja Oliver e Barry adivinhando que Kara estava em Smallville, Amazo reconhecendo Superman e Supergirl como meta-humanos, entre outros. Mas nada que tire toda a diversão dessa primeira parte do que promete ser uma aventura épica para The Flash, Arrow e Supergirl. E que venha Gotham City.

Imagem: The CW/DivulgaçãoThe Flash

DOS QUADRINHOS:

– Nos quadrinhos, Amazo é uma entidade robótica capaz de duplicar todos os poderes dos membros da Liga da Justiça. O androide foi criado por Anthony Ivo, com quem Oliver já cruzou em Arrow na segunda temporada durante sua estadia em Lian Yu. Lá o personagem estava em busca do soro Mirakuru, citado neste episódio. Mas o design, mecanismo e acrônimo do personagem neste episódio são similares ao do personagem no universo animado da DC.

– Nos quadrinhos, Monitor é um ser poderoso que existe para observar e registrar a matéria positiva do Multiverso. Surgiu na lua sem vida de Oa em resposta ao desequilíbrio cósmico causado pelo experimento de Krona, que criou os universos da matéria e antimatéria. Ficou em guerra contra seu inimigo Anti-Matéria durante um milhão de anos, terminando em empate. Mas após nove bilhões de anos inconscientes, ressurgiram com a Crise nas Terras Infinistas.

– Nos quadrinhos, Dr. John Deegan é o Doutor Destino, um cientista inimigo da Liga da Justiça. Originalmente um simples gênio que inventou aparelhos para cometer crimes, sua carreira mudou para sempre quando criou o Materioptikon. Este dispositivo lhe permite distorcer a realidade com base no tecido dos sonhos, tornando-o inimaginavelmente poderoso.

CURIOSIDADES:

– Os super-heróis identificados na cena inicial do episódio na Terra 90 são: Flash, Monitor, Arqueiro Verde, Gavião Negro, Mulher-Gavião, Nuclear, Sideral (Stargirl), Manto Negro, Caçadora, Ray, Capitão Frio e Jesse Quick.

– O episódio faz uma grande homenagem a série Smallville. Ao apresentar a cidade, a música tema da série, “Save Me” do Remy Zero, é tocada. Lois também chama Clark de “Smallville”. Além disso, na cena de abertura que se passa na Terra 90 vemos um Arqueiro Verde caído com o mesmo uniforme do personagem de Smallville.

– Em uma cena, Ralph diz “alguma coisa estranha está acontecendo, e ainda nem é terça-feira”. A brincadeira de deve ao fato do episódio ter ido ao ar no domingo, trocando de lugar com Supergirl.

– Referências Nerds:

  1. Sexta-feira Muito Louca (Freaky, Friday, 2003).
  2. Contra Tempos (Quantum Leap, 1989).
  3. Stranger Things (2016)
  4. O Exterminador do Futuro: Gênesis (2015)
  5. O Dia em que a Terra Parou (1951)
  6. Superman: o Filme (1978)

Confira as outras reviews do crossoverParte 2; Parte 3.

Avatar

Álefe Cintra

Jornalista e apaixonado por séries. Tem a mesma profissão de Clark Kent, usa óculos parecido, mas infelizmente não é super-herói. Grande fã de séries de super-heróis e fantasia. No Mix de Séries escreve as reviews de Arrow e The Flash.

No comments

Add yours