Crítica: Episódio 14×20 de Grey’s Anatomy apresentou médicos sob efeitos de cookies batizados

Imagem: ABC/Divulgação

Continua após as recomendações

Um episódio leve e divertido!

Quem nunca ficou curioso em imaginar como nossos amados médicos agiriam sob os efeitos das drogas? Pois bem, graças a este episódio, pudemos saber. E posso dizer que eu amei e ri como há tempos não ria com Grey’s Anatomy. Foi um episódio bastante leve e divertido, pouco lembrando da tensão que dominou os últimos episódios. Apesar de que o escândalo do Prêmio Harper Avery, no final, me deixou sem ar. Daqui a pouco falaremos sobre isso.

Foi impossível não gargalhar com DeLucca nesse episódio. Acho que foi a primeira vez que eu gostei do personagem e senti todo o drama dele. Sério, ele com sob os efeitos do cookies batizados parece muito eu depois de fazer uma endoscopia.

Continua após a publicidade

Arizona cuidando do DeLucca e se preocupando com a Maggie foi tudo de bom! E, para mim, nem parecia que ela estava drogada. Sério, a maneira como ela lidou com a situação pareceu tão normal. Ou ela já é acostumada a comer esses cookies batizados ou é forte para as drogas.

Mas quem me surpreendeu mesmo foi Bailey e April. As duas drogadas foram hilárias! Elas conversando pareciam duas adolescentes saindo de uma balada totalmente bêbadas. Nem preciso mencionar o quanto eu ri com o funeral do Prêmio Harper Avery? Sensacional! Jackson e mamãe Avery também não ficaram atrás no quesito diversão: os dois drogados foram sensacionais, porém as discussões sobre o que o vovô Avery aprontou fez com que eles ‘acordassem’ antes do tempo.

Escândalo Prêmio Harper Avery.

Pois bem, se no episódio anterior ficou subentendido que Jackson Avery havia aprontado algo bastante feio, nesse episódio mamãe Avery esclareceu tudo e me deixou com a pulga atrás das orelhas. Calma minha gente! Essa história toda de que o vovô Avery, o fundador do Prêmio Harper Avery assediava e molestava suas funcionárias (leia-se médicas que trabalhavam com ele) foi um choque!

O choque só não foi maior do que saber que Elis sabia que sua amiga também tinha sido uma das vítimas e mesmo assim preferiu o prêmio à amizade. Que eu sempre soube que mamãe Grey não valia nada, eu já sabia, porém ter a certeza disso nesse episódio foi como ter visto o ressurgimento de Nazaré Tedesco: algo inacreditável!

Bom, de qualquer forma a situação pegou mal para o hospital e para a reputação da família Avery, ainda mais agora que os noticiários jogaram essa bomba de forma tão sensacionalista que só mesmo minha Olivia Pope (Scandal) poderia salvar a má fama que reinará no Grey Sloan Memorial Hospital. Agora a meta “é dobrar a meta”, e focar que Meredith Grey tem um Prêmio Harper Avery!

Meredith, a mãezona da turma.

Falando nela, foi lindo vê-la toda preocupada e agindo como mãezona e separando todos os médicos, residentes, atendentes e afins que comeram os benditos cookies, mas mais lindo ainda foi ver ela ensinando Jo e confiando nela a cirurgia. Sério, eu me emocionei toda. É claro que senti a dor da mãe dela, mas Bailey também estava drogada e a maneira como Mer lidou com tudo foi tão digna de uma líder que foi impossível não ter ficado orgulhosa.

Essa Jo que vi nesse episódio parece outra Jo Wilson que eu conheci; ela está mais madura, menos chorona, mais confiante e mais segura. O que é ótimo e realmente essa parceria entre ela e a Meredith só fez bem para ela. Espero que continue assim e que não volte a ser aquela personagem chatinha, porque se isso acontecer, aí meu ranço por ela só vai aumentar.

O engraçado de tudo isso, nesse episódio, é que pude ver Meredith Grey como uma verdadeira chief e isso JAMAIS passou pela minha cabeça. Quem sabe mais para frente ela não venha ocupar esse cargo? Seria um sonho e uma bela forma de encerrar o seriado.

Owen conheceu seu bebê!

Quem também ganhou uma bela surpresa foi Owen Hunt. A adoção dele foi bastante rápida e um bebezinho homem chegou para alegrar e acabar com a paz do médico mais indeciso de Grey’s Anatomy. Sério, o que o Owen esperava: que viria um bebê falante, que comeria sozinho, ele trocaria as fraldas sozinho, etc? Hello?! Em que mundo o Owen vive? Bebês precisam de um pai ou de uma mãe para fazerem essas coisas!

Nesse episódio ele ainda contou com a ajuda de Amelia e ganhou um bebezão de brinde: um Alex drogadão! Aliás, o que eu ri com esse Alex Karev sob os efeitos dos cookies! Amelia mais parecia pronta para ser mãe e cuidar do filho adotivo do Owen do que ele próprio. E para piorar tudo isso ele queria devolver a criança! Eu tô quase achando que o Owen precisa ser internado, isso sim. Porque o médico deve ter batido a cabeça quando estava no Iraque. Mal adotou o bebê e já quer devolver porque não sabe se gostou da brincadeira! Filho não é brinquedo para se devolver numa loja, viu?

Tirando tudo isso e essa minha irritação, eu amei a maneira como Amelia esteve lá por ele. Para ela não deve ter sido fácil, pois conhecemos a história dela, mas eu senti que ela gostou dessa história de ter uma família. Só espero que os roteiristas não façam nenhuma bobagem e insistam mais nessa montanha russa chamada Omelia, por mais que eu ainda os shippe.

E vocês, gostaram do episódio?

Avatar

Gabriella Siggia

Quem eu sou? Eu sou uma em um milhão: escritora nas horas vagas, seriadora de coração, cinemática de plantão e amante da literatura. Divertida, alto astral e bastante bem humorada. Só não achei ainda minha outra pessoa. Ah, música faz parte da minha vida.

No comments

Add yours