Crítica: FBI encerrou 2018 com bom episódio

Imagem: Divulgação/CBS

FBI terminou 2018 com um bom episódio!

Um traficante de armas pesadas estava prestes a fazer uma venda grande e OA teve que agir sob disfarce, como comprador. Ele teve além dessa difícil missão, um acerto de contas com um antigo instrutor, professor da Quantico.

Rowan Quinn foi uma peça importante na vida dos agentes

Zidan foi super destaque desse episódio e seu drama pessoal não chegou a incomodar. Rowan Quinn, interpretado por Burke que eu gosto muito, veio para cutucar OA, e reviver algumas feridas da ‘escola’. Pelo que percebemos, o professor tratou OA de forma diferenciada durante o treinamento, e isso mudou a maneira como ele lida com as coisas. Claro que notamos como ele é mais frio que Mag, mas não vejo isso como defeito no caso dele. Pelo contrário, acho Mag muito coração para o cargo dela. O final o episódio foi para zerar essa relação.

A chefe Dana relutou um pouco em deixar ele ser agente infiltrado, mas teve sucesso em dizer sim. Acompanhamos toda a rápida preparação de OA para o caso, e também depois, ele acabou sozinho tomando importantes decisões sozinho, na pele do comprador.

Claro que, na realidade, isso não deve funcionar dessa forma fácil. Mas a maneira tratada deu fluidez ao episódio. Problemas técnicos colocaram Mag lá dentro também, para ter seu momento. Pai e filha do crime não estavam tão sintonizados e acabaram não percebendo a movimentação do FBI.

Aliás, podemos acrescentar aqui que eles estavam bem despreparados para a venda importante. Que FBI traga mais casos legais assim!

Tags FBI

Share this post

Caroline Marques

Caroline Marques

Engenheira de Alimentos, mestre em química de alimentos, um tanto quanto viciada em séries, filmes e livros. Fã de Hannibal, Dexter, Grey's Anatomy, Demolidor, Sherlock e Stranger Things. Reviewer de Chicago PD.