Crítica: Fleabag, comédia indicada ao Emmy do Amazon, é uma das melhores séries da TV

Fleabag é a série que você precisa assistir

Se esse texto fosse um episódio de Fleabag, nós olharíamos diretamente para a câmera e diria: você acha mesmo que escolheríamos outra série para o título de uma das melhores?

Ok, agora falando sério. Claro que consideramos muitas outras, e até achamos que elas merecem, mas algo sempre nos conduz a eleger Fleabag uma das melhores atrações da TV atualmente. É quase na mesma proporção que Fleabag, a personagem criada e interpretada pela magnífica Phoebe Waller-Bridge, continua voltando ao Padre bonitão durante essa perfeita segunda temporada desta fantástica série. Portanto, vamos aos fatos: essa não pode ser negligenciada.

Talvez você conheça Waller-Bridge por seu excelente trabalho em Killing Eve. Mas espera, ela não é a protagonista da atração. Sim, nossa amada estrela é simplesmente a criadora da série. Não por menos, ela está indicada em 2019 ao Emmy como produtora de ambas as suas séries de comédia e drama. Tal feito só aconteceu anteriormente quando David E. Kelly foi indicado por Ally McBeal e The Practice, 20 anos atrás. Naquela ocasião, Kelly ganhou por Ally McBeal e perdeu o prêmio de drama para Sopranos da HBO. E aqui vai uma curiosa semelhança.

Os seis episódios que compõem a segunda temporada estrearam no Amazon Prime em 17 de maio, dois meses após sua exibição inicial na BBC. Porém, no mesmo final de semana que o final de Game of Thrones foi ao ar. Tudo bem que nós nem gostamos muito do final de GOT, mas certamente ela é uma favorita ao Emmy. Portanto, se Waller-Bridge perder seu prêmio de drama para uma série da HBO, assim como Kelly, certamente estamos torcendo para ela ser coroada no ramo da comédia. Assim como Kelly. Sem dúvidas, Fleabag merece.

Não é uma série qualquer

Fleabag apresenta uma trama simples, mas ao mesmo tempo profunda e complexa. Talvez, algo que só os britânicos saibam fazer tão bem. A série acompanha uma jovem adulta chamada apenas de Fleabag (Phoebe Waller-Bridge), lidando com problemas quase universais sob o ponto de vista feminino. Entre eles, estão problemas de relacionamento, frustração sexual e profissional. Além disso, claro, não poderia faltar os conflitos familiares. Fleabag, assim, aborda a perspectiva de uma mulher sob a ótica da modernidade vivendo em Londres. Ao mesmo tempo, ela está tentando curar uma ferida enquanto recusa ajuda daqueles à sua volta. Logo, ela acaba mantendo seu perfil intimidante o mais intacto possível.

Lendo essa sinopse, ela poderia se qualificar como uma série qualquer. Portanto, qual é o diferencial? Se tivéssemos de destacar uma coisa além de Andrew Scott, o Padra sexy, essa coisa seria o quão as histórias da série são amarradas. Cada temporada de Fleabag possui apenas seis episódios. Cada um, com 27 minutos ou menos. Desde o começo, a sensação é que estamos em um carro em movimento, e que mesmo em uma estrada ruim ele nunca deixa de funcionar. A prova disso, inclusive, é a distância que a primeira temporada tem para a segunda. São três anos que separam as produções, mas na história apenas se passou um ano.

O começo da segunda temporada, inclusive, é genial. Temos uma tomada extremamente eficiente que serve de recapitulação, destacando que estamos 371 dias, 19 horas e 26 minutos após os eventos do primeiro ano, com Fleabag em um banheiro, limpando um nariz ensanguentado por razões desconhecidas. “Isso”, Fleabag explica, quebrando a quarta parede, “é uma história de amor.” Nós ainda não sabemos por que seu rosto está assim, ou porque há outra mulher sangrando no banheiro com ela. Ou, além disso, quem está do lado de fora falando com ela. Droga, nossa atenção está tomada.

Resultado de imagem para fleabag wallpaper

Trama de Phoebe Waller-Bridge faz o público se sentir visto. Imagem: Amazon/Divulgação.

A peculiaridade de Fleabag

Fleabag pode ser considerada uma comédia mainstream, que o Vulture classificou como uma “força”. E realmente, ela tende a se desenvolver mais rápido que muitas comédias antigas. Por exemplo, na época em que o citado David E. Kelly ganhou por Ally McBeal, o jeito de fazer comédia era outro. Avançando um pouco, encontramos sitcoms que se movem rapidamente, para provarem que podem alcançar o ápice de suas tramas várias vezes. Talvez, Fleabag é uma mistura de todas essas influências, criando um jeito único de se fazer TV. A segunda temporada, que estreou recentemente, é realmente uma dança. Quem participa? Fleabag e sua irmã Claire, Fleabag e o público, Fleabag e o Padre.

Ah eh, estávamos esquecendo do Padre. Quer dizer, não dá para esquecer deste Padre. E o fascínio que desenvolvemos por ele pode ser justificado por uma única sentença: ele é sexy. Mas isso não faz jus a sua presença. A verdade, é que a química de Scott e Waller-Bridge é sem igual. Além disso, temos um detalhe interessante pois cada vez que eles vão se tornando íntimos, nós sentimos parte dessa intimidade. É como se criássemos um trisal platônico entre Fleabag, o Padre, e o público. Ao nos confidenciar seus pensamentos, tornamos parte deste relacionamento. É como se fossemos seu melhor amigo, aquela pessoa que ela pisca em um momento que só nós iríamos entender.

Isso faz de nós aquele outro elemento da trama, como se também pudéssemos ser vistos, de uma forma que nenhuma outra série que utiliza deste elemento já conseguiu. Desculpe, House of Cards. Assim, o que passaria batido como um dispositivo inteligente de narrativa, ganha uma profundidade ainda maior em Fleabag. Sem dúvidas essa é a maior coroação que a atuação de ambos pudera receber. Reconhecimento que vai além de qualquer vitória em um Emmy da vida.

Maratona recomendada

Essa sem dúvidas é um tipo de série que você não pode deixar de assistir. Aquela que você precisa ter no seu currículo de seriador. Se fossemos resumir essa indicação, diríamos que a vida nos ensina que não existe perfeição, e que não devemos esperar por ela. Logo, nenhum relacionamento é perfeito. Nenhum trabalho é perfeito. Nenhum filme ou série de TV é perfeito. Mas aí você assiste Fleabag. É então que a lição muda: de vez em quando, você pode conseguir isso. Você consegue ter a perfeição.

Todos os episódios de Fleabag estão disponíveis no Amazon Prime Video.

 

Anderson Narciso

Anderson Narciso

Mestre em História, apaixonado por mídias, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias, escreve a coluna 5 Razões e resenha a série Gotham.

No comments

Add yours