Crítica: Identidade do Anjo Vermelho é revelada no 12×10 de Star Trek Discovery

Imagem: CBS/Divulgação.

Caminhando para o fim da temporada, Star Trek Discovery traz uma surpreendente revelação sobre o Anjo Vermelho.

Continua após publicidade

Velório da Airiam

Embora o desenvolvimento de Airiam não tenha sido o ideal (veja review passada), o seu velório teve um alto grau de emoção. Com certeza, uma das cenas mais emocionantes da série. A cada discurso, pudemos sentir o quanto aquela personagem significava para os demais. Grande atuação do elenco.

Continua após a publicidade

Entretanto, apesar da emoção em cada voz, uma ficou faltando. Ainda que tenha pouco tempo de Discovery, Pike poderia ter falado. A voz do líder da tripulação não foi ouvida. Uma pena.

Continua após publicidade

Apesar de todos os belos discursos, o canto de Saru deu uma beleza (ainda que triste) ainda maior para a cena. Cada vez mais os Kelpianos se mostram uma das raças mais interessantes do universo de Star Trek.

A crise de identidade de Culber

Continua após publicidade

O doutor Culber continua enfrentando todas as consequências de seu retorno dos mortos. Por mais que doa ver Stamets sofrendo por seu amado, é compreensível que o médico esteja em uma crise.

Histórias envolvendo renascimento ou ressurreição não é novidade na ficção televisiva. Entretanto, cada série trabalha o assunto da sua maneira. Em Discovery, optaram por mostrar que o processo deixa o personagem com dificuldade em se conectar com sua vida antiga.

É natural que esse processo não seja curto, além do fato de que não é garantido que ele um dia vá se sentir confortável com sua vida antiga novamente. Esperamos que sim. Mas tem sido bem legal a forma como a série tem trabalhado com isso. Mostrando o desenvolvimento do personagem.

Ainda é cedo para saber se essa nova realidade do personagem vai ser importante para a história central da série. Mas vejo com bons olhos o destaque dado a isso.

Identidade do Anjo Vermelho em Star Trek: Discovery

Finalmente a identidade do misterioso personagem foi revelada. Ainda que o episódio nos levou a acreditar que o anjo era Michael, o final nos revelou ser na verdade sua mãe.

Isso nos leva a algumas hipóteses e questionamentos. Primeiro, segundo Tilly as informações genéticas do anjo eram totalmente compatíveis com a comandante. Ou seja, teria sido um erro de Tilly? Afinal, por mais que mãe e filha tenham materiais genéticos parecidos, eles não são exatamente iguais.

Até pouco antes da revelação, várias teorias passavam pela minha cabeça. Inclusive quando o anjo aparece, a minha primeira impressão era de que a personagem na verdade era uma versão mais velha de Michael. Ao virar o rosto e mostrar outra atriz, surge a dúvida: seria ela a mãe de Michael ou sua versão mais velha. Se é sua versão mais velha, por que escolher outra atriz?

Segundo, caso seja a mãe de Michael, por que ela apareceu para Spock ainda criança? Por que aparecer naquele momento seria importante para evitar o fim da galáxia? Por isso, acredito que não é tão simples como parece. Ainda coloco em dúvida essa revelação.

Terceiro, como a série vai lidar com as linhas temporais? Afinal, se o Anjo Vermelho vem do futuro, não seria óbvio que ela já soubesse o que aconteceria? Então, porque se permitiria ser capturada, sabendo que Michael não morreria?

Star-Trek Discovery caminha para o fim de sua segunda temporada e os próximos episódios devem esclarecer todas essas dúvidas. Continue acompanhando as notícias e reviews da série aqui no Mix de Séries.

Obs.: No momento “WTF” do episódio, o que foi a cena do Leland perdendo os olhos?

r

Paulista, nerd, viciado em séries e fã do Rei Leão e do Homem-Aranha. No Mix escrevo sobre The Big Bang Theory e Star Trek: Discovery.