Crítica: Jay protagoniza brilhantemente o final do crossover em Chicago PD 6×02

Imagem: Divulgação/ NBC.

O maior crossover das franquias Chicago foi maravilhoso!

Começou com Fire, depois Med para então PD. Quando o enredo chegou em Chicago PD, eles deram uma desacelerada, e por isso algumas pessoas se decepcionaram. Eu não, adorei o primeiro protagonismo importante do Jay. Ele brilhou nos 3 episódios.

O personagem de Jesse Lee Soffer foi desde o começo uma sombra de Erin (Sophia Bush). Pedi inúmeras vezes para colocar o menino em evidência, dar a oportunidade dele brilhar. Sabemos a evolução da atuação dele. Hoje nós sabemos que a apatia do rapaz é parte do personagem, e não falta de talento. Um homem sem a figura do herói paterno, marcado pela guerra e mortes.

Ele tentou arduamente. E o dia dele chegou. Jay brigou, correu, lutou e emocionou

Ficou claro que a relação com o pai era difícil, ele não aceitava sua profissão. Mas no final, ele viu que o pai guardava uma foto da sua formatura da academia. E o menino Jay chorou, e choramos junto. Ele sempre ficou meio sozinho, com a responsabilidade do pai enquanto o irmão estudava medicina. E apesar dessa abertura, temos muito o que explorar sobre ele, principalmente sobre amigos e o período da guerra.

Continua após a publicidade

Nesse episódio, vimos o coração de Upton, ela realmente se importa com Jay. Ela sabe ser firme quando deve, odeia colocar os parceiros em perigo, e ficou desesperada pensando que Jay havia morrido. Aquele mínimo instante em que a pessoa não se mexe e você tenta socorrer. Upton realmente tem um trauma com o ex-parceiro, e esperamos que ele apareça em algum momento. Agora sobre um amor para ela, Jay ou Ruzek? Hum, Jay.

E Burgess, anda meio apagada, né? Bom, não dá para colocar todos em evidência ao mesmo tempo. Agora que a série parece estar dando conta do tempo perdido. Sim, eles perderam muito tempo evidenciando as relações da Erin e Voight, que esqueceram dos outros. Leves aparições da filha do Al, filhos do Antonio, irmão do Atwater, irmã da Burgess, Ruzek nada, e tudo bem superficial e rápido. Agora teremos tempo e calma para explorar todos.

Nos identificamos com a série quando conhecemos melhor os personagens

Nem deu vontade falar sobre o caso, pois parece que todo o resto ficou encoberto pela luminosidade do incêndio. Só que o fogo foi criminoso, para encobrir um crime. Duas mulheres mortas e uma que acabou escapando, além de um chefe importante de Cartel de drogas encontrado queimado.

Antonio parece um mágico que descobre relações importantes, e trouxe o querido David Zayas (Dexter) para o caso. Um dos filhos de Carlos era o culpado, e vimos o rapaz em Fire no começo e Med também. Um homem em busca de poder acabou matando pessoas inocentes, inclusive o pai de Jay. É ou não para dar raiva?

Kelly e Jay se uniram e conseguiram chegar antes da polícia. Só que o tiro acabou sendo recíproco e Jay acabou baleado, mas tudo bem, o que mais doeu foi o sermão de Voight.

O meu trabalho é manter vocês vivos. Eu faço meu trabalho, e você deve fazer o seu, obedecer minhas ordens! – Voight.

Jay não está bem, Rusek e Antonio também não. Ninguém está bem, e como essa equipe vai se recuperar? Trabalhando…

[youtube]https://youtu.be/BjTaVAsQyGc[/youtube]

Não deixe de ler a Parte 1 e 2 do crossover. Confira os links abaixo:

Crítica – Chicago Fire 7×02

Crítica – Chicago Med 4×02

Caroline Marques

Caroline Marques

Engenheira de Alimentos, mestre em química de alimentos, um tanto quanto viciada em séries, filmes e livros. Fã de Hannibal, Dexter, Grey's Anatomy, Demolidor, Sherlock e Stranger Things. Reviewer de Chicago PD.

3 comments

Add yours
  1. Avatar
    Vanessa Sales 8 outubro, 2018 at 09:48 Responder

    Senti falta de mostrarem como ocorreu o incêndio. Ficou meio confuso como tudo aconteceu.
    Jay teve o protagonismo que eu pedi ?
    Poderiam trazer a irmã da Burguess.
    Como meu pedido de protagonismo pro Jay funcionou,agora quero que Atwaker tenha um história pra chamar de sua(que não envolva morte e sofrimento pro pobre coitado).
    No geral foi um ótimo crossover. ?

  2. Avatar
    Katherine ღ 8 outubro, 2018 at 18:23 Responder

    Sim, eu fui uma das pessoas q se decepcionou em como o caso foi resolvido, foi tudo muito simples.
    Mas SIM eu gostei da atenção ao Jay! Eu vi muitos comentários sobre ele estar chato no BS, mas cara se coloca no lugar dele, e se fosse seu pai, nao tem como ser racional num momento desse, se fosse meu pai eu ia agir na raiva tbm.
    Agora vendo pelo lado racional ele tomou atitudes impensadas e poderia ter dado merda….
    O final, a Upton abalada com medo de ter perdido o Jay, depois o Jay vendo a foto q o pai gaurdava, fiquei de coração apertado. =(

    Voltando a questao das tramas dos personagens, isso é um problema q CPD nunca soube dosear bem, eles soltam detalhes q nos fazem esperar aquilo ser explorado e depois fica totalmente esquecido no churrasco, exemplo do q pareceu uma recaída entre Ruzek e a Burgess temporada passada, e ai depois? O q houve? Pelo visto nunca saberemos, sr Pinto Lobo parece q esquece de desenvolver coisas q ele coloca assim ashuahsuahs mas enfim…

    E a parte profana q nao podia deixar de comentar, o Jay sempre usa polo, e olha a diferença qdo ele vestiu uma diferente? Ele tava UM DELICIA! *o* kkkkkkkkkkkk

Post a new comment