Crítica: Law & Order: SVU buscou algo ousado, mas tropeçou no 21×19

Solving for the Unknowns, Law & Order - SVU

Lembram do que comentei na semana passada? Zona de conforto não deve ser sinal de falta de criatividade ou preguiça. Pois bem, nesta semana Law & Order: SVU parece ter seguido o meu conselho e foi aos confins da internet para buscar ideias.

O problema é que, embora eu aprecie esse pensamento fora da caixa, nem o próprio roteiro conseguiu entender qual era a proposta, apresentar uma solução e ter uma mensagem positiva ao final. Mesmo assim, tivemos alguns bons momentos, mas que foram ofuscados por problemas que, ainda neste texto, vamos comentar.

Quem está comigo? Lembrando que quero, e muito, saber da sua opinião na parte dos comentários.

Solving for the Unknowns, Law & Order - SVU

Imagem: NBC/Divulgação

Continua após a publicidade

A problemática de Solving for the Unknowns começa quando um mulher bate seu carrinho de cupcakes num carro da polícia de Nova York. Mas que diabos, ela não viu o carro? Bastante desorientada, ela desce do carro e é levada para delegacia onde espera, juntamente com outras suspeitas de outros crimes, a audiência de custódia no dia seguinte. Diante do juiz e após declarar-se inocente, ela lembra-se o que aconteceu na noite seguinte: foi estuprada.

O problema é que o exame de corpo de delito mostra que não houve violência sexual e não há mais provas que apontem nessa direção. É aí que aparece outra mulher que, assim como a primeira, não se lembra do que aconteceu  e afirma ser vítima de estupro.

Qual é o plano?

Solving for the Unknowns, Law & Order - SVU

Imagem: Heidi Gutman/NBC

Lendo essa síntese, parece ser uma proposta muito interessante para um episódio de Special Victims Unit, não concorda? Certamente. O problema é que não há qualquer desenvolvimento da história.

O roteiro mostra-se, desde o princípio, preso ao formato engessado de: crime – investigação – prende bandido – comemora com a vítima. Tal sequência impede que algo realmente ousado e fora da caixa seja feita num momento que a própria narrativa pede algo singular e inovador. Vejamos sob a perspectiva da droga que o suspeito utiliza para dopar suas vítimas.

Em nenhum instante há a tentativa de entender que droga é essa. Ela é nova? Parece que sim porque é isso que a Olivia repete centenas de vezes. Ela vem da Suécia? Há outros crimes no banco de dados no departamento com tais descrições? Como solucionar crimes onde esse tipo de droga é utilizada? Não sabemos porque não há qualquer pretensão em explorar esse ângulo. Sei que esse não é o Law & Order: Narcotics Unit onde uma aula sobre narcóticos seria devida. Mas qual razão de abrir essa possibilidade? É frustrante deixar o telespectador pedindo e desejando por mais.

Além disso, no começo do episódio, descobrimos que Rollins será promovida. Maravilha. Mas nada, absolutamente nada, é falado após esses cinco minutos iniciais. Qual seria a necessidade? Anunciar, esquecer e depois relembrar no Season Finale quando convém? Não parece adequado, muito menos demonstra qualidade ou projeto de futuro para uma produção que ficará no ar, pelo menos até o final da temporada de 2024. Law & Order: SVU.

Nota do Episódio7.5
Cheio de boas ideias, roteiro de Law & Order: SVU erra ao se apegar a velhas estruturas, não ter visão e limitar-se ao mais do mesmo.
7.5
Avatar

Bernardo Vieira

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.

1 comment

Add yours

Post a new comment