Crítica: New Amsterdam estreia 2ª temporada com mortes, tristezas e recomeços

Reviravoltas marcaram o começo de temporada de New Amsterdam

Os fãs que acompanharam a primeira temporada de New Amsterdam certamente ficaram com o coração final, nos instantes finais do último episódio. Isso porque, a ambulância que carregava parte dos personagens principais foi atingida em cheio. Dentro dela, a Dra. Bloom, Dra. Sharp, Max e Geórgia com a bebê Luna, ficaram com seus destinos incertos após o trágico choque. Assim, o primeiro episódio do segundo ano, que estreou nos EUA pela NBC no fim de setembro, tratou logo de investir nestes questionamentos.

Acontece que a premiere brincou um pouco com o público, revelando aos poucos quem havia sobrevivido. Max, obviamente, era o mais certo de escapar ileso. Só que a estratégia do episódio foi avançar três meses, intercalando com que estava acontecendo no futuro, e no dia do acidente. Obviamente, um evento traumático não poderia ser esquecido assim, e vimos que o impacto na vida de Max é grande. A todo momento, ele lembrava do que aconteceu, e a resposta disso tudo foi se jogar no trabalho. Como sempre, a frase “Como posso ajudar?” tornou-se a sua arma secreta.

Vidas em jogo

A medida que os personagens iam sendo revelados, descobrimos o que aconteceu com cada um deles. No caso do já citado Max, por exemplo, descobrimos que seu câncer está quase curado. E isso é uma excelente notícia, que foi recebida pelo médico com um tanto de receio. Vestígios do acidente, ou não, Max é agora uma versão um pouco diferente do médico sorridente que estávamos acostumados.

Já Bloom teve uma mudança significativa em sua vida e literalmente quase morreu. Três meses depois, descobrimos que ela ainda tem uma séria lesão nas pernas e que ela sente muitas dores. Lembramos que a médica teve problemas com vício em medicamentos, então tomar algo para dor realmente não deve ser a melhor opção para ela neste momento.

No episódio também tivemos uma participação interessante do Dr. Reynolds, que tornou-se uma espécie de âncora para momentos insuportáveis. Talvez, pela falta de carisma, o personagem sempre se saía como o rabugento da trama. Mas nesta segunda temporada, mesmo com uma forte tendência a continuar assim, ele tem a chance mergulhar em uma boa história. Aqui, ele dispensa um interno, para depois entender que cometeu um erro. Logo depois de recontratá-lo, o interno passa a desafiá-lo, chegando a mencionar que um dia poderá “pegar” o emprego de Reynolds. Talvez, o médico tenha se visto no aluno e isso tornou tudo muito atrativo em sua storyline.

A grande jogada de New Amsterdam

Uma das reviravoltas no episódio de New Amsterdam que mais impactou, de fato, foi a revelação de quem morreu. Isso porque, até o fim, todos que estavam na ambulância se mostraram a salvo. A grande jogada, entretanto, foi quando vemos que um deles na verdade não se salvou. E trata-se de Georgia, a esposa de Max. Todos os momentos em que ela aparece, sã e salva, na verdade, é fruto da imaginação de Max. Logo depois, vemos que ele entrou em choque ao descobrir que a amada morreu devido aos graves ferimentos do acidente, somado as complicações que ela teve no parto de Luna.

Sem dúvidas, esse é um grande divisor de águas para New Amsterdam. Além disso, foi de partir o coração ver Max imaginando uma vida feliz, ao lado da amada, com o público sabendo que isso não irá acontecer. Mais uma vez, a série também joga com as possibilidades. Max tinha um câncer grave e Georgia uma complicação na gravidez. Ele sobreviveu ao câncer e ela acabou sendo morta pelo acidente. Vale ressaltar, também, que isso de alguma forma abre os caminhos para que Sharpe e Max tenham algum tipo de romance no futuro. Matar Georgia foi necessário, uma vez que o público passou a gostar da personagem. Sua morte teve peso, mas pareceu ser planejada. Só que o caminho que Max e Sharpe terão de seguir será doloroso e inconstante.

A falta do luto

O segundo episódio da temporada, basicamente, deixou isso claro. Max quase não fala mais com Sharpe, como forma de limitar suas dores sentimentais. Além disso, ele se jogou de tal forma no trabalho que ele tenta não lembrar do que aconteceu com ele. O Dr. Kapoor, detalhista como sempre, chegou a notar essa questão e ficou incomodado. Tentou ajudar o amigo, mas acabou sendo em vão.

Max ensaiou uma abertura de sentimentos, ao revelar para o colega de hospital que sofre diariamente com a perda de Georgia, mas que agora ele precisa jogar suas forças como nunca no trabalho. Só que até onde irá essa camuflagem do luto? Detalhe: no fim do segundo episódio, vemos que Max ainda continua imaginando Georgia em casa com Luna. Logo, é como se ele tivesse criado alucinações, e isso vem evitando que ele encare o luto, uma vez que ele ainda não conseguiu sentir o impacto da ausência de Georgia. Certamente, a logo prazo, isso será prejudicial a Max.

 

A segunda temporada de New Amsterdam começou bem, exatamente no ritmo que a primeira temporada foi conduzida. Estamos empolgados pelo o que está por vir pela frente, e vocês?

Nota dos episódios9
Crítica dos dois primeiros episódios da segunda temporada de New Amsterdam, exibida nos EUA pelo canal NBC. Segunda temporada ainda não estreou no Brasil.
9
Anderson Narciso

Anderson Narciso

Mestre em História, apaixonado por mídias, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias, escreve a coluna 5 Razões e resenha a série Gotham.

No comments

Add yours