Critica: 2ª temporada de A Ordem é divertida e expande mitologia da história

Critica A Ordem 2 temporada

A Ordem: Novas sociedades secretas disputam por magia e poder

O drama teen sobrenatural da Netflix, A Ordem, está de volta. A série sobre sociedades secretas, batalhas envolvendo magia, bruxas e lobisomens que ocupam um campus universitário em segredo aposta mais alto nos novos episódios.

Continua após as recomendações

A primeira temporada agradou o público e a Netflix tratou de renovar a série, apesar de uma estreia modesta e com alguns problemas. Mas a segunda temporada parece ter reconhecido os erros e se concentrou no que deu certo, então, os novos episódios são melhores e mais interessantes.

Para quem não se lembra, a primeira temporada mostrou Jack Morton (Jake Manley), um calouro da Universidade de Belgrave com plano de vingar a morte da mãe se aproximando do pai que não o conhece. O campus abriga uma antiga sociedade secreta de magia conhecida como “A Ordem Hermética da Rosa Azul”. O pai de Jack é o Gran Mago da organização e se revela o grande vilão da história.

Continua após a publicidade

Jack foi convocado para a ordem, mas também foi escolhido por uma pele de lobo de um antigo cavaleiro. Na história, lobos e bruxos são inimigos mortais. O jovem transita entre os dois núcleos e se apaixona por Alyssa Drake (Sarah Gray), uma acólita promissora da ordem. Após algumas aventuras e perigos, Jack derrota o vilão. Mas no final, a ordem apaga a memória dele e de seus amigos lobos. Dito isto, a segunda temporada de A Ordem retorna com um pequeno salto temporal.

Os Cavaleiros de São Cristóvão ganham mais destaque

O tema vingança ainda faz parte da trama, mas agora o desejo é movido por outros motivos e existem novos personagens buscando vinganças pessoais. Os lobos começam a nova temporada sem memória e cada um com um monitor pra garantir que não se lembrem de nada. Mas isso não dura muito e logo são recrutados novamente pela ordem.

Os Cavaleiros continuam sendo inimigos mortais dos membros da Ordem e ainda que elaborem um plano de vingança por terem roubado suas memórias e suas peles de lobo, as coisas saem do controle devido a interferências inesperadas. Os dois clãs precisam continuar trabalhando juntos para garantir a segurança de todos.

Randall (Adam DiMarco), Hamish (Thomas Elms) e Lilith (Kawennáhere Devery Jacobs) ganham mais espaço nos novos episódios de A Ordem e seus respectivos relacionamentos ajudam a desenvolver seus personagens. O casal Alyssa  e Jack precisa lidar com muita coisa e superar algumas traições e decisões duvidosas para conseguir ficar junto. Vera Stone (Katharine Isabelle) ainda é a toda poderosa dentro da organização, mas encara algumas surpresas e traições.

Novas sociedades secretas despertam rivalidade

A revelação de outras sociedades secretas foi uma jogada interessante nessa temporada. Cada uma tem sua própria metodologia e ideologia. Isso permite que a série explore ainda mais as origens das sociedades e a rivalidade que existe entre elas. Ao mesmo tempo, amplia o universo da série entregando para o espectador que ainda existe muito a ser explorado nesse mundo mágico.

Filhos de Prometeu, diferente da Rosa Azul, lidam com a natureza e as conexões psíquicas entre seus membros. Enquanto a Práxis tem o objetivo de distribuir magia livremente para quem quiser sem pensar nas consequências que isso pode ter. Da rivalidade surgem novos problemas e Jack e seus amigos ficam bastante ocupados.

Considerações finais

A Ordem apresenta pequenas aventuras divididas em duas partes para contar suas histórias. Somente no final o verdadeiro inimigo é revelado, conectando todos os acontecimentos estranhos que ocorrem ao longo da temporada. Mas essas conexões são mera conveniência. Algumas delas não fazem muito sentido ou não tem explicação. A passagem de tempo é outra questão que ainda pode incomodar. Não existe uma clareza sobre o avanço exato da trama.

No entanto, a segunda temporada se mostrou muito mais empolgante e divertida de acompanhar. Os novos episódios não focam somente em Jack, trazendo um desenvolvimento maior dos outros personagens. A série continua apostando no humor, principalmente através do personagem Randall. Referências a cultura pop e piadas tornam a série leve. Tem até uma brincadeira com a participação do pessoal de Barrados no Baile (Beverly Hills 90210).

A trama avança em explorar a mitologia da série apresentando mais magia e ação. O efeitos visuais estão um pouco melhores. Diferente da primeira temporada que toda ação era concentrada em um vilão, nos novos episódios, Jack e seus amigos precisam lidar com diversos problemas. Mesmo não entregando uma trama mais madura e sombria, os novos episódios divertem.

Sem entregar spoilers, o final da temporada é bem agitado, com consequências para todos. Todos os personagens têm um final aberto que abre novas possibilidades para o futuro da série. Jack e os outros terão de lidar com muitas mudanças. É bem provável que a série seja renovada para mais uma temporada e com isso tenha a chance de explorar mais os segredos das organizações secretas

A segunda temporada de A Ordem já está disponível na Netflix, confira trailer abaixo.

Nota da temporada7.5
Crítica da segunda temporada da série A Ordem, produção original Netflix.
7.5
Tags A ordem
Yuri Alves

Yuri Alves

Bacharel em Direito, fascinado pelo universo dos heróis e um viciado por séries e filmes. Um escritor a procura do meu espaço. Amante dos livros e da boa música. Adoro realitys. A série da minha vida , The OC. No Mix, sou responsável pelos textos de algumas séries como, Blindspot , Ozark, La Casa de Papel entre outras. Quando não estou no cinema ou maratonando uma série estou me aventurando na cozinha.

No comments

Add yours