Crítica: Serial killer e tráfico de garotas fizeram bom episódio de FBI

Imagem: Divulgação/CBS

Engrenou… A série finalmente engatou a primeira e foi!

Grande episódio pode tirar da lama a curta reputação de FBI. Um episódio de Serial Killer, que há tempos não passava na minha lista de séries, deu importância para esse time do FBI. Prey trouxe uma narrativa inteligente, que não foi ao óbvio e fez os parceiros Mag e OA brilharem.

Caso extremamente complicado, que começou com uma garota quase morta aparecendo do nada em uma casa nos arredores ricos da cidade. O local levou a uma procura, de onde aquela garota tinha saído. 18 corpos foram encontrados e começa uma caçada. Trata-se de um assassino em série, irregular e sem motivos óbvios? As pistas começaram a se unir quando descobriram que a garota que havia sobrevivido era ucraniana. Além disso, todos os corpos tiveram uma tattoo retirada. Marcavam as garotas como gado, e depois que algo desse errado, retiravam e matavam.

Mas isso foi obra, sim, de um sádico, uma única pessoa, que não configura na ordem dos humanos. Ele com certeza fazia por diversão, prender, estuprar, causar dor, vender e depois matar aquelas garotas. Difícil acreditar na bondade humana vendo episódios assim, mas mantemos a fé.

Continua após a publicidade

O time deu um show de sincronia e esteve bem conectado

Dana continua se apresentando mais como amiga do que chefe, tomando decisões facilmente justificáveis. Não parece mostrar preferências e continua a liderar com maestria. Ela escuta, uma líder que escuta e elogia. Mas eu estou sempre esperando um bote dela, tomara que eu esteja errada. Jubal, incrível, esse homem consegue trabalhar nesse ambiente com um humor maravilhoso. Kristen é a mágica do TI, sempre tirando da cartola algoritmos e softwares incríveis. Até que o desse episódio não foi tão extravagante.

OA sendo o melhor parceiro para Mag em duas ocasiões foi ótimo. Eu tenho um palpite, que no final eles irão revelar que ele é um robô, o novo agente do FBI com IA. Vocês já notaram como ele se move? Parece uma dança, o rei da postura, fico boba. Ele já havia demonstrado uma bagagem bem pesada episódio passado, e nesse confirmamos, ele é bom no tiro e na luta.

Além disso, ficamos desconfiados que Mag é muito mais do que parece ser. Super perspicaz, antenada em vários aspectos observativos do caso, fazendo deduções e tirando conclusões rápidas e assertivas. Acredito que tenham muito o que revelar dela, do motivo dela estar ali, se ela era investigadora, inteligência, sei lá… Mas pareceu muito que ela tem toneladas de experiências com assassinatos.

Agora me animei com a série, que venha mais FBI. 

Tags FBI
Caroline Marques

Caroline Marques

Engenheira de Alimentos, mestre em química de alimentos, um tanto quanto viciada em séries, filmes e livros. Fã de Hannibal, Dexter, Grey's Anatomy, Demolidor, Sherlock e Stranger Things. Reviewer de Chicago PD.

No comments

Add yours