Crítica: The Flash tem ótimo final para temporada mais fraca com 5×22 “Legacy”

A quinta temporada de The Flash foi uma longa jornada de altos e muitos baixos

Foi um grande exercício para os roteiristas de The Flash manterem a narrativa pouco consistente através de um vilão com pouca substância. Sua season finale por outro lado conseguiu muito bem amarrar essa longa temporada e resetar a história para o que virá a seguir. Com muita ação, sacrifícios e momentos tocantes, o episódio soube dar a cada personagem o seu momento.

Continua após as recomendações

Duas partes, dois vilões

Legacy” foi uma finale dividida em duas partes. A primeira metade serviu para concluir de vez a trama de Cicada, o vilão deste quinto ano. Cicada, seja Orlin ou Grace, foi o primeiro grande vilão que realmente não funcionou em The Flash. Foi incapaz de carregar uma temporada inteira em torno de si, o que a deixou arrastada. Ao menos a sua conclusão valeu a pena.

Por mais que o embate visto nesse episódio tenha mostrado que algo parecido poderia ter acontecido mais cedo na temporada, foi um embate empolgante. Foi pelo menos uma boa conclusão para a história de Cicada, em termos de ação, efeitos especiais e direção. Seu fim então abriu espaço para o verdadeiro antagonista do ano.

Continua após a publicidade

A segunda metade do episódio foi o aguardado épico confronto entre Flash, Nora e o Flash Reverso. E também de todo o time Flash. Não há como negar que Eobard Thawne é o melhor vilão de The Flash. É ele quem faz valer a penar assistir a essa quinta temporada. Seus poderes combinado com sua mente perversa é capaz de realizar os planos mais complexos do multiverso. Somado a isso temos o talentosíssimo Tom Cavanagh dando vida mais uma vez a esse grande vilão. Sua impressionante habilidade de carregar uma cena é quem trouxe o brilho que essa finale precisava. Tom é um verdadeiro camaleão quando se trata das varias versões de um mesmo personagem, mas é como vilão que se destaca.

Despedidas em The Flash

O restante do episódio mostrou algumas despedidas e estabeleceu potenciais futuros arcos. Sherloque se despediu e Ralph voltou a trabalhar como detetive. O personagem não acrescentou muito a temporada, mas teve sua melhora em comparação a quarta temporada.

Tivemos então a rápida despedida de Cisco do elenco fixo. Ao longo da temporada foi notável como Carlos Valdes andava insatisfeito, o que acabou se refletindo em seu personagem. Mas fico ainda mais descontente que a saída encontrada foi fazê-lo tomar a cura. Não vimos o personagem se despedir de seus amigos, com exceção de Caitlin, mas as cenas se tornaram marcantes graças a Carlos Valdes. Vibro era um herói importante para o grupo e teremos que ver a saída que os roteiristas encontrarão para sua ausência e possíveis participações futuras.

Nora foi uma personagem agridoce para The Flash. Jessica Parker Kennedy fez o seu melhor como Nora, mas a personagem não teve a abordagem merecida culpa de roteiro e direção por torná-la infantil demais. Neste episódio, no entanto, vimos uma lado emocional que se mostrou a melhor participação da personagem na série até aqui. Prova de que em termos de drama, a atriz sabe dar seu melhor. A despedida de Nora foi tocante e marcou bem o final desse quinto ano. E as cenas trouxeram também o melhor de Grant Gustin e Candice Patton. Nora foi apagada da linha do tempo, o que indica que dificilmente voltaremos a vê-la na série em breve.

Fim de temporada

Essa season finale foi o melhor episódio da temporada. Nos deu um final satisfatório para o arco da história e ótimas batalhas para ambos os vilões, Cicada e Flash Reverso. A primorosa direção de Gregory Smith tornou o episódio interessante do começo ao fim. Tirou o melhor que o episódio poderia dar: ação, dramaticidade e ótimas atuação. Os efeitos visuais também foram um grande destaque, o melhor da temporada. Um final sólido para uma temporada insatisfatória.

Para finalizar, além da insinuação de Thawne, a cena final, enfim, confirmou a mudança de data da Crise nas Terras Infinitas. Não sabemos o que será da sexta temporada, muito menos o que será da série após a Crise. Mas a esperança que fica é de que The Flash volte com um novo ano melhor.

Imagem: The CW/Divulgação

CURIOSIDADES:

– Thawne lembra que Ralph deveria estar morto, referência ao episódio 1×07 “Power Outage”. Nele vemos Thawne como Dr. Wells dizendo que Ralph foi uma das pessoas mortas no acelerador de partículas. Ralph voltou a vida quando Barry criou o Flashpoint.

– Cisco menciona Lady Gaga para acordar Ralph, assim como fizeram com Barry no episódio piloto, em 4×01 “The Flash Reborn”e 5×18 “Godspeed”.

– Ao final do episódio, Ralph analisa um arquivo com o nome “Dearbon”. Nos quadrinhos, Sue Dearbon se torna esposa de Ralph Dibny, passando a se chamar Sue Dibny. A personagem é morta durante a saga Crise de Identidade em 2004.

– Thawne menciona que foi a segunda vez que ficou preso em algum lugar por 15 anos. A primeira foi nos eventos entre 2000 e 2015.

– A habilidade que Thawne mostrou de se dividir em dois, é um poder característico de Godspeed nos quadrinhos. Mas ao fazer isso o vilão se torna mais fraco.

Nota do Episódio9.5
Review do vigésimo segundo episódio da quinta temporada de The Flash, da Thw CW, intitulado "Legacy"
9.5
Tags The Flash