Crítica: The Good Doctor traz retorno impecável com despedidas não tão fáceis…

Imagem: ABC/Divulgação

Continua após as recomendações

Olha, é difícil não esconder a emoção por este retorno…

Depois de uma primeira temporada tão bem orquestrada, a série apresenta um segundo ano promissor. Tivemos um episódio de despedidas e retornos, todos de grande impacto. Mesmo com uma tristeza de ver Jared Khalu e Jessica Preston partindo, acredito no potencial de roteiro e produção da série.

Dizem que não se mexe em time que está ganhando e The Good Doctor deve assumir essa posição. Temos sempre que angariar novos nomes para nossa equipe médica e os que estão por aqui possuem esse potencial. Nossa equipe de residentes consegue trazer a tona todas as situações esperadas dentro de um ramo tão competitivo. Não será a primeira ou a última vez que veremos essa situação em uma série médica, mas é bacana trabalhar as diferenças.

Continua após a publicidade

Tudo pode estar novo, mas nosso sentimento ainda é o mesmo

Baseado nesta posição que o corpo do hospital acaba de girar o jogo dos tronos – entendeu a referência? A nova posição de dr. Marcus no hospital veio atualizar as definições de ranço. Já quero ele destituído ainda nessa temporada e Glassman indicando Melendez para o cargo. O novo chefe da cirurgia conseguiu demonstrar que estávamos todos errados no início da temporada passada e que, sim, ele é uma boa pessoa. Inclusive, com a saída de Khalu e Jessica, tudo indica que o relacionamento com Claire está cada vez mais próximo.

É difícil falar de um episódio e não enaltecer o brilhantismo de Freddie Highmore – claro né, ele é protagonista… Mas mesmo se fosse um mero coadjuvante, saberíamos que ele roubaria a cena. O ator consegue passar tão bem a angústia e os sentimentos confusos que nos traz toda a empatia. De um psicopata em Bates Motel, passando pela fábrica de chocolate e aterrissando como nosso médico autista. Todos seus trabalhos possuem um valor muito grande na vida dos amantes da sétima arte. Aquele momento no lixão em que ele procura Harry incansavelmente, com todos os barulhos ao seu redor… cara, eu fiquei muito angustiado e acredito que não fui o único.

Imagem: ABC/Divulgação

Falando um pouco de Harry, tivemos dois casos bem curiosos essa semana. Melendez pegou a menina dos olhos de ouro do hospital. Acho um absurdo essa midiatização que é feita sobre casos. Falo isso porque não é meramente um episódio que se apresenta dessa forma. Sabemos da existência de hospitais em todo o mundo que utilizam de seus pacientes para movimentar ainda mais sua economia. Isso traz uma desesperança gigantesca… Mas o caso foi curioso, bem orquestrado e com uma solução curiosa.

Enquanto isso, Shaun e Khalu dividindo as esperanças de um diagnóstico certo e a correlação com o quadro de Glassman. Foi incrível ver a dinâmica entre os dois e Jared fez mais em um episodio que na maioria da última temporada. Claro que deram essa possibilidade por ser sua última aparição até segunda ordem. Pelo menos foi interessante terem colocado ele aqui para essa despedida.

Iniciamos um ano de grandes possibilidades…

Vamos fechar falando de esperanças? Primeiro a de ver Dr. Glassman presente em nossas vidas por mais 500 temporadas se preciso for. Sei que essa é uma das maiores dificuldades do fã de The Good Doctor. Aceitar que o tempo está passando e podemos não tê-lo pra sempre ao lado de Shaun. Na verdade, a empatia que criamos pela amizade dos dois nos faz pensar assim.

Por outro lado, temos o retorno de Lea. Sim, meus caros, nossa queridinha está de volta, só não sabemos por quanto tempo. Espero que ela possa dar o amparo a Shaun nesses momentos difíceis e que ela tenha criado um pouco de juízo, mas só um pouco… Afinal, nosso médico precisa de alguém que movimente sua vida e o faça ver sempre o melhor. Lea cumpre esse papel e fecha um episódio incrível com um “hello“.

É difícil prever como o futuro de The Good Doctor será conduzido, mas pela promo do próximo episódio, acredito que temos muita emoção pela frente. Vou deixar uma palinha aqui para vocês conferirem e aguardo todos na próxima semana para mais uma review. Até lá! 😀

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=6f_dqU4_IVc[/youtube]

1 comentário

Adicione o seu
  1. Avatar
    Amanda 29 setembro, 2018 at 12:45 Responder

    Shaun é tão precioso, dá vontade de colocar em um potinho e proteger. Mas é muito interessante ver a forma com que ele amadureceu, como ele aprendeu a lidar com as coisas da vida real. Fico curiosa para saber como ele conseguiu concluir a Faculdade, já que não é algo fácil. A forma com que conduziram a série também é sensacional, eu sou apaixonada em como ele descobre as coisas do nada, tipo, quando ele vai jogar uma bolinha de papel feita com uma página do livro – como leitora compulsiva, me doeu o coração ele arrancando aquela página, que crueldade. Amei o retorno da Lea, vou sentir falta do Khalu, e aprendi a gostar do Doutor Melendez, sou 100% #TeamMelendez tanto para um possível relacionamento com a Clarie, quanto para uma futura Presidência.
    Espero que tenha alguma explicação para a saída da Jessica, já que ela é tão importante para o Doutor Glassman, principalmente nessa fase da sua vida.

Post a new comment