Crítica: The Resident estreia segunda temporada com episódio eletrizante

Imagem: Divulgação/Fox

The Resident retornou para segunda temporada melhor do que nunca…

Um sucesso é um sucesso. Prova disso é que The Resident retornou mais cedo do que se esperava. Produzida para ser uma série de mid-season, estreou no começo deste ano e fez uma primeira temporada bem envolvente. Diferente de tudo que a TV se propõem a fazer com as séries médicas, a trama focou em histórias intrigantes, mostrando a “parte feia” da medicina norte-americana.

Em sua segunda temporada, o drama promete agitar ainda mais o horário nobre. Pelo menos foi isso que sua premiere deixou a entender.

Com um episódio que trouxe os melhores ingredientes da primeira temporada, tivemos um retorno que focou na emergência em seu nível máximo, do jeito que só The Resident sabe fazer.

Chastain Park em colapso

Em “00:42:30“, os médicos passam por uma situação extrema, quando a cidade enfrenta uma grande tempestade. E quando as luzes do hospital começam a falhar, o que tinha tudo para ser um black out se revela um ataque cibernético.

Ok, acho bem genérico essa história de ataque. Grey’s Anatomy, Chicago Med, entre outras séries médicas, já mostraram tal situação. Mas, acredite, é algo mais comum do que se imagina. Um estudo recente mostrou que 49% dos hospitais norte-americanos já sofreram ataques cibernéticos. Principalmente com a popularização do bitcoin. Logo, para uma série que se propõem mostrar mais a realidade do sistema de saúde, nada mais justo do que ter um episódio assim.

E o interessante é  que The Resident usou a história a seu favor, algo que não foi muito bem desenvolvido pelas séries citadas acima.

As tramas de praticamente todos os personagens estiveram envolvidas com a limitação do hospital, sob ataque, provando que o médico precisa estar pronto para qualquer situação de risco.

Continua após a publicidade

O caso de Mina e AJ foi um dos melhores: um bebê, prematuro, que precisava de um reparo em seu coração. Eles precisaram lidar com o fato de que os riscos já eram grandes, pelo fato do nascimento precoce, e quando a luz falta no meio da cirurgia o meu coração disparou. Foi interessante ver que, naquela ocasião, até Mina estava disposta a quebrar todos os protocolos possíveis. No final, tudo deu certo, e de quebra ainda tivemos uma tocante cena onde o bebê toca no irmão gêmeo na incubadora, mostrando que ele sentia falta do companheirismo que tinha no útero da mãe.

Dr. Bell continua disposto a infernizar a vida de todos!

Mesmo com sua comparsa tendo sido presa – e talvez enfrentando a pena de morte, como foi dito nos noticiários -, o Dr. Bell continua o mesmo mesquinho de sempre. Aquele tipo de profissional que dá nojo trabalhar.

Durante o ataque, ele até tentou se mostrar pró-ativo, e pronto para ajudar. Mas ele estava mesmo era fiscalizando para ver quem mais estava quebrando protocolos, a ponto de usar isso como uma vantagem ou moeda de troca. O caso mais explícito foi com Conrad, que se envolveu em cirurgia completamente precária.

O problema mais grave, entretanto, foi que Conrad abriu o paciente sem autorização. Ele não é cirurgião e o abriu no meio do corredor. Mas o paciente tinha poucos segundos de vida e o seu gesto o salvou. Mas parece que Bell sacou tudo e está disposto a usar isso contra o nosso residente. Principalmente porque o pai do Dr. Hawkins está rondando a carniça e deverá cortar o barato de Bell em breve.

Personagens se mantiveram fieis à sua essência

Gostei que os personagens de The Resident não se diferenciaram muito do que vimos na primeira temporada. Conrad continua um “artilheiro” no campo médico. O Dr. Pavesh, sempre disposto a ajudar, e ainda embelezado por poder salvar vidas. Nic, prestativa e sempre atenta tudo a sua volta. Mina e AJ com uma confiança extrema a ponto de colocá-los em qualquer situação, mesmo que isso resulte em algo catastrófico.

Adorei que a presença de cada personagem foi dosada, e isso inclui a relação de Nic e Conrad, que deverá ser explorada na medida certa. Nada de dramas pessoas extensos como Grey’s Anatomy. Aqui em The Resident, temos tempo apenas para uma rapidinha no chuveiro – que nem pôde ser finalizada por causa de um chamado de emergência.

Continua após a publicidade

No final do episódio, descobrimos que o hacker estava dentro do hospital. Na verdade, era uma ex-paciente fingindo estar doente para apenas conseguir dinheiro, uma vez que ela havia perdido o emprego devido as altas contas do Chastain Park.

Como se ela tivesse tentado dar o troco. Achei um pouco forçado que Nic e Conrad ainda a tenha ajudado, negociando uma “vista grossa” com Bell. Afinal, ela colocou em risco muitos pacientes.

Sinto que, de alguma forma, esse “favor” será cobrado. E parece que não demorará muito, afinal, Bell pareceu empenhado em descobrir se Conrad cortou o paciente no corredor, antes do cirurgião chegar. Se vai dar problema? Ah, se vai…

Bem vinda de volta, The Resident. A TV precisava de você, e nós também!

Share this post

Anderson Narciso

Anderson Narciso

Mestre em História, apaixonado por mídias, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias, escreve a coluna 5 Razões e resenha a série Gotham.