Crítica: Troco em Dobro é mais um acerto da Netflix

Troco em Dobro Netflix

Troco em Dobro é o mais novo filme da Netflix

Na última sexta-feira (06), chegou à Netflix o filme Troco em Dobro. A produção original da plataforma traz Mark Wahlberg como protagonista, na pele de Spenser.

O personagem é um policial de conduta ética e que, após confronto com o chefe de polícia John Boylan (Michael Gaston), acaba sendo preso. Cinco anos depois, Spenser finalmente é solto, mas não pode mais exercer sua função. Ele não vê outra alternativa, a não ser recomeçar sua vida como caminhoneiro em outro lugar.

Quando a previsibilidade é um ponto forte

A partir do momento que o protagonista volta para casa, Boylan é misteriosamente assassinado. Coincidência, não? A previsibilidade já começa aqui, uma vez que isso já foi utilizado em outras produções do gênero.

Como se não bastasse, Spenser agora tem um novo colega de quarto, Gavião (Winston Duke). O que acontece de imediato? Os dois não se bicam, é claro. Totalmente opostos um do outro, o ex-policial começa a se aproximar do rapaz aos poucos, uma vez que o ensina a melhorar suas habilidades com luta.

Continua após a publicidade

Dinamismo no roteiro e a ligação dos pontos

Spenser deixa de ser suspeito com a morte de outro policial, inclusive seu ex-parceiro do passado. Terrence (Brandon Scales) é assassinado também, no entanto, a informação é que o mesmo cometeu suicídio, após supostamente ter matado seu chefe.

É nesse momento que nosso protagonista corre atrás de ligar os pontos. Wahlberg já é especializado em produções do gênero, e talvez por isso ele estava tão à vontade no longa. Seu personagem pega a experiência adquirida durante anos na polícia, para solucionar as duas mortes.

O dinamismo apresentado aqui foi muito interessante, pois não ficou algo maçante, muito pelo contrário. A cada descoberta de Spenser, uma reviravolta diferente acontecia. Isso sinceramente me prendeu do começo ao fim.

Tudo foi dosado na medida certa, tantos os momentos de ação e suspense, quanto de humor. A parte cômica foi muito bem trabalhada. Além de Falcão, que apesar daquele tamanho todo, ser um rapaz de coração enorme e com algumas atitudes um tanto quanto ingênuas, outros dois elementos ali foram fundamentais.

Henry (Alan Arkin) e Cissy (Iliza Shlesinger), apesar de papeis coadjuvantes, conseguiam roubar a cena toda vez que aparecia. A loira principalmente, como a ex de Spenser, que não havia esquecido-o totalmente, conforme deixou claro em algumas partes.

O encaixe do quebra cabeça foi outro ponto forte

No meio de tanta pancadaria e de Spenser apanhando incansavelmente, aos poucos tudo foi se ligando. As duas mortes, assim como sua prisão, acaba sendo mostrada que têm ligações, através de um assassinato do passado.

A sensação de justiça no personagem era grande desde sempre, mas com a revelação tudo ganha mais sentido. No entanto a peça fundamental veio com quem estava por trás de tudo isso, mostrando outro fator clichê. Policiais corruptos, ligações à grandes facções criminosas voltada ao tráfico é algo também que já vimos várias vezes tanto em séries quanto filmes. Entretanto posso convir que a forma como essa trama foi construída achei tudo mais interessante.

Desfecho de tudo, o que vem pela frente?

Spenser conseguiu não apenas inocentar Terrence após sua morte, como derrubar toda a facção responsável pelo assassinato dele e Boylan. Confesso que o desfecho de tudo isso estava dentro do que eu imaginava – olha a previsibilidade aqui outra vez.

Apesar disso, o final deixou uma ponta solta para uma quase certa continuação. Apesar de querer isso, a história em si não imagino como poderia envolvê-lo nisso, sem contar o fato de seu espírito justiceiro.

Baseado na saga de livros, vai ser interessante acompanhar as próximas sagas de Spenser, Falcão, Henry e Cissy. A Netflix deu a largada inicial para sua própria franquia, baseada em outras cinematográficas semelhantes de sucesso, tais como Bad Boys A Hora do Rush.

Vamos aguardar para ver como serão as continuações de Troco em Dobro.

Nota do Filme8.5
Nota do filme "Troco em Dobro", da Netflix.
8.5
Eduardo Nogueira

Eduardo Nogueira

Administrador apaixonado por séries e música, sou fã assumido de Friends, e tenho guilty pleasure pelas séries da CW. No Mix sou editor de reality show, cobrindo atrações do gênero como as franquias The X Factor , The Voice, American Idol, entre outros. Faço também reviews das séries Mom, Supergirl, The Good Place, Scream, Fuller House e da brazuca A Garota da Moto. Além disso, deixo vocês sempre atualizados com as nossas Bolhas de Cancelamento, e também escrevo as colunas de Elenco e Teu Passado Te Condena. No tempo que me sobra faço um café para as visitas, rs. Ufa!

No comments

Add yours