Crítica: Últimos episódios de 2018 de The Resident destacam possíveis mortes

Imagem: Divulgação/Fox

Continua após as recomendações

Os dois últimos episódios de 2018 de The Resident forneceram uma dose certa de emoção para essa primeira parte da temporada. E os momentos finais foram de tirar o fôlego. Confira!

Coração na Caixa

Em “Heart in Box“, tivemos a sequência de algumas histórias, assim como algumas reviravoltas importantes. A trama do paciente do Dr. Conrad, Henry, foi uma das que mais me chamou atenção. Ele voltou a ter convulsões, mas dessa vez sem uma origem encontrada. Com as mãos atadas, o garotinho passa a ser candidato para um teste clínico da QuoVadis, envolvendo terapia VNS.

Continua após a publicidade

Claro que Conrad foi resistente a esta sugestão, mas nesta situação ele atuou apenas como consultor, uma vez que não fora ele que atendeu o paciente no hospital. Entretanto, já sabíamos que isso tinha tudo para dar errado. E apesar de Julian, no começo, se mostrar empenhada a fazer o teste clínico, no final ela começou a desconfiar da empresa para qual trabalha. Eu já imaginava que tinha algo errado, principalmente quando ela questionou seu chefe sobre a possibilidade dos aparelhos serem importados da China. Ela constatou que, de fato, os aparelhos não eram produzidos nos Estados Unidos, e sim importados. Dessa forma, eles teriam qualidade duvidosa e poderiam dar defeitos.

Com a vida de Henry em suas mãos, uma vez que foi a consultora que atuou na ideia de usar Henry como candidato para esse teste, ela ficou desesperada. E imagino o que ela esteja passando. Ela acreditara na empresa que trabalhava, e tentava vender algo que ela achava ser bom e revolucionário. Mas para uma empresa estar lucrando, junto do Dr. Bell, no Chastain Park, era de se esperar uma falcatrua.

Tramas paralelas

O episódio ainda teve dois interessantes plots. Um, envolvendo Mina e AJ, e o outro com Dr. Bell e a Dra. Hunter. No primeiro, vimos uma aproximação ainda maior de Mina e AJ no lado profissional. Mas Nic já tratou de ver que o interesse de AJ na sua colega de trabalho vai além disso. E eu fiquei muito surpreso ao ver que, neste momento, ele prefere priorizar o ensino dela do que seus sentimentos. Isso foi bem legal. Já estou torcendo para que no futuro algo aconteça entre eles, porque é um casal que dá gosto de shippar.

Na trama do Dr. Bell, ele acabou se envolvendo no julgamento da Dra. Hunter, sendo ele obrigado a depor. Mas isso foi uma forma que ela achou de o envolver para chantageá-lo, e agora ela quer dinheiro dele para que o Chastain fique fora de qualquer problema judicial. Não preciso nem dizer “bem feito”, não é mesmo?

Reviravoltas inesperadas

No episódio 2×09, “The Dance“, o público se deparou com muitas surpresas. Um dos casos principais foi o do pai de Conrad, que acabou dando entrada no Chastain após uma complicação de um quadro de Doença de Crohn. O mais interessante, entretanto, é que a situação serviu para reaproximá-los mais. Até uma declaração de “te amo” de Conrad rolou, não antes dele saber a verdade sobre a separação de seus pais.

Achei bacana esse envolvimento, do Dr. Hawkins saber que na verdade fora sua mãe que deu o passo para a separação, e tudo mais. Entretanto, Conrad ainda é frio com o pai. É uma relação que precisava ainda ser “reconstruída”. Porém, o episódio terminou com Marshall entre a vida e a morte – e o pior, nas mãos (trêmulas) do Dr. Bell. Boa coisa não vai vir.

Além disso, o dia do casamento de Pavesh chegou, e para surpresa (ou não) de todos, acabou não acontecendo. Devon resolveu encarar seus sentimentos por Julian, e com um péssimo timing resolveu contar para noiva da sua traição momentos antes do “Eu aceito”. Mas Devon já não queria mais se casar, tava na cara. Eu até fiquei aliviado, porque tava adorando a química dele com Julian. Só que a perspectiva para esse casal não é nada boa…

Quem vai morrer?

No começo da temporada foi revelado que um personagem morreria, e que não deveríamos nos apegar a ninguém na segunda temporada. Pois bem, parece que Julian vai partir dessa para melhor. Ela resolveu expor todo o problema com a QuoVadis, e a fraude que ela vinha cometendo sobre importar os aparelhos da China. Mas isso acabou caindo nos ouvidos de seu chefe, que resolveu intimidá-la.

Como não bastasse todo o drama envolto nisso, sabemos que The Resident gosta de usar em doses homeopáticas alguns clichês de novela. Foi o caso dessa trama, que terminou com Julian sendo perseguida por um carro misterioso, fazendo-a se acidentar jogando seu carro dentro de um rio. Ai, ai, ai… Logo agora que estava gostando dela.

Assim, The Resident se despede de 2018 com duas possíveis mortes. Marshall e Julian estão entre a vida e a morte. Algum deles vai sobreviver? Estou particularmente curioso. Será que ainda dá tempo dos roteiristas reverter a situação e não matar nenhum deles?

Nos vemos em 2019!

Anderson Narciso

Anderson Narciso

Criador, editor e redator do site Mix de Séries, é apaixonado por séries desde sempre. Fã incondicional de One Tree Hill, ER, Friends, e não perde um episódio da Franquia Chicago.

No comments

Add yours