Crítica: Whiskey Cavalier é uma série divertida e com um elenco envolvente

Imagem: ABC/Divulgação

Nova série, Whiskey Cavalier tem tudo para dar certo

Whiskey Cavalier chegou com tudo e está prosa. A nova série da ABC – que no Brasil será exibida pela Warner Channel, tem todos os ingredientes necessários para dar certo. E se depender do seu primeiro episódio, conquistará fãs rapidamente.

A série é focada em Will Chase (Scott Foley), codinome Whiskey Cavalier. Ele é um ex-piloto da Marinha e estudante universitário de poesia. E na primeira cena do piloto já somos jogados na atmosfera que a série usará. O episódio é uma mistura de James Bond, Missão Impossível e, porque não, uma pitada de Austin Powers. Sim, Whiskey Cavalier deixa claro que não quer ser levada muito a sério, quando o agente protagonista aparece, pela primeira vez na série, chorando por um término, ao som de “Total Eclipse of the Heart”.

Com essa vibe, Whiskey Cavalier consegue conquistar o espectador em 5 minutos de episódio. E acredite, ela continua assim ao decorrer do resto de sua história.

Um agente sentimental

Scott Foley está incrível como Will Chase. O ator, que saiu há pouco tempo de Scandal, caiu como uma luva para o papel. Whiskey é bonitão, charmoso, atlético… e sentimental. Tudo o que, literalmente, as mulheres buscam. Certamente, chamará atenção deste público.

Resultado de imagem para whiskey cavalier abcNa trama, ele acabou de passar por um término de noivado e tenta a todo custo provar que está bem para continuar no campo. Após uma introdução que o coloca perseguindo um vírus de ebola, em uma sequência de cenas incrível em Paris, ele é designado para capturar o analista Edgar Standish (Tyler James Williams, de Todo Mundo Odeia o Chris) que é sequestrado por russos.

É nesse empreitada que seu mundo acaba colidindo com o da agente Frankie Trowbridge (codinome: Fiery Tribune), interpretada por Lauren Cohan (The Walking Dead) que aqui usa seu charmoso sotaque britânico. Ele do FBI, e ela da CIA. Uma disputa que nasce nesta missão e que, sem dúvidas, deverá ser o grande motor de toda a série.

A gata e o rato

Passando por Moscou, Alemanha e Paris, Wiskhey Cavalier tem excelentes panos de fundo. Além disso, uma ótima ambientação para a disputa de “Gato e Rato” deste primeiro episódio. De uma hilária cena forjando que estão em lua de mel – tudo para não serem pegos – ao clímax que leva Wiskhey a salvar a vida da agente durona, a trama insere essa dinâmica de Will e Frankie na dose certa. E depois de 45 minutos, você nota que a química entre o casal é incrível.

Eles são forçados a trabalhar juntos quando percebem que podem ter um objetivo em comum no final da empreitada. Porém, estão sempre tentando provar um ao outro quem é melhor. E garanto, o páreo é duro. Tanto o ator Scott Foley quanto Lauren Cohen estão muito bem no papel. Sendo assim, entregam personagens convincentes, a ponto de você gostar instantaneamente dos dois.

A dupla passa todo o primeiro episódio, praticamente, duelando para ver quem teria a custódia do analista Edgar Standish, quem sem dúvidas foi um ingrediente extra acertado nesta receita. Logo, você já está envolvido com a trama, dando risadas e curtindo a adrenalina das cenas de ação que são ótimas…

Reviravolta

O clímax poderia soar clichê. Temos Will e Frankie percebendo que precisam trabalhar juntos para que seus planos individuais dê certo. Entretanto, as reviravoltas envolvendo o chefe de Will, e seu amigo Ray Prince (Josh Hopkins), são muito boas. E quando pensamos que o personagem de Tyler poderia ser um traidor, na verdade ele era o indivíduo perseguido por um outro – ou verdadeiro – traidor.

O dia acaba sendo salvo, entretanto, por Frankie e não Will. Dessa forma, coloca-se a personagem de Cohen um passo a frente do de Foley. E esse, talvez, seja o maior barato de Whiskey Cavalier. Aqui, não temos nenhum James Bond, Ethan Hunt ou Jason Bourne. Isso significa que homem nem sempre vai conseguir salvar a mocinha indefesa. Isso significa que na série temos um homem, que também pode falhar, sendo ajudado e salvo por uma mulher que talvez seja até mais durona que ele. Ou seja, nada indefesa.

Ao fim do episódio, Will e Frankie recebem uma nova tarefa em Nova Iorque, sendo agora designados a trabalharem juntos – e com uma equipe. Assim, Edgar, junto de Susan (a “terapeuta particular de Whiskey) e Jai (o bartender que na verdade era amigo de Frankie e estava disfarçado) serão liderados por… Will ou Frankie? Bem, isso ainda não foi decidido. Porém, boa dose de diversão e ótimas cenas de ação são esperadas para essa série que, sem dúvidas, vai conquistar o coração de muita gente.

Bem-vinda, Whiskey Cavalier. Espero que tenha chegado para ficar…

Sinopse

Na série, o agente do FBI, Will Chase (Scott Foley) e a durona agente da CIA, Francesca “Frankie” Trowbridge (Lauren Cohan) são forçados a trabalharem juntos, compartilhando a custódia de uma equipe de superespiões internacionais. Desativar uma bomba nuclear em um transporte público, desmascarar um agente infiltrado ou recuperar itens valiosos são alguns dos casos que eles deverão resolver. Entre a amizade, o romance e a burocracia de escritório, esses profissionais distintos devem superar os obstáculos para encontrar uma maneira de trabalhar em equipe e, ao mesmo tempo, salvar o mundo.

 

Nota do Episódio9
Crítica do primeiro episódio de Whiskey Cavalier, nova série da Warner Bros. estúdio.
9
Anderson Narciso

Anderson Narciso

Mestre em História, apaixonado por mídias, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias, escreve a coluna 5 Razões e resenha a série Gotham.

No comments

Add yours