Crítica: YOU (Você) tem 2ª temporada envolvente e mantém o nível

Critica da 2 temporada de YOU

Drama de sucesso da Netflix está de volta

YOU (Você) é aquele tipo de série de TV que deveria ter sido feito para existir por apenas uma temporada. No entanto, para surpresa do público, ela já estava renovada antes mesmo de estrear. Talvez, o sucesso que ela fez pela Netflix foi previsto de alguma forma, e trazê-la para uma nova leva de episódios pudesse fazer sentido. Mesmo com o gancho deixado no final da primeira temporada, havia a dúvida sobre a necessidade de uma nova história ou se ela faria sentido: bem, podemos afirmar que sim. 

Continua após a publicidade

Penn Badgley retornou mais esquisito do que nunca como Joe Goldberg, aquele stalker que te envolve a ponto de você comprar cada palavra que ele diz – mesmo sabendo que tudo é mentira. Na nova temporada, Joe muda de cenário e vai para Los Angeles – a cidade do pecado, e tem certa dificuldade de se adaptar por lá. Na fuga de Candance, sua ex que retornou na temporada passada com a intenção de fazer a vida do rapaz um inferno, ele acaba se deparando com uma nova “presa”. É quando conhecemos Love. 

Aqui, talvez, YOU cometesse o seu maior pecado ao tentar refazer os acertos da primeira temporada, colocando Joe na cola de uma nova garota, se apaixonado, e enlouquecendo de ciumes até chegar ao ponto de matá-la. Mas acontece que a série resolve arriscar, e inverter meio que o ponto de perigo. Agora, é o rapaz que tem problemas com stalkers para resolver (no caso de Candance). Enquanto isso, vai percebendo aos poucos o quão controladora e fria seu novo amor pode ser.

Você 2 temporada

Stalker Alert: Joe encontrou sua nova presa em YOU. Imagem: Netflix/Divulgação

Trajetória envolvente

A forma como YOU opta por narrar suas tramas na segunda temporada é bem interessante. Claro que há os elementos conhecidos: Joe narrando muitas das cenas, grande parte da trama sendo contada da perspectiva do protagonista… Mas há algo diferente nessas construções. Por exemplo, agora, YOU trabalha com flashbacks interessantes para aprofundar personagens novatos como Love, assim como antigos incluindo o próprio Joe.

Nessa leva de explorar mais a fundo o sentimento dos personagens é que descobrimos que o protagonista presenciou todo um cenário de abuso doméstico envolvendo sua mãe, o que em partes poderia justificar seu comportamento agressivo. Mesmo assim, também justifica seu instinto em querer ajudar muitas pessoas – mesmo que isso, de alguma forma, acabe terminando mal. Foi assim na primeira temporada, com Paco, e foi agora na segunda temporada com Delilah e Ellie, duas personagens que moram no condomínio em que Joe se muda. No caso, a questão de abuso ainda é presente, mas a história com as duas torna-se bem mais atraente. Além disso, ela caminha-se para reviravoltas surpreendentes no final da temporada, quando Delilah torna-se um instrumento poderoso para entregar Joe às autoridades. 

Em meio a isso, Joe vai se mantendo presente na vida do seu grande (ou, atual) amor. Love é tudo o que Joe pensa precisar, e em muitos aspectos ela se faz refletir em Beck (que aparece em alguns momentos como alucinação do protagonista). Mas a linha tênue entre estar apaixonado e obcecado é explorada novamente na série. E aqui, ganha reviravoltas surpreendentes.

Segunda temporada de YOU prende do início ao fim 

Logo após o primeiro ou o segundo episódio, já conseguimos pensar que esta temporada era sim necessária. Talvez, pela gama de oportunidades que a história pudesse explorar. Tendo um texto extremamente audacioso e surpreendente (tudo bem, em alguns momentos clichês e piegas), YOU tem todos os ingredientes necessários para fazer o espectador grudar na televisão e assistir a temporada toda de uma só vez.

Enquanto você começa a se envolver com a trama de Joe, e torcer em partes para que ele e Love deem certo, o texto incrivelmente bem construído de Sarah Gambler faz o público lembrar quem ele é. Ou seja assassino, calculista e mentiroso. E como se estivéssemos num balanço constante, que torna tudo bem mais interessante. Aqui, damos total crédito para Badgley que sabe interpretar de forma incrível todas as facetas necessárias para construir Joe como uma pessoa desequilibrada em alguns momentos, e serena em outros. 

Fora de seus protagonistas românticos, a segunda temporada de YOU também consegue ter bons personagens coadjuvantes, como Ellie (Jenna Ortega) e o irmão cineasta de Love, Forty (James Scully). Ambos os personagens são capazes de crescer e revelar uma profundidade inesperada. A série apresenta uma personagem adolescente complexa e difícil em Ellie, que é autoconsciente sem ser um retrato irrealista. Além disso, o programa oferece uma dinâmica interessante no relacionamento co-dependente de Love e Forty. Ambos, na reta final, são peças fundamentais para a trama girar.

Veredito

A segunda temporada de YOU prova que a primeira não era o último biscoito do pote, embora isso possa parecer arriscar com a sorte caso ela retorne mesmo para uma terceira temporada. Baseado em como ela termina, certamente uma nova trama poderia elevar a série a outro nível. Ao mesmo tempo, será que o público compraria, ou acharia muito forçado? Bem, não sabemos. De qualquer forma, esta segunda temporada não soa forçada em nenhum momento e é uma excelente adição aos projetos bem sucedidos que a Netflix acumula em seu arsenal. Gostar de um stalker esquisito nunca foi tão prazeroso…

Todos os episódios da segunda temporada de YOU já estão disponíveis na Netflix.

 

Nota da Temporada9
Crítica SEM SPOILERS da segunda temporada de YOU, série da Netflix que retornou para novos episódios. Confira o que achamos sem detalhes do enredo.
9
Anderson Narciso

Anderson Narciso

Mestre em História, criador de conteúdo, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias e resenha séries semanalmente.

4 comments

Add yours
  1. Avatar
    Lethicia 27 dezembro, 2019 at 09:49 Responder

    Achei a primeira temporada melhor, cada episódio terminava em um suspense, já na segunda temporada é até massante, só melhorando no final.

  2. Avatar
    Renato 1 janeiro, 2020 at 23:52 Responder

    Decepcionante. Uma série q incita a violência e morte, aonde matam e não acontece nada com os culpados, com certeza nunca mais vou olhar e nem indicar. Maior perca de tempo da minha vida!!!

Post a new comment