Daredevil – 1×06 – Condemned

Demolidor condemned

 

O sexto episódio, Condemned, começa exatamente onde o quinto capítulo terminou, podendo ser assistido em uma boa dobradinha com o episódio anterior. Essa unidade da trama faz com que Daredevil esteja mais próxima dos filmes do que Agents of S.H.I.E.L.D. jamais esteve e provavelmente nunca vai estar. A recente notícia divulgada essa semana, aliás, garante que a Marvel deseja inserir os personagens da TV no Cinema, unindo as mídias. Caso isso aconteça, Daredevil está mais do que preparado para migrar para o universo cinematográfico.

Logo no início, Matt constata mais uma vez o fato de que até a polícia está contaminada por Wilson Fisk. E mais uma bela e violenta sequência de luta acontece. Depois disso, porém, Daredevil mergulha em uma decisão corriqueira em séries: manter a maior parte da trama em um ambiente limitado. Ao mesmo tempo em que isso funciona, também é um problema; há tantas coisas boas para se desenvolverem na série, que focar um episódio inteiro dentro de um prédio pode soar muito anticlimático.

Continua após a publicidade

De qualquer forma, a tensão e o suspense são criados de modo impecável durante todo o episódio. Além disso, Matt/Demolidor segue recebendo um tratamento elogiável dos roteiristas: protagonista complexo e cheio de dúvidas, Matt é apenas um homem que talvez seja mais prejudicado do que beneficiado por seus atos “heroicos” (e este termo não é o ideal quando falamos sobre Daredevil, onde a linha entre o bem e o mal é tênue). Assim, o episódio funciona por desenvolver um pouco mais o complexo personagem de Murdock. No processo, a trama envolvendo os russos se desenvolver e aparentemente se encerra, deixando algumas preciosas informações para Matt.

Mas Condemned agrada mesmo – e será lembrado entre os episódios – apenas por revelar o primeiro contato entre Demolidor e o Rei do Crime. Além do diálogo interessante, que coloca as cartas na mesa e aproxima os personagens, mostrando o quanto eles podem ser iguais, a direção de Guy Ferland trata de sugerir ambos como seres antagônicos, ainda que com certas semelhanças. Perceba, por exemplo, como Murdock é visto de um lado do quadro (esquerdo) enquanto Fisk é visto no outro lado (o direito). Assim, de forma orgânica, vemos que os dois estão em lados opostos, confrontando-se. Outra abordagem visual interessante é que Murdock, às vezes, é visto de longe, em um plano aberto que o diminui, enquanto Fisk surge em planos fechados, que o revelam como um sujeito grande, ameaçador.

Constatação 1: É possível que o atirador visto matando vários policiais seja o Mercenário (Bullseye), vilão importante e conhecido no universo de Daredevil. Uma carta de baralho – um dos símbolos do personagem – pode ser vista dentro da bolsa onde o rifle é carregado. No filme, o vilão foi interpretado por Colin Farrell.

Constatação 2: A emissora de TV WHIH, que cobre os eventos vistos no episódio, já apareceram em Homem de Ferro 2 e O Incrível Hulk.

Constatação 3: Já elogiei a fotografia da série em algumas reviews, mas não posso deixar de falar que às vezes o pessoal exagera na escuridão. Algumas sequências são tomadas por uma escuridão que impede a total compreensão da cena.

Constatação 4: Talvez o pior episódio até aqui. Ainda assim, muito melhor do que muita coisa que vemos regularmente por aí.

Matheus Pereira

Matheus Pereira

Gaúcho, estudante de jornalismo e viciado em séries. Tem séries pra assistir de mais e tempo de menos. Séries favoritas? Six Feet Under e Breaking Bad.

1 comment

Add yours
  1. Anderson Narciso
    Anderson Narciso 21 abril, 2015 at 23:04 Responder

    Será que era mesmo o Mercenário? E boa sacada esta da emissora de TV *o*
    Curtindo cada vez mais estes easter eggs!

Post a new comment