Daredevil – 1×07 – Stick

demolidor stick

Imagem: Arquivo pessoal

Daredevil estava precisando de um capítulo que explorasse com propriedade a infância de Matt. Ainda que muito pouco tenha sido mostrado sobre o pai de Matt (o que é uma pena), ainda faltava uma grande lacuna na vida do Demolidor. Eis, então, que Stick faz um belíssimo trabalho ao revelar ao espectador como Matt começou a se transformar no Daredevil. E para isso, claro, o pupilo precisou de um mestre.

É então que surge Stick, interpretado pelo ótimo Scott Glenn. Cego, Stick chega ao orfanato onde Matt se encontra e logo começa o treinamento como o jovem órfão cego. Mas como um bom mestre que é (foi ele, também, que treinou Elektra, conhecida personagem do cânone de Demolidor), Stick não parte diretamente para o treinamento físico. Há, antes de qualquer coisa, um entendimento e um estudo psicológico acerca da atual situação (a cegueira) e de tudo que existe ao redor. Ao perceber o potencial de Matt, Stick oficializa o treinamento. É curioso perceber, por exemplo, como há uma interessante relação entre mestre e aprendiz. É inevitável que Stick se veja (com o perdão da ironia) em Matt; ambos cegos e solitários devem sobreviver em um mundo hostil. Há muito mais entre os dois que a simples relação entre professor e aluno.

E o treinamento acontece paralelamente ao encontro entre Stick e Murdock no presente. As cenas que são entrecortadas por passado e presente são interessantes e ágeis. Falta o mesmo interesse e brilho, porém, aos demais núcleos e personagens. Nem Wilson Fisk, personagem em destaque, teve espaço. Muito menos Ben, Karen e Foggy, que vêm sendo mal desenvolvidos há vários episódios. Daredevil está quase em sua reta final e quase tudo que envolve o trio de coadjuvantes não empolga. Não basta ter um herói e um vilão excelentes, e demais personagens que não funcionam completamente.

Continua após a publicidade

Ao que tudo indica, porém, os próximos episódios irão desenvolver os demais personagens (incluindo aí Wilson e Nelson). De todo modo, o que temos em Stick é um bom desenvolvimento de Matt e uma ótima apresentação de Stick, que pode ser um personagem recorrente. Sobre o resto todo, Daredevil infelizmente decepciona.

Constatação 1: O título original foi traduzido como Bastão pela Netflix do Brasil. Em ambos os idiomas, porém, o título é curioso por fazer referência ao nome do novo personagem, ao bastão que cegos precisam carregar para poder se locomover com mais segurança e à ideia de passagem de bastão. O mestre que passa o bastão para o aprendiz que seguirá o seu caminho.

Constatação 2: Black Sky, o garoto acorrentado, alvo de Stick, pode render tramas interessantes no futuro, dentro e fora de Daredevil, possivelmente em Defenders.

Constatação 3: O grandalhão visto no final, conversando com Stick, é Stone, outro pupilo do mestre cego. Nas HQ’s, Stone acredita que Matt merece mais uma chance para integrar o clã liderado por Stick. Na série, o futuro ainda é incerto.

Matheus Pereira

Matheus Pereira

Gaúcho, estudante de jornalismo e viciado em séries. Tem séries pra assistir de mais e tempo de menos. Séries favoritas? Six Feet Under e Breaking Bad.

No comments

Add yours