Daredevil – 2×05 – Kinbaku

daredevil205

Imagem: Arquivo pessoal

Continua após as recomendações

 

O quinto episódio já começa com um flashback interessantíssimo que nos mostra Matt e Foggy jovens. E o que podemos afirmar com certeza? O tempo fez muito bem a Murdock. Aliás, neste flashback vemos o primeiro encontro entre ele e Elektra e a pergunta que fica é: será que foi Elektra quem fez Matt Murdock mais cool? O primeiro encontro já nos traz toda a tensão fervilhante entre a dupla, nos antecipando o que veremos a seguir. Bastam poucos segundos para termos certeza: Matt e Elektra formam uma parceria e tanto, e muito se deve ao talento e a química inegável entre Charlie Cox e Elodie Yung.

Continua após a publicidade

Yung, aliás, parece perfeita no papel. Caso alguém tivesse dúvidas ou receios, fique tranquilo, pois a atriz segura as pontas de forma elogiável. A começar pelo sotaque, sedutor, que garante nossa atenção logo de início. Yung, também, é certeira ao transformar Elektra Natchios em uma mulher forte e ameaçadora sem exageros, salientando seu poder físico e intelectual apenas através da fala e de sua postura. Neste sentido, vale ressaltar, também, que a personagem exala toda a sensualidade que esperávamos. Ah, e que fique claro: Yung faz uma versão infinitamente melhor e mais interessante que a de Jennifer Garner.

Ainda falando sobre Elektra, é incrível como a atriz/personagem trazem um novo dinamismo à série. Não que Daredevil seja monótona (ao contrário; a segunda temporada está emocionante), mas Natchios parece acelerar as cenas, dinamizar os diálogos, as sequências. É incrível como a série parece ter tomado um novo fôlego. E aqui vale elogiar a inteligência dos roteiristas em dividir a temporada em pequenos “atos”: o primeiro grupo de episódios envolveria o Justiceiro, o segundo aborda a chegada de Elektra e tudo indica que o terceiro ato será focado no trio (Demolidor, Justiceiro e Elektra) já estabelecido e lutando juntos – ou um contra o outro…

Daredevil segue investindo em pequenas referências visuais/sonoras inteligentes. Se antes tivemos o Justiceiro protegendo-se de tiros com a tampa de um caixão, a muleta de Matt, desta vez, brinca com a chegada de Elektra e todo o perigo que ela representa. Após acompanharmos uma cena envolvendo a personagem, podemos ouvir um tic-tac característico de uma bomba. Percebemos em seguida, porém, que não se trata de uma bomba, mas da muleta de Murdock batendo contra o chão e fazendo um tic-tac-tic-tac. É um detalhe bobo, mas é interessante notar como o programa presta atenção em detalhes, rimas visuais e sons. Sons, aliás, são importantíssimos em uma série como Daredevil. Assim, não deixe de prestar atenção em easter eggs, referências e sons!

Por fim, é interessante o fato de que Elektra e o Justiceiro estão, de certa forma, conectados. Ambos representam o mesmo para o Demolidor. Ambos, Natchios e Castle, representam o que há de pior em Murdock/Demolidor. Se o Justiceiro questionava o herói sobre a validade da violência e da morte, Elektra parece ter sido a maior responsável pela entrada de Matt em um universo mais violento e fora da lei. Foi ela, pelo que podemos ver em flashbacks, que despertou fúria, indignação e violência em Murdock. E é isso que ela ainda quer, trazer à tona uma outra face do herói. Uma face que Castle/Justiceiro já parecia ter enxergado.

Matheus Pereira

Matheus Pereira

Gaúcho, estudante de jornalismo e viciado em séries. Tem séries pra assistir de mais e tempo de menos. Séries favoritas? Six Feet Under e Breaking Bad.

No comments

Add yours