Daredevil – 2×09 – Seven Minutes in Heaven

daredevil209
Imagem: Avclub

 

Continua após publicidade

Este foi um episódio de Wilson Fisk e Frank Castle. Karen Page também brilhou, mas a dupla, encarcerada, roubou a cena. O nome de Vincent D’Onofrio voltou para a abertura da série, como elenco fixo, o que indica que o ator/personagem podem estar de volta por mais tempo que o imaginado. Ou talvez não. É possível que o Rei do Crime não volte até o final da temporada, pois seu papel foi praticamente encerrado neste episódio ao libertar o Justiceiro.

Continua após a publicidade

Na verdade, este nono episódio talvez seja o melhor da temporada até aqui. Em ritmo acelerado, o capítulo traz intensas cenas de ação e uma ágil investigação por parte de Karen, cada vez maior na história. Seven Minutes in Heaven já começa bem ao focar as atenções em Fisk, chegando à cadeia. E os detalhes mostrados merecem elogios. As abotoaduras no compartimento para objetos e a parede que remete ao quadro que Vanessa lhe vendeu na primeira temporada são pequenas lembranças que o episódios joga.

Continua após publicidade

A partir da abertura, só há olhos para Fisk e Castle. E não me canso de elogiar D’Onofrio, um dos melhores vilões do universo Marvel na TV e no cinema. E Bernthal não se deixa ofuscar e também brilha com seu perfil de justiceiro prestes a explodir. E ver o Rei do Crime dominando a prisão através do Justiceiro e, no final, o traindo, apenas torna a relação entre os dois mais complexa e interessante. Traição esta que rende a melhor cena do episódio: a briga entre o Justiceiro e vários detentos em um corredor.

Daredevil, aliás, adora uma briga no corredor. Esta, ainda que não seja filmada sem cortes, é tão intensa quanto as outras. É bem verdade que alguns socos parecem nunca acertar o alvo (um problema corriqueiro em coreografias da série e de diversos filmes), mas a sequência não deixa de ser impactante. Outro momento digno de nota é a conversa final entre Wilson e Frank, com direito a alguns socos e uma dose de sangue. Ao fim, Fisk mais uma vez comprova ter tudo sob controle, comandando os policiais como se não houvesse ninguém acima dele, conseguindo, inclusive, a fuga de Castle.

Continua após publicidade

Mas o protagonista da série também teve o seu tempo. Nos momentos finais, além de ter um confronto com um ninja bem mais ágil e forte que ele, o Demolidor ainda descobre detalhes assustadores sobre a conspiração que investiga. Neste caso, a série chega em um ponto decisivo e delicado. Tudo indica que esta será a história da reta final, e o programa se arrisca ao apostar em coisas que, digamos, fogem da realidade proposta pela série. Vamos aguardar para ver como tudo se desenrola. Até aqui, tudo está perfeito.