De Volta ao Piloto: Looking e sua simplicidade

Looking HBO

Continua após as recomendações

 

Depois de sucessos avassaladores como Queer As Folk e The L World, Looking nasce na HBO em 2014 com a intenção de renovar o guarda-roupa das séries de temática gay. Diferente dos início dos anos 2000, quando as duas tramas citadas estrearam, a série de Michael Lannan chega à uma “modernidade” na qual, mesmo com o fluxo de informações, ainda existem grandes tabus como a sexualidade.

Continua após a publicidade

A proposta talvez fosse dar sequência à trama de Russell T. Davies, mas Looking está mais para as presepadas românticas de Carrie Bradshaw do que a irresistibilidade de Bryan Kinney. Ambientada em São Francisco, tem como protagonista o designer de vídeo games Patrick Murray, interpretado por Jonathan Groff. Agustín e Don dividem a cena com o rapaz, como seus dois melhores amigos. Lannan criou a atração com base no seu documentário Lorimer, e a HBO comprou a ideia com oito episódios na primeira temporada. O segundo ano, infelizmente, não teve uma boa resposta, e o cancelamento foi inevitável. Os fãs aguardam para 2016 um filme produzido pela emissora que irá encerrar a história. Já que o fim a gente já sabe, que tal relembrar o começo?

 

Looking HBO

 

Analisando o Piloto: “Looking for Now”

Como de costume, o episódio piloto de Looking, intitulado “Looking for Now”, tem um ritmo bem acelerado e, apresenta a trama em apenas 30 minutos sem aprofundar os enredos principais. Aliás, é difícil até o final da temporada saber o enredo principal – o que Patrick de fato queria esse tempo todo? A expectativa era encontrar algo sexy e pop como Queer As Folk, mas o texto de Lannan não apresenta a mesma densidade, e esse talvez tenha sido um dos pontos que desagradou a audiência. Mesmo sendo comparada a Girls ou Sex and The City, a série encontrou um caminho único de contar sua história.

O objetivo principal do piloto foi mesmo apresentar os personagens, e fazer que, de alguma maneira, nos relacionemos com eles. O clichê é a ordem máxima, mas quem não vive pelo menos um esteriótipo dentro de si que atire a primeira pedra. Para ser mais justo, vamos relembrar o piloto pelos seus personagens principais.

 

Patrick

Patrick LookingO que sabemos de Patrick no primeiro episódio de Looking é muito superficial, mas é um estigma que ele leva por toda série. O personagem de Jonathan Groff (Glee) tem 29 anos, trabalha para uma desenvolvedora de games e passa grande parte do tempo se dedicando a ela. Acabou de sair de um namoro e tem grande dificuldade de levar um relacionamento por muito tempo. Como um cara da tecnologia, usa de aplicativos e sites de namoro para encontrar paqueras. Logo no primeiro episódio tem um encontro no mato, marca um encontro às cegas, vai na despedida de solteiro do ex-namorado e paquera um desconhecido no metrô. E MENTE PRO BOY NA CARA DURA. Em outras palavras, daqueles que atira para todos os lados – mas tem dificuldade de acertar o alvo.

 

Sintam o drama

 

Dom

Dom LookingChegando à casa dos 40 – o que no vocabulário gay poderia ser chamado de “cacura” -, o personagem de Murray Bartlett (Força Oculta) é um garçom com dificuldades de recomeçar, em todos os sentidos. Ele vive com Doris (Lauren Weedman), que é o Grilo Falante da série, aquela que coloca um pouco de consciência na cabeça perdida deles. Fica evidente que seu principal entrave é a idade, e por achar que é “velho demais” não consegue seguir seus próprios sonhos ou encontrar um novo amor – fato que se comprova quando ele chega o facebook do ex. Suas expectativas de relacionamento são bastante vagas, à primeira vista.

 

Augustín

Augustin LookingInterpretado por Frankie J. Alvarez (Smash), Agustín é um artista desencanado, que aproveita seu relacionamento “estável” para sair do aperto que vive na casa de Patrick. Logo de cara propõe juntar as escovas de dentes com O. T. Fagbenle, e isso inegavelmente assusta o rapaz. Mesmo sendo o único dos três que esteja namorando, tem uma visão diferente da vida a dois, e esbarra num ménage para mostrar que sim, casais podem se acomodar, mas qual é o limite do seu próprio desejo?

 

“Looking for Now”, embora não mostrasses nada de muito extraordinário, nos preparou para um enredo simples mas na medida certa. Bem compreensível e cheio de relações com o real, direto ao ponto, essa é a sensação que o texto de Michael Lannan nos passa. Vale a pena rever sempre que possível.

 

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=-Lp7rkNYOtE[/youtube]

2 comentários

Adicione o seu
  1. Caroline Marques
    Caroline Marques 29 outubro, 2015 at 01:46 Responder

    Quase morri rindo do GIF, obrigada Leo. Sem saber do autor dessa maravilha já sabia que seria você <3 So so sexy. Hoje leram o script do filme de encerramento, que venha!

    • Avatar
      leosousa 29 outubro, 2015 at 10:00 Responder

      Obrigado, Carol! 😀
      O bom que a HBO botou a mão na consciência e deu em si que a série não teve um final digno. Esse filme vai ser a salvação.

Post a new comment