De volta ao piloto: The Walking Dead

Walking-Dead-Pilot

Imagem: AMC/Divulgação

 

Em sua sexta temporada, The Walking Dead está entre as séries mais assistidas da atualidade. Não se sabe ao certo o que se deve este tamanho sucesso, seja pelos zumbis, ou pelo suspense pós-apocalíptico. Só sabemos que TWD tem uma audiência grande nestes seis anos e conseguiu carregar muita gente neste tempo. Não chegou a levar quase nenhum prêmio, mas é reconhecida por muitos fãs como a melhor série dramática de horror atualmente.

A série, baseada nos quadrinhos de Robert Kirkman, mostra um período pós-apocalíptico, onde todos possuem uma “doença”, que ao morrer faz com que a pessoa se transforme em um walker. Rick e sua turma tentam sobreviver nesta confusão. TWD não é sobre os zumbis, mas sim sobre como os sobreviventes convivem em um caos global. O egoísmo e o poder muitas vezes sobem a cabeça, e muitos colocam as manguinhas de fora, mostrando o que são capazes de fazer para conseguir o que desejam.

Continua após a publicidade

Criado por Frank Darabont, TWD é exibido pela AMC e internacionalmente pela FOX. A série também já possui um spin-off que teve sua primeira temporada exibida nesta summer season de 2015, Fear The walking Dead. Mas voltando ao piloto que poderemos entender melhor este fenômeno de audiência e questionar alguns pontos, vendo que muita coisa mudou (ou não) durante esses seis temporadas.

 

Analisando o piloto – Days Gone Bye

A série inicia com o policial Rick Grimes sendo ferido em um tiroteio com criminosos armados, juntamente com Shane Walsh, seu parceiro da polícia. Ele desperta semanas depois do coma em um hospital abandonado e muito danificado. O local está em estado de calamidade. Não há seres vivos, apenas corpos. Percebemos também que Rick perde a noção do tempo pelas flores murchas que Shane trouxe para ele fazia dias.

Ao sair, Rick descobre um mundo pós-apocalíptico invadido por zumbis (ou walkers, pois em seis anos nunca admitiram ser zumbis de fato). Ele percebe que sua esposa e filho estão desaparecidos, e encontra dois sobreviventes, Morgan Jones e seu filho Duane, que explicam-lhe a situação atual da sociedade.

Foi muito triste ver Morgan encontrando sua mulher “zumbificada” e Duane chorando ao ver o estado da mãe. Posteriormente, Morgan até tenta matá-la para libertar a sua amada deste estado, mas ele não consegue atirar. Foi bem emocionante esta parte do episódio.

Rick arruma algumas armas e vai para Atlanta, na Geórgia, onde o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CCD) disse ter criado uma zona de segurança. Ao chegar, ele descobre que a cidade está infestada por walkers. Por óbvio, um lugar super habitado provavelmente terá muito mais zumbis. Lembrando que Atlanta continua do mesmo jeito, quando Rick retorna algumas temporadas depois.

É interessante perceber que Rick amadureceu ao contrapor Atlanta e Alexandria, na Virgínia, onde ele vive agora, na sexta temporada. Ele também ficou mais frio, mais extremista e acha que sabe liderar. Tudo bem, todo mundo tropeça, mas da forma como caminhou nestes seis anos, vamos dizer que o policial está cada vez mais radical.

Ao assistir ao piloto, percebemos também uma maior produção. Os walkers são mais bem feitos, as cenas de ação são melhores produzidas e com mais detalhes e impacto. Eu sei que o piloto deve ser o suprassumo para conquistar o novo telespectador, mas deu para notar que a qualidade da série caiu muito depois.

Descobrimos que a esposa de Rick, Lori Grimes, e seu filho, Carl (pequenininho, tão bonitinho), se escondem dos walkers com Shane Walsh, parceiro de trabalho de Rick e seu melhor amigo, que se apaixonou por Lori. Eles ficam em um acampamento com um pequeno grupo de companheiros sobreviventes.

Voltando à Atlanta infestada de zumbis, Rick chega a cavalo, pois carro requer gasolina, que é difícil encontrar. TWD tem sempre a mania de colocar vários walkers em um lugar só escondidinho. Acho bem nada a ver. O que eles ficam fazendo? Dormindo? A série usa isso apenas para dar mais ação e encurralar os personagens.

Rick continua o mesmo bobo de sempre. Demora a reagir a aproximação dos seres estranhos. Mas é a primeira vez que ele enfrenta uma quantidade considerável de zumbis, então vamos dar um desconto. Ele fica sem saída e até pensa em se matar. Mas, milagrosamente, aparece uma porta do tanque que ele estava embaixo, se escondendo, e ele entra. Forçando a barra desde sempre né, TWD?!

O protagonista sobrevive dentro do tanque e a câmera se afasta, mostrando a imagem de cima. Ao redor do tanque mostra muitos zumbis, e alguns até estão comendo o cavalo. A trilha sonora neste momento é sensacional! Para finalizar, Rick escuta alguém falando no rádio com ele… Aleluia! Mais tarde descobriremos que é Glenn.

O piloto foi bastante emocionante, bem impactante, sem muita enrolação. Eu diria que demonstra ser bem melhor do que a atual situação da série. Tudo bem que agora os fatos mudaram um pouco, estamos em Alexandria, mas ô série enrolada!

Quem assiste ao piloto com certeza quer continuar assistindo. Eles conseguiram conquistar o telespectador logo de primeira. Esperamos que entre altos e baixos ao longo destes seis anos, a série consiga resgatar o nível de qualidade do piloto nesta sexta temporada!

Para acompanhar as reviews de TWD aqui no Mix é só clicar aqui.

Paula Reis

Paula Reis

Advogada e concurseira de plantão, no Mix, é editora de reviews e colunas. É viciada em tudo sobre Game of Thrones e adora séries jurídicas.

3 comments

Add yours
  1. Izabella Viana
    Izabella Viana 16 outubro, 2015 at 20:19 Responder

    Esse piloto é sensacional! Eu nunca gostei de zumbi. Na verdade acho o tema bem ridículo e tal. Mas quando resolvi dar uma chance a TWD não me arrependo nem um pouco! Como você disse Paulinha, a série não fala sobre zumbis, mas sim em como as pessoas se comportam no apocalipse. Que saudade me deu desse piloto!! Acho que vou ver de novo hahaha

Post a new comment