Designated Survivor – 1×21 – Brace for Impact [SEASON FINALE]

Imagem: ABC/Divulgação 

Continua após as recomendações

Tenho uma mania um pouco estranha de antes de assistir uma Season Finale, seja ela de qualquer gênero ou proposta, de assistir o primeiro episódio daquela temporada. Acredito que é um excelente momento para descobrir o que melhorou, o que continua incomodando, além dos destaques positivos e negativos dos atores. Essa tradição tornou-se fundamental no caso de Designated Survivor pelo piloto literalmente explosivo que nos apresentou lá em 2016. Qual seria o veredicto?

Continua após a publicidade

Imagem: ABC/Divulgação

Nesses 21 episódios os rumos criativos que o roteiro propôs e os showrunners criaram, visto que até o momento foram três, funcionaram e falharam com a mesma força. Um efeito gangorra perfeitamente comum numa série cuja temporada é maior do que 15 episódios. Entretanto, Designated Survivor me desapontou por conseguir fazer um contraponto com a administração da vida real, trabalhar questões sociais, mas não saber como estabelecer foco e prioridades.

O debate sobre controle na venda de armas foi o grande momento dessa temporada, tal qual a votação no Senado. Espero que o próximo showrunner, Keith Eisner, saiba usar sua experiência em The Good WifeGraves Law & Order, para fazer com que esses bons momentos se repitam agora que essa trama conspiratória parece menos boba e mais séria com esse roubou de informações ultra secretas do governo americano.

Quanto ao que assistimos aqui, acredito que tivemos uma conclusão de temporada eficiente. Com uma cena de perseguição que poderia ser um comercial da Ford ou a sensação de “círculo completo” com o discurso de Kirkman numa sessão conjunta do Congresso, Brace for Impact fez o que tinha que fazer e nos apresentou ao que iremos assistir quando a segunda temporada estrear no final deste ano.

Com a esperança que Virginia Madsen se tornará parte do elenco regular, mesmo sendo Secretária da Educação haja vista a enorme necessidade de fazer um contraponto com Betsy DeVos, que já é uma figura ficcional por si só. Pode parecer piegas ou uma grande propaganda, mas aquele discurso inspirado que Kirman deu a poucos minutos da conclusão do episódio, me lembrou, e muito, à fala que o então Presidente Barack Obama deu na Convenção do Partido Democrata em 2016 na Filadelfia.

Até a Fall Season!