A detalhada abertura de Orange is the New Black

Baseado nas memórias de Piper Kernan, Orange is the New Black é uma dramédia que conta a história de Piper Chapmam, uma patricinha que cometeu um erro no passado e tem que pagar na prisão Litchfield. A série, no entanto, é bem mais do que isso. É sobre as vidas de cada uma das mulheres que vivem na penitenciária e dos erros que cometeram e as levaram até ali.

Continua após publicidade

Na sua abertura, escolhas meticulosas e esmeradas foram feitas. A primeira delas é a música tema: You’ve got Time captura com perfeição as sensações que a série transmite. Do tilintar das grades se fechando ao ritmo hora suave e macio, hora rápido, urgente e opressivo, tudo ali sugere os dramas vividos pelas detentas.

Continua após a publicidade

 

Continua após publicidade
Orange
Unhas pintadas em mãos com algemas: detalhes de uma abertura minuciosa

 

A interprete da música, Regina Spektor, canta frases como “todos estão te esperando”, “os animais presos até a cela estar cheia”, “é fácil dar passos, difícil é ficar parado” entre outras que englobam bem o sentido de vários momentos da série e entre todas elas, talvez “Pense em todas as estradas e em todos os cruzamento” e “lembre-se de todos os rostos deles, lembre-se de suas vozes, tudo é diferente na segunda vez por aqui” determinem com mais precisão tudo que é mostrado durante o show.

Continua após publicidade

O padrão da abertura é mostrado com o nome dos atores principais em cenas típicas da prisão intercalados por dezenas de mulheres.

 

Continua após a publicidade
O MIX DE SÉRIES atingiu 10 milhões de visitas mensais e vamos ensinar tudo que aprendemos nessa caminhada! Aumente o tráfego do seu site com técnicas avançadas de SEO.
Faça seu pré-cadastro aqui!
Orange is the new black 2
Cena comum na prisão com nome dos protagonistas (#Sdds Laura Prepon) intercalado com rostos…

 

A escolha das cores, escuras e carregadas e o contraste das cenas é bem pesado, ressaltando detalhes e nos obrigando a olhar com cuidado cada dado mostrado. Ela mostra cenas da prisão e de mulheres. Elas são apresentadas em pedaços: olhos, bocas, tatuagens, sorrisos… como as prisioneiras e suas histórias cheias de pequenas condições que, somadas, as trouxeram para aquele lugar.

 

Orange Rostos
Contraste acentuado nos obrigando a prestar atenção nos detalhes dessas mulheres.

 

Existe controvérsia quanto a abertura: alguns a consideram brilhante pela quantidade de boas informações e referências precisas sobre a série, a música tema que parece feita sobre medida e toda a qualidade artística que a compõe. Outros apontam que, por ser uma série da Netflix (e com isso ficar disponível por inteira), ela apresentam informações demais que serão repetidas a exaustão por qualquer pessoa normal que assiste ao canal (e por isso vê mil episódios de uma vez). Esses apontam que uma sequência menos carregada seria mais “assistível” em maratonas.

É inegável que trata-se de uma belíssima sequência, que fala por si só e defende bem a qualidade do show que antecede, e que mostramos aí embaixo:

 

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=fBITGyJynfA[/youtube]

 

E aí? Chata e longa demais ou uma obra de arte antes de um dos melhores shows da atualidade? Dê sua opinião abaixo!