Diretor responde críticas e explica escuridão em batalha de Game of Thrones

Fãs estão reclamando da “escuridão” de batalha épica em Game of Thrones

Atenção, esta matéria contém SPOILERS do episódio 8×03 de Game of Thrones, “The Long Night”.

O episódio do último domingo de Game of Thrones foi memorável. Exibiu a “maior batalha do cinema e da TV”, que contou com um orçamento astronômico de mais de U$ 15 milhões. Entretanto, o episódio sofreu uma severa crítica dos fãs, que destacou a “escuridão” durante cenas do conflito. Bem como, a dificuldade de identificar personagens em meio a confusão.

Sendo assim, o diretor de fotografia da série, Fabian Wagner, conversou com a Vanity Fair e resolveu explicar o porque da decisão de exibir o episódio daquele jeito. Ainda, respondeu algumas comparações que os fãs vem fazendo com uma batalha da franquia O Senhor dos Anéis.

Continua após a publicidade

O diretor do episódio [Miguel Sapochnik] se inspirou muito na Batalha do Abismo de Helm em O Senhor dos Anéis. Você pode ver muito da essência dessa batalha em nosso episódio. Entretanto, Andrew Lesnie tem uma abordagem um tanto diferente quanto a iluminação“, ressaltou Wagner.

Game of Thrones é uma série naturalista. Sempre foi. Durante as sete temporadas contamos muito com a iluminação do sol, da lua, da luz de velas. Lesnie, por outro lado, não tem remorso em adicionar luz às suas cenas. Sei que uma vez Sean Astin [estrela de O Senhor dos Anéis] o perguntou de onde vinha a iluminação da batalha, e ele respondeu, ‘do mesmo lugar de onde vem a música’“, destacou o diretor. “É por isso que a batalha de O Senhor dos Anéis é iluminada como um estacionamento de supermercado“, brincou.

Imagem relacionada

Cena de Game of Thrones iluminada artificialmente. No episódio, momento é mostrado com bastante escuridão. Imagem: HBO/Divulgação

Evolução da luz

O diretor ainda destacou que o episódio quis mostrar uma “evolução da luz” em suas cenas. É por isso que o momento em que Melisandre acende a trincheira é tão impactante.

“Precisávamos evoluir a iluminação. Fazia parte da narrativa.”, destacou o diretor. Além disso, ele explicou que os momentos em que a luz aparecia refletia um certo tipo de esperança que os personagens criavam para vencer a batalha. Tanto Beric quanto Melisandre, servos do Senhor da Luz, trazem esperança com eles neste episódio. Beric inspira Sandor e Melisandre inspira muitos – mas, mais especificamente, Arya, que se mostra em total escuridão nos corredores de Winterfell quando está em um de seus momentos mais críticos. E sabemos muito bem que, no final do episódio, Arya é uma peça importante na vitória contra o Rei da Noite.

Mas a falta de luz também desempenha um papel fundamental na sequência de abertura. É nela que vemos uma horda de Dothraki inteira engolida pela escuridão do exército dos mortos.

Produção e direção

Entretanto, vale ressaltar que Wagner não pode ser culpado pela dificuldade de enxergar, uma vez que a direção geral do episódio feita por Sapochnik proporciona momentos intensos e rápidos. Por isso, muitos fãs tiveram dificuldades em entender – ou mesmo enxergar – algumas cenas.

A reportagem da Vanity Fair também defendeu o uso da escuridão no episódio, comparando com a batalha de O Senhor dos Anéis. No longa, havia fatores que contribuíram para isso: orçamento infinitamente maior, bem como o maior uso de figurantes e dublês, que foram exibidos em cena. Já Game of Thrones precisava exibir um gigantesco exército de zumbis, somado a três dragões voadores. Logo, a inserção da escuridão também ajudou a encobrir a falta de orçamento, que não era nada pequeno para uma série de TV.

O diretor também acrescentou que muito do sentindo da iluminação vem da ideia de que é preciso entender que uma noite gélida é a protagonista da ação. Para os personagens, é difícil enxergar. Além disso, houve uma necessidade de imersão para os espectadores, no sentindo que era preciso mostrar que havia uma ameaça de escuridão real feita pelo Rei da Noite.

A batalha levou cerca de 55 noites para ser filmada, e Wagner concluiu destacando as dificuldades enfrentadas. [Foi] fisicamente exaustivo. Dizem que há um trabalho em filmar com animais ou crianças. Nós tínhamos tudo isso, só que 100 vezes mais.”. E bem, estava tudo lá. Mesmo que você não pudesse ver com detalhes cada segundo disso.

Ainda vale ressaltar que, na TV, houve uma perda de qualidade da imagem. O capítulo disponibilizado na HBO Go, por exemplo, está com a imagem infinitamente melhor da transmissão de domingo. De qualquer forma, a experiência para o público que o conferiu pela primeira vez foi prejudicada – e sem volta.

E você, o que achou do episódio?

Game of Thrones continua com sua temporada final todos os domingos, às 22h, pela HBO.

Leia também: O que vai acontecer agora em Game of Thrones? Confira teorias sobre o 8×04

Anderson Narciso

Anderson Narciso

Mestre em História, criador de conteúdo, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias e resenha séries semanalmente.

No comments

Add yours