Downton Abbey e as lições de um mundo em constante transformação

Um espectro de mudança percorreu as alas e corredores de Downton Abbey durante esses seis anos, e muita coisa lá de trás ficou totalmente no esquecimento – mas foi muito importante para mostrar a qualidade da série.

Ao longo do drama de Julian Fellowes, que começou em 1912 e termina esta temporada no Ano Novo de 1926, o mundo em torno da mansão Crawley mudou dramaticamente, e as mentes por trás do show se esforçaram para garantir que as mudanças culturais mais amplas daquele tempo fossem refletidas em trajes, adereços e diálogos.

Mais obviamente, nós assistimos o esforço coletivo dos personagens em época de guerra, mas outras mudanças foram sutis o bastante para, praticamente despercebidas, mudarem a dinâmica da trama. A sexta temporada, que chegou na América (Na GNT, aqui no Brasil) neste ano, revela um borbulhar de elementos da vida contemporânea que afetaram a superfície da burocrática sociedade inglesa.

A moda eduardiana da década de 1910 estavam cheias de tecidos pesados adornada com detalhes e bordados. Os vestidos continham um busto relativamente plano e uma cintura um pouco mais grossa, sem muitas marcações. Durante a guerra, a moda não era uma prioridade, mas depois, evoluiu mais rapidamente. Em 1925, as bainhas para as mulheres mais jovens batiam no meio da panturrilha, e vestidos da moda apresentaram uma silhueta mais marcada. Tiaras flutuavam pelos salões de festas, enquanto o cabelo cortado foi uma escolha elegante e prática para as mulheres como Lady Mary. Lady Edith, enquanto isso, começou ostentando cores e estampas populares em inspiração na Londres boêmia.

Continua após a publicidade

 

Modernidade e elegância

 

Em 1912, os jantares em Downton foram regularmente tomados de elegância. Homens vestiam calças altas e coletes, enquanto as mulheres usavam vestidos longos de gala, o tradicional white-tie. Cerca de dez anos depois, a elegância se refinou com o black-tie – smoking para homens e vestidos de noite para as mulheres – exceto, talvez, quando Violet estava à mesa. A cozinha ainda servia cinco pratos durante uma refeição normal e sete para uma ocasião especial. Em seguida, os homens podem ficar à mesa conversando sobre política ou economia, enquanto as mulheres tomavam café na sala de estar.

Para Violet, no entanto, as formalidades do jantar eram indispensáveis – ela deixava de usar seu luxuoso vestido de noite para um jantar informal em pleno 1925. Enquanto isso, sua prima Isobel não hesitou em deixar essa prática de lado, por vezes optando por simplesmente comer  numa bandeja em sua sala de desenho.

 

Constantemente tradicional

 

Em 1912, a família Crawley foi uma das únicas a ter um carro, e criou-se a necessidade de ter um motorista – a introdução do rebelde Tom Branson, que foi uma mudança importante para a série com seus ideias infláveis. Eles andavam a cavalo para o prazer, não por necessidade, e as mulheres sempre montavam de lado.

Em 1925, porém, a família Crawley teve ainda menos tempo para cavalgar, ocupados com o desenvolvimento da região. E embora ainda seja difícil de imaginar, as pessoas tinham começado a usar o voo comercial.

Quem diria que as jovens moças Crawley tivessem tantas tarefas diárias? Quando a conhecemos, esperava-se que seguissem os passos de sua mãe: se casar, ter filhos e se envolver com a vida da sociedade, até que morresse. A guerra, no entanto, precisou da colaboração de homens e mulheres, e logo a família se acostumou com a carga de trabalho adicional. Com o passar dos anos, Lady Sybil tinha trabalhado como enfermeira, Lady Edith estava comandando uma revista feminina, enquanto Lady Mary cuidava da propriedade. Até mesmo Lady Cora encontrou uma ocupação, no hospital da região.

 

Fazia diferença pra quem nunca trabalhou?

 

E os empregados? Grandes casas funcionavam de forma autônoma por séculos. Inquilinos pagavam para viver na terra e cultivá-la, fornecendo alimento para a casa e para a cidade, enquanto os funcionários trabalhavam a baixos salários. Mas por volta de 1925, os salários aumentaram três vezes. Impostos, taxas de mortalidade e uma depressão agrícola colocaram pressão adicional sobre as grandes casas, e muitas famílias começaram a vender suas propriedades. A manutenção de um lugar como Downton – Highclere Castle, cenário da atração, tem 50 quartos – precisava de algum pensamento criativo para evitar a venda de sua terra pouco a pouco e manter seus funcionários.

Em 1925, a Sra Patmore poderia usar a geladeira para manter produtos perecíveis frescos por mais tempo. Os quartos dos criados já tinham energia elétrica desde a segunda temporada. Mas apesar dessas conveniências modernas, a vida por debaixo dos salões de Downton Abbey não era tão fácil, especialmente depois do Lorde Grantham reduziu a equipe. As empregadas domésticas que em 1912 moravam na casa, por volta de 1925 estavam vivendo longe da aldeia. Camareiras e manobristas já eram bem atípicos em toda a classe alta, embora Downton não estivesse preparada para tais mudanças.

Como as transformações nos serviços domésticos, e principalmente nas mansões aristocráticas, eles procuraram outras ocupações que lhes permitiam mais tempo para si próprios.

Em 1912, as mulheres viviam na mesma verocidade sexual, mas não sabiam como ludar com isso. Entre a primeira e a sexta temporada, no entanto, vimos personagens dançando em clubes de jazz com estranhos e dormindo em quartos de hotéis sem nenhuma relação. O divórcio já era uma prática legal há décadas, mas só a partir de 1923 que as mulheres poderiam solicitar a separação. Após a Primeira Guerra Mundial, havia cerca de dois milhões de mulheres a mais do que os homens na Inglaterra.

Infelizmente para Thomas, no entanto, a homossexualidade ainda seria ilegal por mais 40 anos.

 

:/

 

Apesar da nova tecnologia, as cartas ainda atuavam como o principal meio de comunicação em 1925, devido à sua privacidade inerente. As mensagens eram entregues duas vezes por dia no campo, assim os residentes de Downton poderiam receber uma carta e responde-la antes que o dia terminasse.

Telégrafos e telefones – introduzidos na 1ª temporada – eram mais rápidos do que as cartas, mas continham menos informação, e as conversas com estes últimos, de certa forma, eram mais públicas.

Mas à medida que as revistas surgiram e o rádio floresceu – para a alegria de Lady Rose, a família comprou um quinta temporada – meios de comunicação começaram a se infiltrar em Downton de forma mais completa.

A vivência também foi uma outra maneira de se interar com o mundo. A guerra mostoru, para as classes mais altas, as más condições que as outras pessoas viviam. O governo introduziu programas de assistência para a classe baixa, e o Lord Grantham mostrou esse intuito, com a proposta de renovar algumas casas na aldeia vizinha. Além disso, as necessidade de novos tratamentos no hospital da vila, a exemplo de York, intensificou-se.

Clima político do país já estava mudando na primeira temporada, quando Lady Sybil argumentou apaixonadamente pelo sufrágio das mulheres e o socialismo, comparecendo a comícios com a ajuda de Branson.

Depois da guerra, no entanto, a Grã-Bretanha conseguiu eleger um primeiro-ministro do recém organizado Partido Trabalhista. Embora seu mandato durou apenas nove meses, foi a primeira vez que alguém representou a classe trabalhadora no poder.

Quanto ao futuro, a Depressão iria acabar com os últimos vestígios reais do luxuoso, tradicional e exuberante modo de vida dos Crawleys, mas eles teriam mais alguns anos para se adaptarem antes disso. Até o final da série, tanto patrões quanto empregados viriam a aceitar – ou quase aceitar – um mundo de mudança.

 

Equipe Mix

Equipe Mix

Perfil criado para realizar postagens produzidas pela equipe do Mix de Séries.

No comments

Add yours