DYNASTY – 1×05 – Company Slut

Imagem: The CW/Divulgação

O quinto episódio de Dynasty foi sobre a força da mulher no mundo dos negócios.

A rivalidade de Fallon e Cristal só cresce, e quando elas disputam a capa de uma revista e o título de mulher do ano é melhor não ficar no caminho delas. Nenhuma delas joga limpo de verdade e cada uma, a sua maneira, manipula a situação a seu favor. Apesar das tentativas de Cristal, quem leva essa é Fallon. Mas será que vale a pena ganhar um prêmio e ser dispensada duas vezes no mesmo dia? Fica aí o questionamento.

Continua após a publicidade

Fallon é visionária, estrategista e inteligente, mas sua arrogância atrapalha muito os planos dela. Os conflitos com Jeff continuam surgindo. Do jeito que está, a Morell Corp. já está com os dias contados. Uma mente tão brilhante para umas coisas e tão ignorante para outras. Ser expulsa de casa pelo pai e dispensada por Michael no mesmo dia é triste, mas tudo isso pode até ser algo bom para Fallon. Vamos ver como ela vai trabalhar esse sentimento.

O texto de maneira simples (leia-se superficial) contorna o escândalo do vídeo de sexo e coloca Cristal finalmente na figura de poder da Carrington Atlantic. O mundo corporativo é muito difícil e competitivo e, quando uma simples funcionária vira esposa do chefe e logo depois é promovida, a CEO isso desperta múltiplos sentimentos. E isso foi bem trabalhado! Alguns funcionários deixaram bem claro sua visão sobre ter a nova senhora Carrington no poder, principalmente depois do escândalo sexual, algo que afeta a imagem da empresa diretamente. O texto desenhou bem o quão difícil é o mundo dos negócios para as mulheres, como são julgadas, criticadas e o que elas precisam fazer para mostrar seu valor e ocupar seu espaço por direito. Cristal sofre a pressão de provar que é capaz e que merece seu cargo.

Tenho que dizer mais uma vez que Steven faz papel de planta. Incomoda demais vê-lo sem função na história, e quando junta com Sammy só piora. O plot desse episódio trazendo um ex de Steven foi tão previsível que até minha mãe (sim, nós assistimos juntos!) cantou a pedra como acabaria a historia. Encontrar seu ex com seu ex não deve ser nada legal. Sammy é um cara perdido que busca sua identidade e algum propósito, que vai além de curtir a piscina e a bebida da mansão. Steven precisa encontrar algo em que acredite. Quem sabe ele envolvido na empresa do pai acabe ganhando mais relevância na história. É preciso um pouco mais de atenção com esses dois personagens.

Um ponto legal desse episódio foi a interação de Sam e Anders. O mordomo está sempre alfinetando Cristal e o sobrinho, mas dessa vez ele decidiu dar conselhos para Sam e dessa forma conhecemos um pouco da história de Anders.

Imagem: The CW/Divulgação

Dynasty vem se mostrando uma série despretensiosa e nada mais que isso. Luxo, barraco, escândalos sexuais, negócios de família e muito dinheiro são bons ingredientes para uma série de TV, mas sua trama precisa ter coerência. Saber de onde partiu e para onde está indo para que possa entregar uma história bem amarrada e divertida de assistir. Apesar de perceber que ao longo de cinco episódios os personagens apresentaram certo desenvolvimento a sensação que começo a ter é que a trama pode está andando em círculos. Uma série que vem se resumindo a brigas entre duas mulheres, e ela pode ser muito mais que isso.

A rivalidade das famílias Carrington e Colby ainda não ganhou espaço merecido. Quando essa rivalidade se tornar o foca da série, deixando a rixa de Fallon e Cristal para segundo plano a qualidade dos episódios aumentará muito. A mudança de cenário mostrando a empresa de Blake deu um novo ar para série. Dynasty pode crescer muito se começar a desenvolver mais sequências na empresa, a rivalidade Carrington vs. Colby, além de tornar a rivalidade de Fallon e Cristal mais original e encerrar esse arco da historia envolvendo Claudia. O final do episódio apresentou uma boa montagem de cenas e colocou Blake mais uma vez em uma situação complicada. Será que o atropelamento de Claudia foi acidental mesmo?

Algo que considero um erro foi a recente decisão da primeira temporada ter 22 episódios. A The CW precisa entender que menos é mais. Hoje em dia as pessoas buscam cada vez mais series mais enxutas. E, sinceramente, do jeito que estão levando, não vejo que ela tenha fôlego para 9 episódios adicionais aos 13 encomendados inicialmente.

Tags Dynasty
Yuri Alves

Yuri Alves

Bacharel em Direito, fascinado pelo universo dos heróis e um viciado por séries e filmes. Um escritor a procura do meu espaço. Amante dos livros e da boa música. Adoro realitys. A série da minha vida , The OC. No Mix, sou responsável pelos textos de algumas séries como, Blindspot , Ozark, La Casa de Papel entre outras. Quando não estou no cinema ou maratonando uma série estou me aventurando na cozinha.

No comments

Add yours