Extant 1×05/06 – What on Earth is Wrong?/Nightmares

 extant-06

Continua após as recomendações

Estive meio afastada das internê, e por isso atrasei as reviews, sorry gente. Mas vamos falar de coisa boa? Com vocês os incríveis episódios de Extant que tá sambando na cara das outras hein, oh série boa.

Bom, o episódio 5, “What on Earth is wrong?” nos mostrou o que aconteceu após Molly ser capturada. Sim, retiraram o “bebê”, e soltaram ela no mundo como se nada tivesse acontecido. Acredito que essa atitude pode ter sido decepcionante para alguns, mas para mim não foi. Afinal não queria ver Molly fugindo para sempre. A riqueza da série está exatamente no confronto dos personagens.

Continua após a publicidade

Sam ameaçada por Sparks deixou Molly praticamente sozinha na sua verdade. Mas o praticamente aqui foi estratégico, porque temos John, o melhor marido do mundo. Que acreditou em Molly e ainda a ajudou na busca por provas. Realmente, a mordida de Gus, o cachorro, foi providencial. E aquela invasão ao laboratório foi uma tensão leve e necessária, bem estilo de filme de ação.

Eles descobriram que ela estava grávida sim, mas o DNA é bem diferente do nosso. Só isso já me arrepiou a espinha. Mas Molly é mais esperta, e resolveu voltar para a ISEA se fazendo de louca, mesmo sabendo que seria sempre monitorada. E assim, do lado de Danny, seu assistente que até agora nunca tínhamos ouvido falar, ela descobre um novo filtro para as câmeras da Seraphim.

Um adendo: Fico surpresa, e quem sabe isso seja uma falha no roteiro, que Sparks não tenha grampeado a casa dela ou o celular. Pelo nos dá mais chances para a ação.

Do 0utro lado da história temos Ethan ainda desacordado, e isso me deixa tensa. Julie dá um piti, mas John a coloca no seu lugar “você trabalha pra mim, não somos sócios.” Ela estava certa e errada ao mesmo tempo. Certa na preocupação, errada em cobrar. Mas sou team Molly então sai pra lá Julie.

O filtro de Danny mostra que foi uma energia que se movimenta muito rápido que matou os germes. E Molly resolve levar esse filtro para casa para analisar os vídeos da Seraphim. Assim como ela fiquei chocada com a imagem. O que é aquela energia que dominou tudo? E por que assumir a imagem de Marcus?

Pois é, o episódio 6, “Nightmares” parte exatamente desta descoberta. E nos traz Ethan (que acordou no final do último episódio) tendo um pesadelo. Sim, é isso mesmo, um P-E-S-A-D-E-L-O. Um robô com pesadelos. Gritei “comassim produção?”

Infelizmente essa questão é pouco desenvolvida no episódio, agora que Julie arranjou um “paquera” chamado Odin (“rei de Asgard, pai de Thor” Charlie ganhando meu coração), que é bem estranho, vamos admitir; e com John muito preocupado com Molly. No meio disso tudo uma coisa é certa, Ethan está ficando cada vez mais inteligente e especial, e isso por enquanto é bom, mas será que pode ser ruim?

Os cientistas que estão cuidando do “bebê” – porque tem o formato de uma criança, vai entender – também já estão infectados, e exibindo o símbolos em lugares do corpo. O cientista careca, mandado pela sua colega que já morreu (olha aí mais uma vez os mortos na história) acabou assassinando o outro cientista.

Concordo com Gordon, e assim como já vimos muitas vezes na história e em um milhão de filmes, acredito que Sparks e Yasumoto não sabem com o que estão lidando. Não sabem a magnetude daquilo, a força e o poder de adaptação. É como um vírus que assume várias formas e que é altamente contagioso. Modificando comportamentos e estabelendo padrões. Ainda não entendi porque eles queriam isso na Terra, mas acho que mais forte que a vontade deles, é a vontade dessa entidade de vir para cá.

Com a ajuda da tal plaquinha que é um pedaço de pele e sei lá mais o que, Molly espiona Sam, e descobre que ela está sendo chantageada por Sparks. Com isso ela perdoa a amiga, e voltamos a amar Sam.

Quem está de volta também é Harmon, que já chegou arrasando e roubando as digitais de Gordon para entrar na ISEA. Não gente, ele não é louco. E conseguiu acessar o servidor central para encontrar a tal mensagem que ele recebeu na Seraphim e nunca conseguiu abrir. Por incrível que pareça, ele não está infectado por nada – acho que ele e Molly são meio imunes – e Alan sabia que ele estava vivo.

Pena que a minha relação com Gordon já seja de amor e ódio. Ele teve mais foco nesse episódio e vimos seu lado humano, mas quando ele pega Harmon já comecei a odiar novamente. Logo agora que, após o flashback, já estava me afeiçoando mais ao astronauta! :/

Mas Harmon, mais uma vez ele, nos trouxe o grande ápice do episódio, a tal mensagem que ele recebeu no Seraphim, mensagem essa que estava criptografada e foi aberta por Ethan (nosso humanóide arrasando). A mensagem foi sim enviada de outra nave, e agora o choque, ERA DE KATIE SPARKS, A FILHA DE ALAN SPARKS. No vídeo ela falava sobre o “vírus”, que seria essa entidade. E também sobre todos os tripulantes estarem infectados. Ela também estava grávida, assim como Molly, e foi morta por seus companheiros no espaço.

Agora, depois desse baque, a dúvida que fica é: o que Alan quer com essa força alienígena é reviver Katie? Isso ficou meio que claro quando ele pede para o tal alien “mostrar” Katie? É tentar salvar a tal criança? Ou outra coisa que não saquei? E vocês, o que acham?

Tags Extant
Letícia Bastos

Letícia Bastos

Publicitária, social media, mangaká e dançarina em protestos. Também sou apaixonada por séries e admito que novelas são meu Guilty Pleasure. Apaixonada por comédias cult/pop/nerd, ainda pretendo fundar uma seita para os Adoradores de Arrested Development. Aqui no Mix sou editora de Realitys Show e escrevo as reviews de todos os realitys do mundo, como Masterchef BR, The X Factor UK e BR, The Voice US, AUS e BR, BBB e RuPauls Drag Race.

No comments

Add yours