Fall Season: O que esperar da 4ª temporada de Chicago Fire

A 3ª temporada de Chicago Fire foi concluída entre muitos tropeços, socos e pontapés. Ela não foi marcante, muitos personagens contaram com histórias que não vingaram, ou foram rasas, e os chamados ficaram tímidos e perderam o brilho (e o impacto). Foi um ano de momentos, em que alguns garantiram ótimos picos de tensão enquanto outros simplesmente passaram batidos.

Continua após publicidade

CF

Continua após a publicidade

É fato que a maestria das 2 primeiras temporadas não estava tão presente na 3ª de Chicago Fire. Houve uma extrema dificuldade de reinventar mais um ano da série. A trama se esforçou demais para se manter interessante, mas a monotonia, a falta de impacto e de conflito garantiram um arrastar quase insuportável. De se ficar exausto ao ponto de desejar que tudo acabasse logo.

Continua após publicidade

Agora, com o cliffhanger da S3, acho que podemos esperar coisas boas.

O cerne da S4

Continua após publicidade

O nome do primeiro episódio será Let It Burn. O Batalhão estará em um novo clima de transição e alguns personagens terão novos papéis a exercer e, óbvio, isso afetará o ambiente de trabalho e a vida pessoal da galera. A tentativa é tirar todo mundo da zona de conforto e há boatos de que seremos estapeados com o primeiro chamado da premiere que será de partir o coração.

O sequestro de Casey

Continua após a publicidade
O MIX DE SÉRIES atingiu 10 milhões de visitas mensais e vamos ensinar tudo que aprendemos nessa caminhada! Aumente o tráfego do seu site com técnicas avançadas de SEO.
Faça seu pré-cadastro aqui!

Com a bagunça do cronograma da NBC, ainda não me desce a realidade de que Chicago Fire retornará depois de Chicago P.D.. Uma superdesfeita com a irmã mais velha.

Por causa disso, houve muito burburinho em qual das duas o sequestro de Casey seria dissolvido. Olmstead falou ao TVLine que as coisas não serão tão fáceis para o personagem. Afinal, ele pode ser acusado pela morte de Katya. O produtor ainda afirmou que havia uma conexão entre o Tenente e ela, uma realidade vista toda vez que ambos conversavam. Assim, esse mistério tem duas facetas:

  • Katya foi atrás de Casey para pedir ajuda, mas acabou no lugar certo só que na hora errada, ou
  • Ela foi até o apartamento a fim de ludibriá-lo para dar aval ao sequestro. Algo deu errado e Katya terminou morta, talvez, para despistar o que de fato aconteceu.

Alternativas que, até então, são apenas suposições ditas por Olmstead. Pela falta de spoilers, podemos esperar algo mais impactante, pois a vida de Casey estará na berlinda – como mostrou a promo.

CF-CaseyNo final da S3, deu a entender que Voight e Antonio resolveriam o sequestro de Casey com a turma da Unidade de Inteligência completa, um norte que seria pertinente já que foram os dois que empurraram o Tenente para a linha de fogo. Por enquanto, está garantido que ambos trabalharão em tempo integral para dissolver o caso, só que Olmstead garantiu que tudo transcorrerá em Fire.

O que preocupa é o depois do sequestro. Casey não ficará nada bem e a gravidez de Dawson será um novo sopro na sua vida. Até porque, além do estresse pós-traumático, Antonio avisará que nada do caso pode ser resolvido. Ou seja, haverá aquela sensação de que tudo aconteceu em vão.

Gravidez da Gabby

Sim, ela está grávida, e a ordem é: mulheres grávidas não podem ser bombeiras.

CF-DawsonUma das transições prometidas para essa temporada será a de Dawson. Ela batalhou na S3 para ser reconhecida e respeitada como bombeira e agora terá que retroceder do sonho por causa da gravidez. Soa perfeito, mas falamos de uma mulher orgulhosa, que sempre colocou a profissão acima de tudo e fez o que fez para provar que era capaz. Com a confirmação do bebê, a personagem passará pelo conflito profissional vs. pessoal, pois enfrentará uma nova mudança de cargo.

Dawson bem que poderia voltar para a ambulância… Infelizmente, não é uma alternativa.

O novo job: trabalhar no departamento de incêndios culposos. Um lugar que não pertenceu efetivamente, mas provou que manja dos paranauê. Sua primeira investigação tem a ver com um chamado do 51º Batalhão, claro, e, se descobrir o que acontece, ela ajudará seu eterno lar.

Contar para Casey sobre a gravidez não será fácil. Olmstead afirmou que a personagem não vê sua nova situação como um motivo para reatar com o ex. O primeiro pensamento é “ok, tenho que lidar com isso e contarei para o cara que, obviamente, amei”. O “amei” é preocupante, mas o produtor esclareceu que a bombeira ama Matt, mas não quer vê-lo agir por impulso. Afinal, ambos não estão mais juntos.

A única coisa certeira é que, quando Casey souber, ele ficará chocado e depois será muito protetor. E, ao contrário dela, possivelmente retornará com a ideia de casamento.

E como ela lidará com o desaparecimento de Casey? Má sorte a dela em ter sido a pessoa a encontrar a cena do crime. Dawson culpará Voight, que voltará a ser julgado pelas suas decisões que, dessa vez, será a base do Otis: no diz que me disse e ninguém sabe de nada.

Severide na estaca zero

Se houve um personagem que contou com um melhor desenvolvimento na S3, este foi Severide. Na 4ª temporada, o que está previsto para ele é a busca de estabilidade na vida. Claro que ele não conseguirá, a começar por ser rebaixado do posto que ocupa no 51º Batalhão.

CF-SeverideO filme de Severide está queimado. Uma sinalização do quão problemática foi sua equipe no desenrolar da S3 – Mills e a vertigem seguida de abandono, Vargas e Hadley que mal existem na série, e Rice que não estava pronto para retornar ao trabalho e fez o amigo pagar micão.

Assim, ele perderá o posto e lidará com as angústias se deve retornar ou não, ou trabalhar em outro Batalhão ou tocar a vida de outro jeito. Até descobrir o que quer da vida, um novo romance o encontrará no percurso. Parece que, finalmente, Severide viverá um relacionamento sólido. Vamos dizer amém, porque está aí um personagem que só é usado para promover as séries novas.

A dama da vez será vivida por Rachel Nichols. Ele a conhecerá em um seminário – que será a prova da sua aptidão de retornar ao trabalho. Olmstead garante um belo arco de complicações.

Novos personagens

Com os buracos no 51º Batalhão, chegou a hora de mandar currículos porque há vagas. Ao menos, havia. A meta da S4 é ter postos permanentes, mas aconselho a não se iludirem. Sabemos que a turma de escritores ama matar personagens (e há atores que amam sair de séries).

CF-ChiliAntes do final da S3, tivemos a saída de Mills e a chegada de Chili, interpretada por Dora Madison que foi promovida a regular. Ainda não há muito sobre a paramédica, um arco amoroso está em vista e um destaque que abrirá margem para o desenvolvimento da sua personagem.

Quem dará um rolê no Batalhão é Brian White, como Dallas Patterson, o novo capitão do Esquadrão. Um personagem complexo, que não afetará Severide, e que só quer ser bem-sucedido.

Na soleira de Dallas, também haverá Ray Riddle, que será vivido por Fredric Lehne. Ele ocupará um posto acima do Boden e analisará as novas mudanças de pertinho por ser responsável pela auditoria de todos os Batalhões. Não esperem um amor de pessoa, pois o personagem é descrito como rude e cheio das politicagens. Inclusive, nem se importa se o 51 virar um problema maior no decorrer do seu trabalho. Espero que não seja como Pridgen.

Por fim, temos o ex-The Vampire Diaries, Steven R. McQueen, que será Jimmy Borelli, um Candidate. Olmstead o considera um superstar do Batalhão. O que se sabe até então é que a chegada dele será dramática e que alteará as sobrancelhas de Boden. Além disso, o personagem terá um irmão mais velho que o pentelha e que o faz se sentir como uma sombra. Casey é quem será o seu mentor, por ver nele a faísca de um bombeiro de sucesso.

Os veteranos

Pouco se sabe do que acontecerá com os demais membros do Batalhão, a não ser Cruz, que foi promovido para o Esquadrão e deixou Otis com traição nos olhos.

O interessante é que Cruz será uma ponte para a problemática de Severide. Uma ótima escolha, pois esse personagem é cheio das inspirações e vê seu chefe como um modelo a ser seguido. O bombeiro dirá ao amigão rebaixado que ele não pode ir a canto algum – e nem queremos!

Os romances

Brett e Roman iniciaram algo no final da S3 e houve uma insinuação de que ambos intercalariam esse romance entre CF e CPD. Ficaria muito contente, mas todos os affairs entre séries não deram certo porque os escritores acham dificílimo (palavras do Olmstead).

A prova disso é a inserção de um triângulo amoroso entre Chili, Jimmy e Brett.

Há futuro para Dawsey?

CF-DawseyMesmo com os empecilhos, os escritores irão mantê-los juntos até quando acharem pertinente. A intenção da S4 é mostrar como um casal lida com a notícia da gravidez seguida de uma quase tragédia. A pauta casamento retornará, mas há o descarte de resoluções breves.

A storyline deles partirá de onde parou: Dawson correrá em círculos para entender o que aconteceu com Casey e com Katya. Os 3 primeiros episódios serão focados na preocupação dele com esse caso e com o que aconteceu, e ela perceberá que esse não é o melhor momento para revelar a gravidez. Prevejo mais e mais dramas e mais e mais dificuldades.

Expectativas

Espero melhor construção de trama, detalhe que afetou absurdamente a S3. Usaram a morte de Shay até não ter nem o bagaço para contar história. Pior que isso, só as fofoquinhas do Otis e o clima High School Musical do Pridgen. Está na hora de retornar ao foco adulto – não que não tenha, mas houve muita gracinha sem o menor cabimento que levou a vários nada. Quero a essência da S1 de volta.

Adoraria que os secundários fossem explorados e que os escritores realmente cumprissem essa meta de sair da zona de conforto. Há muitos que precisam urgentemente de novos desafios – Herrmann e Otis, maiores exemplos.

Queria que Mouch e sua filha contassem com um desenvolvimento, mas Olmstead descartou a possibilidade. Só há chances de um revisitar, nada mais que isso.

Resgato a ideia do triângulo amoroso: não acho interessante. Ainda mais quando vem com a tentativa de criar rivalidade entre duas mulheres. E, outra, Brett não faz o tipo que choraminga por um cara. Ela é take it or leave it, não precisa desse retrocesso por ser uma das poucas personagens independentes do universo Wolf. CW feelings em Fire? Sério?

Isso é tudo, amiguinhos. Chicago Fire retornará no dia 13 de outubro e estarei aqui no Mix fazendo as resenhas.