Famoso episódio de Criminal Minds tem macabra verdade

Criminal Minds terá personagens antigos no final
Imagem: CBS/Divulgação

Você sabia dessa curiosidade de Criminal Minds?

Criminal Minds foi um sucesso que durou bastante tempo. E, frequentemente, apresentava referências a famosos assassinos em série e crimes.

Continua após publicidade

A Unidade de Análise Comportamental, conhecida como BAU, costumava usar esses assassinos infames para explicar o contexto ou fornecer comportamentos semelhantes aos exibidos nos casos que estavam pesquisando. 

Continua após a publicidade

Às vezes, a série fazia mais do que apenas referenciar esses assassinos e, na verdade, baseava seus episódios em eventos da vida real. O décimo sexto capítulo da primeira temporada, “The Tribe“, é um desses episódios.

Continua após publicidade

Os assassinos do episódio são um grupo baseado no infame culto liderado por Charles Manson. Mas você sabia que esse famoso episódio tem uma verdade macabra por trás dele? Pois é. Então estamos aqui para te contar!

Continua após publicidade

Episódios guarda várias semelhanças com o caso Manson

Em “The Tribe“, o BAU é chamado para investigar as mortes brutais e aparentemente ritualísticas de um grupo de adolescentes. Para incriminar nativos americanos, o crime foi todo encenado utilizando antigos métodos dos índios locais.

Assim, a primeira parada do BAU é falar com a polícia local da reserva. John Blackwolf, policial da reserva e ativista local pelos direitos dos índios americanos, é quem esclarece o caso para os detetives.

Logo, Blackwolf rapidamente confirma que os assassinatos não foram cometidos por ninguém da reserva. Mas alguém deliberadamente está incriminando a população nativa local. Desta forma, ao identificar uma variedade de práticas antigas de tribos diferentes, Blackwolf chega à conclusão de que ninguém na reserva cometeu o crime.

Imagem: CBS/Divulgação

Cultos, guerras raciais e crimes marcam a história

Eventualmente, o BAU descobre a existência de um culto local liderado por um homem que eles chamam de “Avô”. O culto é liderado por Jackson Cally. O sujeito estudou a herança dos índios americanos e usou o que aprendeu como parte de sua trama. Tudo isso, para criar uma guerra racial entre os brancos e os nativos americanos.

Mas Charles Manson também tentou criar uma guerra racial. E manipulando seus seguidores para cometer assassinatos. Bem como, tentou incriminar o grupo Pantera Negra pelos crimes.

Ele se referiu ao seu enredo como “Helter Skelter”, baseado em uma canção dos Beatles, porque acreditava que o “White Album” da banda estava cheio de referências à guerra entre brancos e negros que se aproximava.

Eles também eram semelhantes em outros aspectos. Como Manson, Cally, de Criminal Minds, era um criminoso antes de se tornar um líder de seita. Antes de se tornarem os líderes do culto pelos quais seriam lembrados, portanto, Cally e Manson passaram um tempo na prisão.

De arrepiar, não?

E então, você já encontrou referências a crimes reais em Criminal Minds? Deixe nos comentários e, igualmente, continue acompanhando as novidades do Mix de Séries.

Gaúcho, estudante de jornalismo e viciado em séries. Tem séries pra assistir de mais e tempo de menos. Séries favoritas? Six Feet Under e Breaking Bad.