Fuller House – 2×06 – Fuller Thanksgiving

Imagem: EW
Imagem: EW
Imagem: EW

 

Continua após publicidade

Episódios de Ação de Graças são sempre aguardados em quaisquer séries, e em Fuller House não seria diferente. DJ toda histérica para que o evento saísse da forma mais perfeita possível, muito me lembrou nossa querida Monica Geller de Friends. Se foi referência ou homenagem eu não sei, mas que ficou muito bom, ah isso é fato.

Continua após a publicidade

Já estamos na metade da temporada, e pensei que o elenco da série clássica não fosse aparecer nunca, e curti que a cada entrada, Max fazia um anúncio com trompete. Grandes surpresas aconteceram com a aparição desses personagens, mas infelizmente nenhuma delas se tratava de um possível retorno de Michelle. Vimos um Danny “descolado”, que no começo soou forçado, mas até que estava começando a gostar desse jeitão despojado dele. Além disso, nos deparamos com a família de Joey pela primeira vez, e francamente posso dizer que odiei todos, e aquelas crianças faziam a disputa de quem era a mais insuportável.

Continua após publicidade

Todas as histórias tiveram suas devidas relevâncias, porém a que mais me deixou com o coração na mão, a princípio, foi a reação de Steve ao descobrir que DJ e Matt estão juntos. Fiquei com uma pena danada dele, que não soube disfarçar sua decepção, e o mais constrangedor no meio disso tudo foi ele chamando CJ de DJ o tempo todo. Seria mais uma referência/homenagem a Friends, quando Ross diz o nome de Rachel quando está prestes a se casar com a insuportável da Emily?

Outra história que conseguiu me fisgar bastante foram os atritos de Jesse e Becky. Na temporada passada, vimos o quanto a personagem estava encantada com Tommy, e agora o seu desejo maior era de adotar uma criança. O músico se sentiu incomodado, mas entendi em partes alguns de seus motivos, e não foi apenas por ter criado as três sobrinhas e depois seus dois filhos. Jesse tem o dom com as crianças, mas ele tem medo da idade, e já está ciente, por mais que odeie admitir, que não é mais nenhum garotão. Só que ler para Tommy o fez reascender esse seu instinto, e esse momento entre ele e o caçula dos Fuller me lembrou muito aqueles que o rapaz protagonizou ao lado de Michelle, nos tempos de Full House.

Continua após publicidade

A hora do jantar foi o ápice do episódio, com emoções a mil. O que foi Steve fazendo um brinde para que o namoro de DJ e Matt não durasse? Apenas passei mal de tanto rir aqui, e isso além de Joey e Kimmy, que foram perfeitos juntos. Ela tentando dizer o quanto os filhos dele eram insuportáveis e não achando o jeito certo para isso foi espetacular, e ainda bem que apesar de tudo ela não deixou estragar tal momento. A emoção rolou solta, com Jesse anunciando que ele e Becky vão adotar sim uma criança, e admito que chorei junto com ela nessa parte, me julguem. E é claro que o episódio não podia acabar, sem antes rolar uma das inúmeras indiretas às gêmeas Olsen. Aliás, John Stamos soltou uma baita direta, isso sim, e eu achei formidável. #WeWantMichelleBackInSeason3