Game of Thrones – 4×02 – The Lion and the Rose

got

Imagem: HBO/Divulgação

Viva o casamento real!!!
Todos foram convidados para o casamento do Leão (Casa Lannister) e da Rosa (Casa Tyrell). Muitos gostaram do evento, inclusive eu, não só pelas atividades recreativas, pelos convidados ou pela comida, mas também pelos eventos que ocorreram durante a festança, se é que vocês me entendem…hehehe

Finalmente, aconteceu o que todo mundo queria, a morte do personagem mais odiado de toda a série, Joffrey, ‘The King of Westeros!’ Foi uma cena única, onde o rei foi envenenado ao comer o bolo, assim ficou consagrado o casamento púrpura.

O mais interessante agora é tentar descobrir quem queria matar Joff, quem não gostava dele…. praticamente todo mundo! Todos os presentes, se for parar para pensar tinham motivos para matá-lo. Mas quem levou a culpa (como sempre, infelizmente) é o anão. Tyrion Lannister é um dos que tinha mais motivos para matar o sobrinho, mas acredito que não faria isso. Sansa também tem muitos motivos: Joffrey mandou executar seu pai, humilhou-a diversas vezes, seria uma vingança ótima, tendo em vista que os Lannisters também mataram sua mãe e seu irmão. Fora isso, ela ainda fugiu durante o casamento, levantando ainda mais suspeitas. Poderia ter sido até Cersei, ela estava deixando de ser rainha, não queria que Margareth Tyrell assumisse este cargo e nem queria ser obrigada a casar com Loras; ela poderia ter planejado com Jaime a morte de seu próprio filho. Além destas, há outras hipóteses, como Oberyn Martell, que jurou vingança aos Lannisters; Margareth Tyrell, que serviu o bolo; sua vó, a Rainha dos Espinhos, que, sempre bem humorada, indagou que tipo de monstro mataria alguém em um casamento; a solução do mistério está nos detalhes. Como Joff era odiado por muitos, mais da metade de Porto Real pode ter matado o rei, inclusive Melisandre, lá da Pedra do Dragão, em nome de Stannis, através da sua magia (como ela fez com Rendly).

Acredito que Game of Thrones jamais será o mesmo sem o odiado Joffrey Baratheon, seu abuso de poder, sua covardia infantil (ele ainda era muito imaturo para governar). Mas com sua morte podemos perceber que nesta história nem só mocinhos morrem, para alegria geral, ‘The King is DEAD!’

Além da morte de Joff, o casamento serviu para conhecermos Mace Tyrell, o senhor de Jardim de Cima (que dá de presente a Joffrey uma taça, desejando vida longa – muito suspeito também). Conhecemos também Tommen, o filho mais novo de Cersei, que agora é interpretado por outro ator.

Fora o casamento, o segundo episódio da quarta temporada mostrou os outros núcleos que não apareceram no episódio de estréia, como Bran e seus sonhos proféticos. Sua habilidade ‘warg’ está se desenvolvendo muito rápido e Meera e Jojen Reed são obrigados a avisá-lo para que tenha mais cuidado ao habitar o papel de seu lobo.

Teve também o aparecimento de Stannis, o momento mais fraco do episódio, na minha opinião. O embate entre Melisandre e Davos em prol das crenças de seu rei está tão repetitivo que chega a dar preguiça, para a tristeza dos admiradores (como eu) deste importantíssimo personagem que é Stannis Baratheon para a história.

Houve ainda o rompimento de Tyrion e Shae, quando Tyrion a destrata, obrigando-a partir para Pentos (e não correr mais riscos), seguindo o conselho de Brown.

got 4x02

Imagem: HBO/Divulgação

Apareceu também neste episódio, Theon Greyjoy, ou melhor Reek (Fedor), como agora ele é atendido. A cena em que Ramsay pede para Reek fazer a sua barba foi espetacular. Ela demonstra como Reek foi manipulado por Ramsay, o que a tortura pode fazer com uma pessoa e como pode mudar seu psicológico. Reek transformou-se em um verdadeiro animal, esperando as ordens de seu dono; não se abalou nem no momento que ficou sabendo da morte de Robb, demonstrando sua total submissão. Atuação excelente dos atores!

Este segundo episódio, para mim, foi ainda melhor que o primeiro, não só pela morte de Joffrey, que eu já desejava faz tempo (ele podia ter sofrido um pouco mais), mas também por todos os diálogos e farpas trocadas em King’s Landing. Acredito que este foi um dos episódios com mais frases marcantes que já teve…a tirada do Loras no Jaime, a conversa entre Cersei, Twin, Oberyn e sua amante, Joff e Tyrion, Cersei e Margareth, Cersei e Brienne, etc… E vale citar que foi o próprio George R.R. Martin que escreveu o roteiro deste episódio.

Como disse Joffrey, casamento real é história! ‘Best royal wedding ever’!

E aí? Quem você acha que matou Joffrey? E quem assumirá o trono, agora?
Sem spoilers, hein.

Paula Reis

Paula Reis

Advogada e concurseira de plantão, no Mix, é editora de reviews e colunas. É viciada em tudo sobre Game of Thrones e adora séries jurídicas.

No comments

Add yours