Game XP 2018 reforça vocação do Rio de Janeiro em realizar grandes eventos

Imagem: Anderson Narciso/Mix de Séries

95 mil pessoas lotaram o evento, confirmando que é possível manter um Rio de Janeiro de paz

Mais uma vez, a Cidade do Rio de Janeiro foi palco de um grande evento e reafirmou sua vocação para grandes produções, com a apresentação do primeiro game park do mundo. A Game XP 2018, que nasceu no Rock in Rio 2017 e ganhou vida própria este ano, reuniu 95 mil pessoas durante quatro dias (de 6 a 9 de setembro) no Parque Olímpico, na Barra da Tijuca.

O clima foi de celebração e paz entre famílias e as diversas tribos que passaram pelo local. Pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e divulgada neste domingo pelo Ministério da Cultura (MinC) apontou um impacto econômico da Game XP de R$ 53,9 milhões para o Brasil.

De acordo com a FGV, do montante arrecadado R$ 36,7 milhões são de impacto direto (hospedagem, alimentação e transporte), enquanto os demais R$ 17,2 milhões referem-se ao efeito indireto. A metodologia desenvolvida pela instituição considera o efeito cascata que os gastos do público da Game XP têm na economia local.

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Para o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, os dados da pesquisa da FGV mostram o efeito multiplicador que a Game XP tem para o mercado nacional. “Estou certo de que entre o volume de visitantes que passou pelo evento, há muitas pessoas que começam a partir de agora a ter um novo olhar sobre o setor de games. Não apenas como consumidores, mas também como uma alternativa profissional. Nossa tarefa é transformar o sonho dessas pessoas em uma possibilidade real.”, ressalta.

Roberta Coelho, Diretora Geral da Game XP, comemora o sucesso do evento. “É impactante ver as pessoas entrarem pelo pórtico do parque e celebrarem a chegada de mais um grande evento nesta cidade maravilhosa. A Game XP pertence aos brasileiros. Afinal, o Brasil é um celeiro de talentos e tem a capacidade de produzir conteúdo de muita qualidade. Somos o exemplo real de que é possível dar continuidade a um legado incrível, o Olímpico, quando usamos para tantos eventos este espaço do Parque Olímpico, como fazemos já no Rock in Rio e, desde o ano passado, com a Game XP.”, reforça.

Resultado positivo…

Somando os quatro dias de evento, somente a Inova Arena, focada em inovação e tecnologia, e a GamePlay Arena, dedicada a experimentação e lançamentos dos principais jogos do mercado, além de receber o concurso de cosplays, receberam mais de 83 mil pessoas, cada uma. Já a Oi Game Arena, onde foram realizadas as disputas de E-sports, teve um público de mais de 57 mil visitantes.

Roberto Fabri, diretor da Game XP, conta que o evento conseguiu ampliar a visão do público sobre o universo gamer, além de abrir novas frentes para esta gigantesca indústria ao investir no cenário carioca. “Nesta edição da Game XP tiramos o e-sport de um nicho e o apresentamos como um conteúdo de entretenimento para o grande público. Desmitificamos os games para o público e abrimos uma nova frente de mercado para a indústria.”, afirma Fabri, lembrando que esta é a indústria que mais cresce no mundo e é maior que a do cinema e da música juntas.

Entre as ativações da Experience Bay, na área externa da Game XP, as que mais receberam visitantes foram a Roda Gigante Oi, Waka-a-Friend e PES Experience.

Ativação de PES, uma das mais procuradas da Game XP. Imagem: Anderson Narciso/Mix de Séries

 

Roda Gigante fez sucesso na Game XP. Imagem: Anderson Narciso/Mix de Séries

Na área de consumo, quem visitou o evento não deixou de passar pela loja de produtos oficiais, que teve inúmeros itens esgotados, entre eles bonés, chaveiros e camisetas. Já na gastronomia do parque foram consumidas 3 toneladas de batatas-fritas e 10 mil unidades de sorvete, por exemplo.

Os destaques do quarto e último dia da edição 2018 da Game XP – Oi Game Arena foram marcados por disputas acirradíssimas

Com casa cheia, a Game XP 2018 se consolida no calendário oficial de eventos da Cidade do Rio de Janeiro. Nos destaques do domingo, 9, último dia da Game XP, na Oi Game Arena, onde o público vibrou a cada jogada, foram realizadas as finais do brasileirão Rainbow Six. Disputado no formato melhor de três mapas, o torneio trouxe para a maior tela de games do mundo as disputas preliminares e a grande final, para a qual o público lotou o espaço até o fim das partidas.

O primeiro confronto do dia foi entre a Yeah! Gaming e o Team One, com vitória do primeiro por 2 a 0. Em seguida, a Yeah! Gaming disputou a vaga na final contra a Black Dragons, em uma partida emocionante. O time da Black Dragons levou a melhor e avançou para a grande final, para enfrentar a equipe Faze Clan, que já era finalista por ter conquistado o primeiro lugar na fase inicial do torneio.

Antes da aguardada final, a Filarmônica do Rio de Janeiro apresentou a clássica trilha sonora do jogo trazendo ainda mais expectativa e emocionando o público presente. Ao som dos bastões dos torcedores da Black Dragons, o duelo com a Faze Clan pelo título Brasileiro de Rainbow Six teve início. A disputa seguiu apertada até o 6º round, com jogo empatado. Mas as grandes jogadas dos players Cameram4n e Gohan garantiram a Faze Clan o primeiro mapa por 6 a 4.

Continua após a publicidade

O segundo mapa, agora de escolha da Black Dragons, foi o Consulado. Com os operadores Glass, Termite Valkyrie e Vigil banidos, o jogo recomeçou. No meio do round, esta equipe abriu 3 a 1, fazendo o público voltar a agitar seus bastões efusivamente. Com o apoio de sua torcida, a Black Dragons não se deixou abater pelo resultado do primeiro mapa e venceu facilmente por 6 a 2, levando a final para o terceiro round e expectadores a loucura.

Com Lion, Ying, Mira, Jagger banidos, o jogo na Fronteira (mapa determinado) começou com um 1 a 0 para Dragons, com um Double kill do Kamikaze. A comunicação e rotação bem executadas garantiram à Faze a virada do jogo e a ampliação da vantagem para 3 a 1. Com a Black Dragons na defesa, a Faze cresceu ainda mais na reta final, tornando se bi-campeã do Brasileirão Rainbow 6. Cameram4n descreveu o sentimento pela vitória, “Muito feliz título! É algo que a gente sempre busca e hoje conseguimos. O time todo está de parabéns e agora é seguir para conquistar outros títulos daqui pra frente.”, finalizou o atleta da Faze Clan.

Na Experience Bay, a arena Rainbown Six: Siege também foi destaque

Sucesso entre os visitantes, o cenário em tamanho real inspirado no jogo reuniu pessoas de todas as idades, que se divertiram como protagonistas nessa arena. “Eu já conhecia o jogo e achei muito legal ter essa experiência aqui no evento. Não consegui vencer, mas estou feliz de ter participado.”, declarou o estudante Heitor Monteiro, de 10 anos, que estava acompanhado da família. Os visitantes do primeiro game park do mundo também tiveram a oportunidade de experimentar na prática os desafios de jogos como Pro Evolution Soccer, Spiderman Challenge e Clash Royale King Size, entre outros.

Ativação de Clash Royale na Game XP. Imagem: Anderson Narciso/Mix de Séries

Na Inova Arena, o quarto e último dia de atividades foi marcado por encontros especiais

O Estande da Kitlivre, empresa que desenvolve soluções em mobilidade, promoveu a inclusão, diversidade e despertou a atenção do público. Por meio de realidade virtual, os participantes foram convidados a um desafio: participar de uma competição em um triciclo motorizado para cadeirantes. “Acredito que a tecnologia tem sido fundamental para diminuir barreiras e vencer preconceitos. Foi um desafio emocionante e enriquecedor.”, declarou Tânia Oliveira, carioca de 32 anos. O espaço ainda ofereceu aluguel de cadeiras de rodas e triciclos motorizados.

O espaço Inova Stage, nesta mesma arena, recebeu o empresário Ricardo Chantilly e o fundador do Afroreggae, José Júnior, para falar sobre o Afrogames, o primeiro Centro de Formação de Jogadores de E-sports em favelas do mundo. “Como idealizadores do projeto, temos o compromisso de usar a tecnologia em prol da transformação. O Centro vai oferecer aulas sobre programação de games, produção musical e língua estrangeira. É preciso qualificar o jovem e democratizar o acesso à informação.”, destacou Ricardo.

Ainda como parte das atrações da Inova Arena, o espaço The Last Squad – Ultimate VR Experience, desenvolvido pela empresa Arkave, convidou o público a conhecer um novo formato de entretenimento voltado para experiências multiplayer totalmente imersivas. Em espaços individuais de 28m², os jogadores puderam se movimentar livremente usando todo o corpo para jogar e se divertir. “Nosso objetivo é criar um ambiente, no qual, as pessoas jogam no mesmo espaço físico e virtual, conectadas aos seus amigos, podendo, inclusive, interagir e conversar durante as partidas.”, destacou Francisco Chaves, CEO do Arkave (Leia também, a matéria que fizemos sobre o destaque para a realidade virtual na Game XP).

Continua após a publicidade

O espaço temático NBA Fan Zone, também na Inova Arena, desafiou os visitantes em uma quadra com tecnologia de ponta apresentada pela primeira vez no Brasil pela NBA. Por lá, passaram atletas profissionais, como Marquinhos, Balbi, Nesbitt e Olivinha (Flamengo), Duda Machado (Vasco da Gama), Cauê Borges (Botafogo) e Tiago Brant (Niterói) – que disputaram um torneio de videogame no NBA2K19, jogo que teve o seu lançamento mundial nesta Game XP. O público pôde, durante os quatro dias de evento, jogar nesta quadra, experimentar o game, ver a exposição de camisas de “Lendas”, e ainda tirar fotos com o Troféu Larry O´Brien.

Estamos muito felizes com o resultado do evento. Temos investido muito em inovação e tecnologia, buscando uma interação cada vez mais próxima com o mundo de games e os nossos fãs, e a Game XP foi uma excelente oportunidade para isso.”, afirma Rodrigo Vicentini, Head da NBA no Brasil.

E, na Game Play Arena, o concurso de cosplays foi a principal atração do domingo

Dez pares de personagens – já selecionados em votação online pelo público – tiveram seus figurinos, performances e inventividade avaliados por sete jurados durante as apresentações. Criatividade não faltou ao par que representou os personagens Rainha Vermelha e Alice, do jogo Madness Returns, que foi o grande vencedor: “Esse projeto foi feito à base de muito sacrifício, mas acreditamos nele e tínhamos certeza de que faríamos uma apresentação digna da Game XP. É uma responsabilidade muito grande e estamos muito orgulhosas por termos conquistado o principal prêmio e dedicamos a vitória à toda nossa equipe.”, conta Claudia Almeida, 47 anos, muito emocionada. A participante, que encarnou a personagem Alice, completa 20 anos dedicado ao universo dos cosplays.

A jornalista Nathasha Ferreira, 31 anos, foi a Rainha Vermelha e é a atual bicampeã do concurso de cosplays da Game XP. Ela conquistou o título na edição de 2017 do evento com a personagem Sora, do jogo Kingdom Hearts 2.

O desejo que fica para o próximo ano é de, sem dúvidas, um evento tão grandioso quanto este!

Leia mais: Unindo jogos, tecnologias e geeks, Game XP agrada público em edição solo

Tags Game XP
Anderson Narciso

Anderson Narciso

Mestre em História, criador de conteúdo, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias e resenha séries semanalmente.

No comments

Add yours