Glee – 6×10 – The Rise and Fall of Sue Sylvester

Glee 6x10

 

Não foi dessa vez. Só faltam três episódios para que tudo se acabe, e não foi dessa fez que Glee realmente cumpriu sua promessa. Ao invés de dar continuidade aos arcos iniciados até então, o décimo episódio da série ainda não começou a colocar os pontos nos is, e pelo visto não irá daqui para frente.

The Rise and Fall of Sue Sylvester, como o nome sugere, tratou de contar a história por trás de uma das personagens mais amadas e odiadas de todas as seis temporadas da série: Sue Sylvester. Mesmo esperando um episódio cheio de boas tiradas e realmente cômicos, o que os espectadores que restam de Glee queriam era a continuação do que foi plantado no episódio anterior, ‘Child Star. Ao contrário disso, pouco ou quase nada vimos de Spencer e Alistair, e Jane e Mason, colocando em xeque o real motivo de colocar um elenco tão talentoso numa temporada que além de curta foi um total desperdício.

Talvez a verdadeira intenção de Ryan Murphy seja trazer de volta alguns visitantes ilustres, e resgatar ou reinventar alguns plots passados. Carol Burnett faz seu caminho de volta a Ohio para explicar a Susan o porquê de passar tanto tempo longe da filha – e não tem nada a ver com a caça contra nazistas. O apresentador de The Celebrity Apprentice Geraldo Rivera, incentivado por Becky Jackson, faz um levantamento de o quão cruel é a ex-diretora Sylvester, após ela ser demitida por abuso de poder. Resultado: Sue é uma mentira compulsiva. Sim, meu caro gleek, todos esses anos fomos enganados pelo suposto poder que a Treinadora tinha, e no fim das contas ela é tão loser quanto os membros do New Directions.

Qual a razão de nos apontar isso a essa altura do campeonato? Vai ficar para os extras do DVD, porque nem o próprio RM deve ter entendido.

Pois bem, The Rise and Fall of Sue Sylvester também mostrou uma Rachel Berry mais perdida do que cega em tiroteio. Primeiro, ela se humilha para a Madame Tibideaux (também sempre achei que era nome de bruxa) para entrar em NYADA, depois faz a louca e resolve deixar a faculdade de lado para seguir a carreira nos palcos, e agora – incentivada por Cedão (que só aparece para avacalhar com a p*%$# toda!) – decide voltar para seus antigos sonhos em Nova Iorque. A questão é: “errar” mais uma vez, ou seguir em frente? Tem pouco sentido o que eu vou dizer mas faculdade é para quem tem culhão, e Rachel não mostrou nenhum até agora. Voltou para Ohio com o rabo entre as pernas, não fez nada mais do que reunir um grupo de adolescentes e pessoas que nem mesmo o nome ela decorou, e fez um teste para um musical, que ela se ter teve o cuidado de checar se tinha passado. Pois então, ela passou. Agora mais uma vez, Mrs. Berry está numa sinuca de bico entre a sala de aula e os palcos – mais em nenhum momento cogitou a responsabilidade com o clube do coral. No final das contas, os roteiristas de Glee estão escrevendo certo por linhas TOTALMENTE tortas.

O episódio começou com a esperada Rather Be (pelo menos por mim), e com a surpresa nada sutil de que a Dalton Academy pegou fogo. Sem teto, os Rouxinóis então se juntam ao New Directions e formam um super grupo – talentoso, mas com singularidades que podem atrapalhar – que terá de deter o Vocal Adrenaline, agora comandados por Sue Sylvester.

Como falei assim, relembrar alguns plots é a pedida da vez, e algumas performances também foram parecidas com outros momentos da série: Jane Lych e Carol Burnett sobem ao palco para mais uma canção de musical, desta vez The Trolley Song, de Meet Me in St. Louis. Sue e Will dividiram o vocal de The Final Countdown, e nos faz relembrar a disputa entre Will e Bryan Ryan (Neil Patrick Harris) em Dream On, na primeira temporada. Por fim, o retorno de Clint com Far From Over, e o pesado treinamento de Sue. The Rise and Fall of Sue Sylvester também foi palco da canção original Rise, escrita por Darren Criss para a temporada final. Um bom refrão para uma letra que se desencontra de vez em quando.

São só mais duas sextas-feiras e tudo se acaba, a FOX se livra dos garotos cantantes de Ohio, os haters não terão mais seu maior objeto de ódio, e os atores – já saturados – terão descanso nas cordas vocais. Saudades? Sentiremos, talvez. Mas por enquanto, fique com o trailer de We Built This Glee Club, o episódio das seccionais que terá o retorno de Jonathan Groff como o amado Jesse St. James. Será que o New Directions leva o troféu?

 

 

Tags Glee

Share this post

Equipe Mix

Equipe Mix

Perfil criado para realizar postagens produzidas pela equipe do Mix de Séries.