Gotham – 1×01 – Pilot

Gotham 1x01

Continua após a publicidade

 

Surpreendente. Este pode ser o adjetivo que qualifica o piloto de Gotham. Indo contra todas as expectativas, a série em 48 minutos consegue fazer uma boa apresentação do que quer, como e quem irá abordar em sua temporada de estreia. Considerada a Smallville do homem morcego, Gotham chega com a intenção de contar a história antes do Batman. Mas é aí que o público se engana. Aquela história tão bem contada recentemente por Christopher Nolan na trilogia O Cavaleiro das Trevas é aqui, uma mera coadjuvante.

A intenção da série é explorar o universo por trás dos personagens que um dia se tornarão icônicos vilões do universo de Batman. Da mesma forma, abordar como James Gordon criou o seu caráter de Comissário enquanto ainda era Detetive se contrapondo a estas figuras. Parece duvidoso, mas acredite vale a pena.

Das cenas iniciais – com o assassinato dos Wayne e uma belíssima homenagem as páginas de Batman Ano Um, de Frank Miller, até as cenas finais, Gotham é pura referência. Com elementos de diversas versões, a série molda aqui a sua própria história do Batman, o que é de certa forma um ponto positivo.

Alguns personagens tiveram pouco destaque como Selina Kyle (Mulher Gato) – que aqui presencia a morte de Thomas e Marta Wayne -, a pequena Pamela Isley (Hera Venenosa), Edward Nygma (que aparece como consultor da Gotham PD, devendo se tornar o Charada mais pra frente), Alfreld Pennyworth – que tem o sotaque mais inglês de todos -, aparecem em no máximo duas cenas.

Entretanto, alguns outros mostraram que vieram para estrelarem Gotham de fato. A começar por Ben Mckienze que está muito bem na pele de Gordon. Firme e sério, o ex-The O.C., usou os tempos que passou interpretando um policial em Southland como base para dar vida a sua própria versão do Detetive “bonzinho”. Suas cenas de drama e ação são excelentes. A sua interação com Harvey Bullock – que pela primeira vez ganha vida em live-action – é também uma das peças-chaves da história.

Gotham 1x01_2Dentre os vilões, Fish Mooney (Jada Smith) – criada especialmente pra série -, deverá ser um dos papéis femininos centrais. A vilã tem ligação com Carmine Falcone, e não mede esforços para comandar a máfia em Gotham City. Junto dela está o desajeitado Oswald Cobblepot. E posso dizer que este sim é o grande trunfo do show. O Pinguim (Rob Lord Taylor) deverá ser bem explorado na trama central de Gotham. As cenas que o vilão aparece são de bater palmas. O legal é que, da forma como esta sendo apresentado, você tende até a torcer pelo personagem. A série se preocupa em dar voz ao passado destes vilões, e assim, questionarem se há uma justificativa para o que eles se tornarão um dia. Cobblepot já demonstrou claramente ter intenção de derrubar Mooney e se tornar um dos chefões da máfia na cidade. Mas para isso, tem muito chão pela frente…

De relance, vale comentar a aparição de Reene Montoya que interagiu pouco com Gordon e Bullock, mas apareceu tempo o bastante para dar a entender que teve um caso com Barbara Ken, nada menos que a noiva de James. Não me lembro desse caso ser retratado nas HQs, e não sei se é algo necessário a trama. Vamos acompanhar para ver o desenvolvimento.

A edição em alguns momentos não é a das melhores, confesso. Alguns cortes ficaram mal feitos, e a cena do Gordon correndo com a câmera em sua cara é meio desnecessária. Mas vai lá, não é pra tanto.

Por fim, Gordon e Bruce estabelecem uma relação. Algumas referências de que o garoto vá se tornar o Batman que todos conhecemos aparecem a todo momento. E Jim parece ver ali, um incentivo para começar a fazer justiça na cidade que parece tão corrupta e marginalizada. O assassinato dos Wayne irá conduzir os próximos episódios, e a caçada pelo verdadeiro assassino promete agitar os episódios (será que manterão Joel Chill nesta versão?). Pela primeira vez, a investigação desta história será adaptada mais a fundo. Bem bacana mesmo.

 

Alguns Easter Eggs que valem ser citados:

  • Quando Bruce está sentado na cena do crime, ele está envolto a um cobertor que parece mais uma capa – uma clara referência a Batman.
  • A versão de Alfreld Pennyworth é claramente inspirada na Terra Um, um pouco mais áspero e um ex-marinheiro. A relação entre ele e Wayne é um pouco convencional, diferente da versão mais harmoniosa do universo Nolan.
  • A segunda esposa de Gordon, Capitã Essen, é aqui sua supervisora.
  • Oswald aparece segurando um guarda-chuvas na cena com Fish Mooney – uma clara referência ao Pinguim.
  • O vidro da janela do apartamento de Barbara Kean lembra muito a Torre do Relógio – local que servirá de quartel general no futuro para sua filha Bárbara Gordon e as Birds of Prey.
  • Ivy aparece mexendo em várias plantas nas suas tomadas – uma clara referência a Hera Venenosa.
  • Harvey Bullock tem uma cena idêntica às HQs, quando segura a arma e mata Mario Pepper.
  • Uma possível referência ao Coringa pode ter sido feita com o Nightclub Comedian. Os produtores prometeram que em cada episódio teríamos uma referência ao personagem. Lembrando que em A Piada Mortal, o vilão é mostrado no início como um comediante fracassado.

 

O episódio vale muito a pena, e confesso que quebrei a cara. Não estava dando nada pela série, e ela me pegou. Bem vinda Gotham. E que o Universo DC na TV continue crescendo! Semana que vem, conheceremos um pouco mais de Selina Kyle. Até lá.

 

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=vYEY86-2RNg[/youtube]

 

Relembre nosso texto sobre o piloto exibido na Comic Con AQUI.

Anderson Narciso

Anderson Narciso

Mestre em História, apaixonado por mídias, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias, escreve a coluna 5 Razões e resenha a série Gotham.

8 comments

Add yours
  1. Eduardo Nogueira
    Eduardo Nogueira 24 setembro, 2014 at 08:16 Responder

    Gostei e MUITO de Gotham, definitivamente não decepcionou. Gostei de cada detalhe, Ben evolui surpreendentemente e foi incrível como ele incorporou o personagem logo de cara. O que mais chamou a minha atenção foi o dinamismo do roteiro, a excelente fotografia e os cliffhangers de tirar o fôlego, por um momento até cheguei a pensar que não estivesse assistindo a uma série da Fox dias de hoje, kkkkkkk
    Excelente review e pontos bem observados.

    • Anderson Narciso
      Anderson Narciso 24 setembro, 2014 at 08:30 Responder

      Legal Duh, a fotografia é boa mesmo. FOX mandando bem viu? O Ben evoluiu desde Southland. Lá ele fazia um policial muito bom e aprendeu bastante lá. Ele incorporou bem o Gordon e tende a crescer mais ainda na série. Vamos acompanhar.

      Obrigado pelo comentário 😀

  2. Avatar
    Diógenes Ternero 24 setembro, 2014 at 23:13 Responder

    Eu esperava muito da série e cumpriu todas as minhas expectativas. Piloto muito bom e que soube apresentar os personagens, além da história.

    Desde quando eu vi o trailer, eu imaginei que o Pinguim seria foda e ele foi. Incrível atuação e promete ser um vilão muito bom.

    • Anderson Narciso
      Anderson Narciso 27 setembro, 2014 at 14:13 Responder

      Não esperava muito Didi, pra mim foi uma surpresa. Vamos ver como ela vai se sair no segundo, mas estou torcendo. Pinguim foi sensacional!

  3. Avatar
    Felipe Moura 27 setembro, 2014 at 13:58 Responder

    Confesso que não conheço nada a respeito do universo do Batman, e ler a review foi bom para eu me situar um pouco. Estou torcendo pela série, ela estreiou bem e acho que pode ser um bom entretenimento.
    Adorei a review tambem, volto mais vezes hehehe !

  4. Avatar
    Edlaine Sá 29 setembro, 2014 at 23:42 Responder

    Confesso que estava curiosa pra estréia mas sem esperar muita coisa da série e me surpreendi positivamente, principalmente com o Pinguim. Gostei do piloto já cheio de referências. Agora é esperar mais episódios…

Post a new comment