A grade da temporada 2017-18: quem vai enfrentar quem?

Imagem: (da esquerda para direita) NBC/Divulgação, ABC/Divulgação, CW/Divulgação, Fox/Divulgação e CBS/Divulgação.

Depois de uma semana agitada onde tivemos não só a divulgação das grades de programação, mas também dos trailers, o Mix de Séries resolveu fazer uma análise de todo o material que as emissoras divulgaram e, corajosamente, tentar prever alguns resultados e quais as séries devem crescer, ou até mesmo afundar, nos seus respectivos horários.

Diferentemente de 2016/17, a temporada 2017/18 promete ser uma das maiores e mais interessantes para TV aberta desde quando a segunda era de ouro da indústria começou. Essa promessa de retomada não é surpreendente. Além de uma audiência em queda livre, a última vez que uma série do Big Four (CBS, ABC, NBC e Fox) foi indicada ao Emmy foi em 2011 com The Good Wife.

Continua após a publicidade

Outro fator são os eventos especiais, como as Olimpíadas de Inverno em 2018 na NBC, e revivals, como American Idol Roseanne na ABC e Will & Grace na NBC.

Segunda-Feira

Não acredito que seja uma boa ideia por parte da CBS em manter sua estratégia de usar a audiência grandiosa de The Big Bang Theory para lançar novas comédias. É claro que no caso de Young Sheldon soa como algo natural, mas quando se trata de 9JKL vejo uma semelhança curiosa com The Millers, que após uma primeira temporada de bons números em razão do lead in de Big Bang, foi retirada do ar em novembro de 2014 após poucos episódios do segundo ano.

Imagem: CBS/Divulgação

Colocar Lucifer como âncora da noite parece uma ideia desastrosa por parte da Fox. Acredito que assim como Gotham em 2014, a emissora deveria começar o horário nobre com The Gifted e em seguida seguir com séries veteranas. Seria uma excelente ideia para atrair telespectadores mais jovens, tirando-os do streaming, e fazer uma competição mais interessante com Supergirl.

The Good Doctor, às 22h, parece outra catástrofe anunciada. Pela proposta nós temos, além de uma série médica, um drama light que não é pesado nem leve e pretende atrair os telespectadores descompromissados. Há de se ressaltar que a emissora já tentou tal estratégia com Conviction em 2016 e nós vimos o resultado. O melhor companheiro para o pós-Dancing With The Stars até hoje foi Castle. Um drama procedural e com apelo ao telespectador feminino.

Na visão deste que vos escreve, Designated Survivor era a série certa para o horário. Tem um telespectador feminino e mais velho consolidado, o mesmo demográfico que Dancing With The Stars atrai, além de ser forte no DVR. Acredito que a NBC é quem fez as melhores escolhas. The Voice tem um bom apelo com os americanos comuns, muitos daqueles que ajudaram a eleger Donald Trump em 2016, deixando o caminho livre para The Brave que vem justamente para cortejar esse telespectador de Ohio, no Kansas ou em Idaho, não só de Nova York e Los Angeles.

Terça-Feira

Imagem: ABC/Divulgação

O principal destaque do horário nobre neste dia são os blocos de comédia na ABC, Fox e NBC. Pessoalmente, acredito que as produções da NBC ficarão com a melhor pela ajuda do The Voice às 20h, mas é evidente que a ABC está apostando muito na performance de black-ish para lançar The Mayor e manter os números do pós-Modern Family.

Mas a presença de The Gospel of Kevin represena um problema atrás do outro no horário das 22h. Se olharmos as séries que passaram pelo horário nos últimos anos vamos observar – ForeverLucky 7Body of Proof (que a ABC nunca deveria ter cancelado tão cedo), Mind GamesKiller WomenWicked City e por aí vai. SHIELD deveria continuar por ali até que a emissora encontrasse algo que consiga lidar, ou derrubar, Chicago Fire.

Quarta-Feira

Imagem: Mark Hill/The CW/Divulgação

A CW parece ter feito as escolhas mais interessantes. Riverdale tem o mesmo público feminino (entre 18 a 49 anos) às 21h de quinta-feira que Arrow às 20h de quarta-feira. O que isso significa? Caso esses números sejam mantidos, o drama da CW pode construir uma audiência respeitável apesar de Empire estar no mesmo horário, até porque, o novelão de Lee Daniels faz números quase seis vezes mais entre as mulheres do que Riverdale ou Arrow.

Além disso, Dynasty, assim como toda a grade da emissora, estreará a partir de outubro. Momento que Star pode estar dando sinais de cansaço e a nova série da CW pode atrair parte desse telespectador feminino que busca algo na linha de Empire para assistir. É claro que para todo esse raciocínio funcionar, é preciso que o canal trabalhe em entrevistas, participações em premiações, talk shows e divulgação em geral.

Outra boa ideia está na estratégia de lançamento de SEAL Team, pois Survivor me parecer ter o mesmo telespectador que a CBS tentará manter às 21h. Se der errado, será uma das minhas maiores surpresas da próxima temporada. Quem fica prejudicado? Criminal Minds que disputará o mesmo telespectador de Chicago PD.

Quinta-Feira

Imagem: Ron Batzdorff/NBC/Divulgação

Durante a sua apresentação do Upfront, a NBC prometeu o retorno do Must See TV. Porém, depois de analisar com profundidade essa grade de programação, fica evidente que essa jogada de marketing é, na verdade, o sonho de todo o seriador e anunciante.

Temos uma clara tentativa de derrubar, a qualquer custo, o TGIT na ABC, que não só atrai um telespectador feminino muito forte como também dramas que a crítica gosta, que geram comentários nas redes sociais e um retorno fantástico para a emissora.

A competição fica mais clara a partir das 21h, quando This Is Us competirá com a última temporada de Scandal How To Get Away With Murder com Law & Order: True Crime. Não terei coragem de cravar o vencedor dessa disputa, mas estou, assim como você, muito ansioso para acompanhar.

O maior fracasso da noite? Com muita facilidade aponto para The Orville.

Sexta-Feira

Imagem: Michael Desmond/The CW

Confesso que não entendo a estratégia da ABC aqui. É possível que não haja nenhuma para um canal que começa com um drama de conto de fadas e termina com uma revista eletrônica. A CW mostra que desistiu de promover Jane The Virgin e tentar que a série conseguisse atingir um público maior, criando uma noite elogiada pela crítica, com muito apelo do telespectador feminino e de pouco potencial de audiência.

Já na NBC acredito que há um único problema – The Blacklist deveria ter sido transferida para às 22h, criando uma grade de imenso potencial ao telespectador masculino já que não há eventos esportivos na noite. CBS e Fox continuarão da mesma forma.

Domingo

Imagem: Fox/Divulgação

Diferentemente da grade de sexta-feira, a estratégia da ABC é muito clara. Criar um bloco sólido de reality shows já testados para irem contra a NFL aos domingos e The Walking Dead na TV a cabo. É claro que Ten Days In The Valley não parece um sucesso em potencial, mas The Closer também não parecia até que Kyra Sedgwick entrou no elenco e a TNT renovou o drama até a sétima temporada.

A programação mais fraca é a CBS. Wisdom of the Crowd não está num bom horário ao competir com o futebol na NBC, Os Simpsons na Fox e To Tell The Truth na ABC. Todos programas já testados e consolidados junto ao telespectador. Me perece que a emissora tentará atrair o telespectador masculino, mas isso não faz o menor sentido quando se termina com Madam Secretary às 22h.

Avatar

Bernardo Vieira

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.

1 comment

Add yours
  1. Eduardo Nogueira
    Eduardo Nogueira 26 maio, 2017 at 08:07 Responder

    Adorei as análises, e realmente a ABC precisa consolidar algo na faixa das 22:00 de quase todos os dias da semana. A grade da CW achei bem coerente, e a NBC está disposta a crescer consideravelmente na próxima temporada. Já estou mega ansioso pelos confrontos entre Must See x TGIT, e sem contar que foi genial a sacada de colocar as comédias para baterem diretamente de frente com o bloco do gênero na ABC. A disputa vai ser interessante, mas dessa acho que no canal do pavão apenas The Good Place tem chances de vencer o canal da Disney. Ainda sobre a NBC, The Brave tem tudo para ser a nova Blindspot, se tornando um verdadeiro sucesso, herdando os números de The Voice. É só torcermos também para que não aconteçam os mesmos erros cometidos com a atração de Jamie Alexander, que acabou sendo colocada meio que pra escanteio logo depois.

Post a new comment