Grey’s Anatomy – 12×09 – The Sound of Silence

greys 12x09 a

Imagem: Twitter da Série

 

Quantas vezes você já se viu numa situação em que ficou travado? Sem poder falar, ouvir, se manifestar ou, até mesmo, se mexer? O silêncio pode fazer parte das nossas vidas, mas ele nos corrói por inteiro. E este poder que ele tem de nos deixar paralisados acaba nos deixando com medo do que possa vir. Há muito tempo um ótimo episódio de Grey’s Anatomy não me deixava com esta sensação de pavor; sim, eu temia por Meredith Grey e xingava muito Shonda Rhimes, mas algo neste episódio me impedia de falar e de me locomover. Era como se eu estivesse tendo uma reação parecida com a da protagonista, vítima de uma brutalidade tremenda. Não quero nem imaginar como é sentir o que ela sentiu, esta sensação de inerte.

Continua após a publicidade

O retorno de Grey’s Anatomy foi excelente exatamente por isso: a cada cena de Meredith, eu me sentia no lugar dela. Era como se eu estivesse também vivenciando aquilo. Foi muito bacana ver este outro lado no seriado, um lado no qual o médico se torna o paciente literalmente. Embora já tenhamos vistos muitos episódios onde os personagens acabam se transformando em pacientes, nenhum deles mostrou a visão do paciente como médico. Talvez seja por isso que o retorno tenha sido tão bom, afinal, estar doze anos no ar e ainda conseguir nos surpreender e nos deixar tensos do começo ao fim não deve ser nenhuma tarefa fácil.

Meredith Grey é uma sobrevivente. Já sabemos disso desde o piloto. E não seria diferente desta vez. Ela perdeu a audição, a fala, as forças, mas continuou lutando até se recuperar e voltar (bom, pelo menos tentar voltar) a ser como era antes daquele fádico dia do ataque. E pior: nem podemos culpar o paciente. Foi uma baita aprendizado o que vimos com este retorno. Saber que Karev estava lá por ela fez toda a diferença, provando que ele vem cumprindo a ferro e fogo o prometido a Cristina Yang: ser a person da Mer. Aplausos para esta amizade que me fez chorar com cada cena neste lindo e emocionante episódio.

É claro que a grande lição dada por Shonda Rhimes veio no médico mais velho do hospital: Dr. Richard Webber. As palavras e o ensinamento que ele passou para sua filha de coração me fizeram borbulhar de tanto chorar. Por mais que Meredith seja teimosa, Richard é a voz da consciência dela. É como se ele fosse o pai (e a mãe) que ela tanto sonhou em ter. Não tem como não amar a relação dos dois. Outro momento lindo foi a bonita e sincera conversa entre Meredith e Amelia. Meu Deus!, as duas são guerreiras e não precisam deste mimimi todo a respeito da Penny e da morte de Derek. Elas precisam se aceitar como são e se unirem para construírem algo melhor. Mas foi muito gratificante ter visto uma Amelia acabada ao ver Meredith entre a vida e a morte e, no final, assumindo que estava se recuperando de todas as substâncias em seu corpo.

Infelizmente, ainda não sabemos se Jo aceitou o pedido de Alex e se Japril está de volta, afinal, o episódio todo girou em torno da perspectiva da Meredith como paciente. O que sabemos é que o carrossel ainda não terminou de girar e, a julgar o que vimos neste retorno, muitas águas ainda cairão. O que importa é que foi Penny quem achou Mer desacordada e foi ela quem deu apoio quando nossa heroína mais precisou. Se é o começo de uma grande amizade, ainda é muito cedo para falar, mas que já é meio caminho andado para o perdão, isto pode ser. Eu gostaria de encerrar esta review falando na forma como Meredith acabou perdoando o paciente-agressor. Foi um gesto lindo e digno de uma protagonista como Meredith Grey. Eu, no lugar dela, não sei se faria o mesmo.

Avatar

Gabriella Siggia

Quem eu sou? Eu sou uma em um milhão: escritora nas horas vagas, seriadora de coração, cinemática de plantão e amante da literatura. Divertida, alto astral e bastante bem humorada. Só não achei ainda minha outra pessoa. Ah, música faz parte da minha vida.

No comments

Add yours